Rafael Silva (2º da direita para a esquerda) com o bronze durante evento em Paris
Rafael Silva (2º da direita para a esquerda) com o bronze durante evento em Paris

Rafael Silva começou a temporada de 2017 de maneira positiva. Neste domingo, competindo pela categoria acima de 100kg, o Baby garantiu a medalha de bronze no Grand Slam de Paris. Enfrentando o bósnio Harun Sadikovic, o brasileiro conseguiu aplicar um ippon para subir no pódio francês e ganhar confiança para as próximas competições.

“É importante começar a temporada com medalha, ainda mais em uma competição como o Grand Slam de Paris. O foco é a classificação para o Mundial e, garantindo essa vaga, também ter uma boa participação na competição, que é a mais importante do ano”, disse Rafael Silva.

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016, Baby iniciou sua jornada em Paris vencendo o senegalês Mbagnick, que foi punido trêz vezes e, consequentemente, eliminado. Nas quartas de final o brasileiro aplicou um wazari sobre Andrey Volkov, da Rússia.

Enfrentando um rival mais difícil na semifinal, Baby acabou empatado em punições com Takeshi Ojitani. No golden score ele recebeu mais uma punição por sair da área e acabou superado pelo japonês. Coube ao brasileiro se reerguer na disputa pelo bronze contra Sadikovic, aplicando um ippon restando dez segundos para o final do confronto.

“A redução de tempo deu uma dinâmica diferente de luta. Já vínhamos treinando para isso, mas sentir na pele é outra coisa. Outra mudança importante que mexeu um pouco com a forma de lutar foi o fato de as punições não definirem a luta como critério de desempate”, comentou Baby sobre a mudança de regulamento para este ano.