24/07/2021

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Resumo da 20ª rodada do brasileirão; confira tudo aqui.

15 min read

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br direto da redação.

Palmeiras vence Fortaleza, segue 100% com Mano.

Palmeiras segue vivo na disputa do título do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem Dudu, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, a equipe alviverde venceu o Fortaleza fora de casa por 1 a 0 na Arena Castelão, neste domingo, em jogo válido pela 20ª rodada da competição.

O único gol da partida foi marcado por Willian Bigode no começo do segundo tempo.

Contratado para o lugar de Luiz Felipe Scolari, o técnico Mano Menezes segue com 100% de aproveitamento. Ele conquistou vitórias contra Goiás (2 a 1), Fluminense (3 a 0) e Cruzeiro (1 a 0). Além disso, foi a terceira partida seguida que sua equipe não leva gols.

Com o resultado, o “Verdão” está na segunda posição do Brasileiro com 42 pontos, três a menos do que o líder Flamengo.

Já o Fortaleza segue ameaçado pela degola. O time tricolor tem 22 pontos e está na 14ª posição.

Polêmica dos ingressos

Os clubes entraram em rota de colisão antes da partida em função da cota de ingressos destinada aos visitantes. O Palmeiras chegou a dizer que entraria no Procon contra o Fortaleza.

Sem o atacante Dudu, Mano escalou Zé Rafael como titular. Na primeira etapa, as equipes quase não chutaram ao gol. No fim do primeiro tempo, o goleiro Felipe Alves, do Fortaleza, sentiu uma contusão na coxa e deu lugar para o reserva Marcelo Boeck.

No segundo tempo, o jogo ficou mais aberto e o Palmeiras conseguiu abrir o placar. Logo aos dois minutos, Scarpa cobrou escanteio pela direita, e a bola sobra para Willian, que a dominou e chutou com a perna esquerda. Ela desviou na zaga do Fortaleza antes de vencer o goleiro.

Aos 27, Luiz Adriano saiu para a entrada de Deyverson, que fez seu primeiro jogo com Mano.

Os donos da casa tentaram buscar o empate até o fim do jogo, mas não conseguiram

Agenda

O Palmeiras voltará a campo pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro contra o CSA no estádio do Pacaembu, nesta quinta-feira (26/09), às 19h15 (de Brasília).

No mesmo dia, o Fortaleza visitará o Athletico-PR na Arena da Baixada, em Curitiba, às 21h30.

FICHA TÉCNICA

FORTALEZA 0 X 1 PALMEIRAS

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 22 de setembro de 2019, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (Fifa-RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Gol: Willian, aos 2 do 2ºT (Palmeiras)
Cartões amarelos: Marcos Rocha (Palmeiras); Felipe Alves, Felipe, André Luiz, Carlinhos (Fortaleza)

FORTALEZA: Felipe Alves (Marcelo Boeck); Tinga, Quintero, Jackson e Carlinhos; Gabriel Dias (Juninho) e Felipe; Osvaldo, Edinho (Kieza) e Romarinho; André Luiz. Técnico: Zé Ricardo

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Willian (Carlos Eduardo), Luiz Adriano (Deyverson) e Zé Rafael (Lucas Lima).
Técnico: Mano Menezes.

Goiás venceu com certa facilidade e afunda o Flu na zona da degola.

Depois de três derrotas consecutivas, o torcedor do Goiás voltou a sorrir. Pela 20º rodada do Campeonato Brasileiro, o time goiano goleou o Fluminense por 3 a 0, em partida realizada no Serra Dourada, na noite deste domingo.

Os gols foram de Michael, Rafael Vaz e Yago Felipe. A vitória contra um concorrente direto na luta contra o rebaixamento alivia a tensão no clube, que conviveu com protestos da torcida nesta semana.

O Goiás tinha apenas uma vitória nos últimos onze jogos e agora sobe para a 12º posição, com 24 pontos somados.

O time carioca, que vinha de duas vitórias seguidas, está na zona de rebaixamento. Com 18 pontos, o time carioca caiu para a 17º colocação.

GOL DE MICHAEL

Fluminense começou com maior posse de bola, porém no seu primeiro ataque o Goiás abriu o marcador. Aos onze minutos, após rebote do chute de Kayke, Michael limpou a zaga e bateu rasteiro para abrir o marcador.

O gol animou o Goiás que passou a pressionar o Fluminense. O Fluminense esperava algum lampejo de Nenê e Ganso para empatar, mas esbarrava na fraca atuação dos dois.

O time goiano era mais efetivo. E aos 34 quase fez o segundo, com Kayke. Após passe de Léo Sena, ele cortou Frazan e bateu colocado. A bola passou perto.

VAZ E YAGO GARANTEM
O jogo caiu muito de produção no início segundo tempo. O Fluminense esbarrava na sua péssima atuação para buscar o empate, enquanto o Goiás buscava encaixar um contra-ataque.

O time goiano chegou ao segundo gol aos 20. Após escanteio cobrado por Jefferson, Rafael Vaz subiu para marcar de cabeça.

O Fluminense criou sua primeira chance real de gol somente aos 23 do segundo tempo, com Marcos Paulo. Muito pouco para um time que busca fugir da parte debaixo da tabela.

O Goiás ainda teve Breno expulso, após revisão do VAR, por um pisão em João Pedro. Mesmo com um jogador a menos, o time goiano matou o jogo aos 43 em um contra ataque.

Yago Felipe recebeu de Kaio e tocou na saída de Muriel.

PRÓXIMOS JOGOS
O Goiás vai até o Morumbi na quarta-feira, às 21h30, encara o São Paulo. Um dia depois, o Fluminense recebe o Santos, às 20h, no Maracanã.

Goiás-GO

Tadeu;
Daniel Guedes, Rafael Vaz, Fábio Sanches e Jefferson;
Gilberto (Breno), Léo Sena (Miguel Figueira) e Yago Felipe;
Leandro Barcia (Kaio), Michael e Kayke.
Técnico: Ney Franco
Fluminense-RJ

Muriel;
Gilberto, Frazan (Lucão), Digão e Caio Henrique;
Yuri (Marcos Paulo), Allan e Paulo Henrique Ganso
Nenê, Yony González e João Pedro.
Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Técnico do Bahia reclama de arbitragem: ‘Vergonha alheia’.

Atuação do árbitro Dewson Fernando Freitas, na derrota para o Corinthians, gerou revolta.

A atuação do árbitro Dewson Fernando Freitas, na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, não sai da cabeça do técnico Roger Machado.

O treinador lamentou os lances interpretados pelo árbitro e reclamou do pênalti não marcado a favor do Tricolor, ainda na etapa inicial, em cima do atacante Élber.

A partida naquele momento ainda estava 0 a 0.

“Hoje foi o dia em que senti vergonha alheia. Significa que senti vergonha pelo árbitro que estava em campo, pela forma como estava conduzindo um jogo com um pênalti não dado, que poderia nos dar vantagem, depois um pênalti marcado corretamente a favor do Corinthians e, depois quatro minutos para revisar um lance, que gerou nossa penalidade. Permitiu que o atleta do nosso adversário, depois de atendido, entrasse do mesmo lado da bola, que estávamos atacando. O atleta roubou a bola; depois, na jogada, tomamos dois cartões. Quatro minutos para revisar o VAR, seis substituições na partida e cinco minutos de acréscimo. Isso só prova a fragilidade técnica do árbitro”, disse.

Roger ainda buscou formas de falar um pouco do rendimento do time, sem citar o nível de atuação da arbitragem.

“Nós jogamos muito bem. Muito bem perto do que os nervos da partida poderiam fazer com que saíssemos do jogo. Ficamos com 11 em campo, questionamos a arbitragem como tem que questionar, porque fazia uma arbitragem de baixo nível, mas nos mantivemos focados. Nos deu oportunidade de empatar num lance de compensação, que não tive nem coragem de comemorar, fiquei vergonha. Depois o segundo gol, que a gente analisa melhor depois. Dar parabéns à equipe, por ter enfrentado um grande adversário direto neste momento. E ter atuado bem, mesmo tendo sido derrotado”. pontuou.

Corinthians faz 2 a 1 no Bahia e alivia a pressão no elenco após duas derrotas

Alívio. Foi esta a sensação na Arena Corinthians após a vitória por 2 a 1 sobre o Bahia por 2 a 1, na noite deste sábado, pelo Campeonato Brasileiro.

Os gols de Vagner Love e Clayson colocam o Corinthians na quarta colocação, com 35 pontos. Timão tem a mesma pontuação do São Paulo, mas vence no saldo de gols (10 contra 9). Neste domingo, torce contra o Internacional diante da Chapecoense para permanecer no G4 ao fim da rodada.

O Bahia viu uma sequência de nove jogos – quatro vitórias e cinco empates – sem derrotas quebrada. A última derrota ocorreu diante do Santos por 1 a 0 no Pituaçu, em 13 de julho.A equipe estaciona nos 31 pontos, na sétima colocação.

VAR ACIONADO
O VAR roubou a cena na partida. Ele foi acionado pelo menos quatro vezes e o árbitro Dewson Freitas marcou duas penalidades durante o jogo, e deixou de marcar outra a favor do Bahia.

NA TRAVE
Antes dos dez minutos de jogo, o Corinthians chegou duas vezes e parou na trava do goleiro Douglas. Aos três minutos, Clayson acertou a trave após passe de Clayson. Quatro minutos depois, foi a vez de Sornoza bater rasteiro e a bola bater na trave.

O Bahia apostava nos contra-ataques e sempre procurava o artilheiro Gilberto quando chegava na área do Timão. O time baiano, explorando também a velocidade de Élber, equilibrou a partida na Arena.

No final do primeiro tempo, o VAR apareceu. Aos 35, Elber caiu na área após disputa com Ralf, mas o árbitro, após consultar o vídeo, não deu pênalti.

Aos 43, Ralf apareceu pela direita, cruzou e a bola resvalou na mão de Juninho. O árbitro consultou o VAR e marcou penalidade. Vágner Love cobrou forte no canto direito de Douglas e abriu o marcador na Arena.

ETAPA FINAL
Logo no primeiro minuto, o Corinthians quase ampliou. Após escanteio, Manoel, de cabeça, desviou e a bola passou perto do travessão de Douglas.

O Bahia buscava o empate e trocava muitos passes. O Corinthians recuou e tentava encaixar um contra-ataque para matar o jogo.

Novamente o VAR foi protagonista. Após revisão de lance de Clayson em Gregore, o árbitro marcou pênalti para o time baiano. Gilberto cobrou e empatou.

O Bahia mandava em campo. Mesmo assim, o Corinthians chegou ao segundo gol aos 29. Clayson recebeu lançamento de Pedrinho, passou por Douglas e dividiu com Nino Paraiba para marcar.

O Corinthians se segurou na defesa e garantiu a vitória, que alivia um pouco a pressão no clube. Após o final, Fagner e Moisés discutiram e iniciaram uma confusão no gramado.

PRÓXIMOS JOGOS
Pela Copa Sul-Americana, o Corinthians encara o Independente Del Valle, no Olímpico Atahualpa, na quarta-feira. O Timão precisa reverter a derrota por 2 a 0 no primeiro jogo das semifinais.

O Bahia também joga na quarta, pelo Campeonato Brasileiro. Recebe o Botafogo, na Fonte Nova, às 21h30. A partida do Timão pela 21º rodada, diante da Chapecoense em Chapecó, foi adiada e acontece somente no dia 2 de outubro.

Corinthians-SP

Cássio
Fagner, Manoel, Gil e Carlos Augusto
Ralf, Ramiro (Jadson) e Sornoza
Pedrinho, Vagner Love (Gustavo) e Clayson (Janderson)
Técnico: Fábio Carille
Bahia-BA

Douglas;
Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés;
Gregore, Ronaldo (Fernandão) e Flávio (Guerra);
Élber (Arthur Caike), Artur e Gilberto
.
Técnico: Roger Machado.

Peixe ‘apaga’ no segundo tempo e se complica no Brasileirão.

Os visitantes aproveitaram as oportunidades e venceram por 3 a 0, gols de Luan, Pepê e Éverton, todos na etapa final

Lutando pelo título do Campeonato Brasileiro, o Santos recebeu o Grêmio na noite deste sábado (21), na Vila Belmiro, em Santos, pela 20.ª rodada, a primeira do returno. Mais atento na hora da finalização, os visitantes aproveitaram as oportunidades e venceram por 3 a 0, gols de Luan, Pepê e Éverton, todos na etapa final.

Com o resultado, os paulistas ficam na terceira colocação, com 37 pontos, enquanto Flamengo, com 45, e Palmeiras. Os gaúchos, por outro lado, estão em sétimo, atrás ainda de Corinthians e São Paulo, com 35, e Internacional, com 33.

Foto: Ivan Storti / Santos FC
Foto: Ivan Storti / Santos FC

PRIMEIRO TEMPO
A etapa inicial teve dois momentos distintos. No primeiro, o Santos partiu para cima e teve boas chances em investidas de Diego Pituca e Soteldo, mas Paulo Victor, goleiro tricolor, impediu a abertura do placar.

Foto: Ivan Storti / Santos FC - Foto: Ivan Storti / Santos FC

Foto: Ivan Storti / Santos FC

Mais para o final, o Grêmio assumiu o ritmo do confronto. Não à toa, o time gaúcho ameaçou, aos 42, em cabeçada de Everton, e, aos 42, com Michel finalizando ótima oportunidade em cima de Éverson, arqueiro alvinegro.

ETAPA FINAL
No segundo tempo, o Grêmio retornou disposto a alcançar a vitória. Aos seis minutos, Everton invadiu a área e se atrapalhou na hora da batida. Logo depois, aos nove, Galhardo bateu a falta, que desviou na barreira. A bola sobrou limpa para Luan, que teve tranquilidade para mandar para o fundo do barbante.

Foto: Ivan Storti / Santos FC

Foto: Ivan Storti / Santos FC

O gol fez com que o Santos se lançasse em busca do empate e até criou, especialmente com Soteldo. Os visitantes, por outro lado, ameaçaram em contra-ataques – e dessa forma, chegaram ao placar final. Pepê, aos 41, teve categoria após passe de Éverton. Depois, aos 47, ‘Cebolinha’ arriscou na entrada da área e acertou o cantinho esquerdo.

Melhores momentos:

 

PRÓXIMOS JOGOS
As equipes voltam a campo às 20 horas da próxima quinta-feira (26). O Santos visita o Fluminense, no Maracanã, no Rio de Janeiro, enquanto o Grêmio recebe o Avaí, em Porto Alegre, na Arena do Grêmio.

Santos-SP

Everson;
Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan) e Jorge; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Venuto);
Marinho (Uribe), Eduardo Sasha e Soteldo.
Técnico: Jorge Sampaoli
Grêmio-RS

Paulo Victor;
Rafael Galhardo, David Braz, Kannemann e Cortez (Juninho Capixaba);
Michel, Matheus Henrique e Alisson;
Luan (Pepê), Diego Tardelli (Thaciano) e Everton Cebolinha.
Técnico: Renato Gaúcho.

Colorado faz três pra valer um e cura ressaca. Inter 1 x 0 Chape.

Após a frustração de perder a final da Copa do Brasil, o Internacional voltou a vencer no Campeonato Brasileiro e derrotou a Chapecoense por 1 a 0 no Beira-Rio, pela 20ª rodada.

O time da casa chegou a ter dois gols anulados pelo árbitro de vídeo antes de garantir o resultado nos minutos finais.

QUARTO LUGAR

Com a vitória, o Inter segue na quarta colocação, agora com 36 pontos. Flamengo, com 45, Palmeiras, com 39, e Santos, com 37, completam o topo da tabela. Desses, apenas o Palmeiras ainda joga na rodada.

Em situação oposta, a Chapecoense está na penúltima colocação com 14 pontos, acima apenas do rival Avaí, que tem um ponto a menos. O Fluminense, primeiro time fora da zona do rebaixamento, já soma quatro pontos a mais do que a Chapecoense e ainda joga neste domingo contra o Goiás.

Guerrero disputa bola com a zaga da Chapecoense

Guerrero disputa bola com a zaga da Chapecoense

GOL ANULADO
O Inter começou melhor no primeiro tempo e dominou o adversário. De tanto insistir, Wellington Silva chegou a balançar as redes aos 31 minutos, mas o gol foi anulado por impedimento após consulta do árbitro de vídeo.

O gol invalidado deixou o time gaúcho ainda mais impaciente, tentando resolver a partida com pressa e forçando lançamentos diretos buscando o centroavante Paolo Guerrero.

O TERCEIRO VALEU
Na segunda etapa, a Chapecoense conseguiu equilibrar a partida. O time visitante deixou de ficar fechado como fazia na primeira metade do jogo e passou a incomodar o adversário não apenas nos contra-ataques, mas também construindo jogadas com tabelas de pé em pé quando tinha a posse de bola.

A pressão do Inter só se intensificou nos minutos finais e até parecia que tinha surtido efeito aos 35 minutos, quando Neilton aproveitou a sobra dentro da área e completou para o gol.

No entanto, o lance foi anulado mais uma vez com o auxílio do VAR, frustrando ainda mais o torcedor presente ao Beira-Rio.

Pouco depois, aos 39, Rodrigo Lindoso aproveitou rebote do goleiro após cobrança de escanteio e finalmente o gol valeu, para alívio do Internacional.

PRÓXIMOS JOGOS
Os dois times voltam a campo na próxima quarta-feira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Inter visita o Flamengo, no Maracanã, no Rio de Janeiro, enquanto a Chapecoense só joga no domingo, dia 29 de setembro, contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Internacional-RS

Marcelo Lomba;
Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel (Neilton);
Rodrigo Lindoso, Edenílson e Patrick;
Nico López (Sarrafiore), Guerrero e Wellington Silva (Guilherme Parede).
Técnico: Odair Hellmann
Chapecoense-SC

Tiepo;
Eduardo, Gum (Maurício Ramos), Rafael Pereira (Douglas) e Bruno Pacheco;
Márcio Araújo, Elicarlos e Camilo;
Arthur Gomes, Renato (Henrique Almeida) e Everaldo.
Técnico: Marquinhos Santos.

Vasco 1 x 1 Athletico-PR. Empate até em reclamações com o VAR?

Os dois times deixaram o gramado inconformados com a atuação de Anderson Daronco.

O Vasco segue longe da zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste domingo, os cariocas receberam o Athletico-PR, atual campeão da Copa do Brasil, e arrancaram um empate, por 1 a 1, em São Januário, no Rio de Janeiro, na abertura do returno da competição. Madson abriu o placar para os paranaenses, enquanto Danilo Barcelos deixou tudo igual.

O resultado manteve o Vasco na zona de classificação da Sul-Americana, com 24 pontos. O Athletico-PR, por sua vez, segue no meio da tabela, em nono, com 27.

VEJA OS MELHORES MOMENTOS . CLIQUE AQUI !


FESTA? QUE FESTA?

O Athletico-PR deixou para trás as comemorações pelo título da Copa do Brasil e mandou a campo um time com sete jogadores que entraram em campo na vitória sobre o Inter no meio de semana, por 2 a 1.

O Vasco, por sua vez, pareceu querer aproveitar do cansaço do adversário e começou a partida mais adiantado. Isto fez com que o duelo ficasse aberto no início, com as duas equipes trocando ataques perigosos.

A primeira boa chance veio em finalização de Pikachu, que Santos defendeu. Os paranaenses tentaram responder com Rony, mas Fernando Miguel conseguiu espalmar. Por cima, porém, o Vasco criou a principal chance de marcar. Após cobrança de escanteio, Henriquez, livre, testou firme, mas errou o alvo por pouco.

VASCÃO NA ÁREA
Passado o susto, o Athlético-PR tentou ficar com a bola no campo de ataque, mas não encontrou espaço para colocar seus atacantes de frente para o gol. Bem fechado, o Vasco começou a apostar nas bolas longas, procurando o desvio de Ribamar. Numa delas, Rossi recebeu de Talles Magno e tentou cruzado, parando em Santos. No final do primeiro tempo, o Athletico-PR voltou a pressionar, chegou com perigo duas vezes, mas sem finalizar contra o gol de Fernando Miguel.

LOGO NO COMEÇO
O segundo tempo também começou quente, mas, desta vez, com gol. Logo aos dois minutos, depois de cobrança de falta, Madson dividiu com Fernando Miguel, mas desviou de cabeça para o fundo das redes. O árbitro Anderson Daronco chegou a consultar o monitor do VAR, mas confirmou o gol.

O Vasco foi obrigado a se lançar ao ataque e deu espaços para o time paranaense contra-atacar. Léo Citaddini, Marco Ruben e Rony tiveram espaço para finalizar, mas perderam oportunidade.

SÃO VAR?
Sem a mesma inspiração, os cruzmaltinos chegaram ao ataque apenas em jogadas de bola parada. Numa delas, Ribamar ficou com a sobra, mas parou em Santos.

Em outra cobrança de falta, Daronco viu toque de mão no desvio da barreira e marcou pênalti depois de consultar o monitor do VAR. Aos 23 minutos, Danilo Barcelos foi para a bola e marcou. Santos chegou a tocar na bola, mas não teve forças para tirar do canto.

O empate mudou o clima da partida e trouxe o Vasco de volta para o jogo. Comandado pelos meninos Talles e Marrony, que veio do banco de reservas, o time carioca ficou mais tempo no campo de ataque e passou a criar. Cada atacante teve uma oportunidade. O primeiro arriscou de fora da área e obrigou Santos a trabalhar. O segundo, após cobrança de escanteio, perdeu chance sem goleiro em desvio desequilibrado.


NÃO DEU

O Vasco até chegou a virar o placar, aos 40 minutos, com Raul completando confusão dentro da área. A arbitragem, no entanto, invalidou o lance marcando falta de Henriquez em cima do goleiro do Athletico-PR.

Na base do abafa, o Vasco tentou chegar ao segundo gol. No último minuto, Clayton apareceu no segundo pau para desviar cruzamento, mas errou a finalização, mesmo com Santos batido.

PRÓXIMOS JOGOS
O Athlético-PR volta a jogar na quinta-feira contra o Fortaleza, às 21h30, na Arena da Baixada, em Curitiba. O Vasco ganha uma folga maior e joga apenas no domingo contra o Corinthians, às 11 horas, em São Paulo.

Vasco da Gama-RJ

Fernando Miguel;
Yago Pikachu, Leandro Castan, Henríquez e Danilo Barcelos;
Richard, Raul e Marcos Júnior (Andrey);
Rossi (Marrony), Ribamar (Clayton) e Talles Magno.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Athletico -PR

Santos;
Madson, Pedro Henrique (Lucas Halter), Léo Pereira e Abner Vinícius;
Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Everton Felipe);
Braian Romero, Marco Ruben (Thonny Anderson) e Rony.
Técnico: Tiago Nunes.
Classificação do brasileiro após a 20ª rodada

Classificação Série A

TIME J V E D SG PTS
Flamengo 20 14 3 3 +25 45
Palmeiras 20 12 6 2 +17 42
Santos 20 11 4 5 +8 37
Internacional 20 11 3 6 +9 36
Corinthians 20 9 8 3 +10 35
São Paulo 20 9 8 3 +9 35
Grêmio 20 8 7 5 +8 31
Bahia 20 8 7 5 +5 31
Athletico-PR 20 8 3 9 +6 27
Atlético-MG 19 8 3 8 +1 27
Botafogo 20 8 3 9 -2 27
Goiás 20 7 3 10 -12 24
Vasco da Gama 20 6 6 8 -8 24
Ceará 20 6 4 10 0 22
Fortaleza 20 6 4 10 -5 22
CSA 20 4 7 9 -16 19
Fluminense 20 5 3 12 -11 18
Cruzeiro 20 4 6 10 -13 18
Chapecoense 20 3 5 12 -16 14
Avaí 19 2 7 10 -15 13

 

Deixe uma resposta

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.