Resumo do futebol na Europa; confiram !

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br por ESPN.com.br.

Campeonato Italiano.

Antes ídolo e agora odiado: Higuaín irá rever torcida do Napoli duas vezes em 3 dias.

André Donke, do ESPN.com.br

GIUSEPPE CACACE/AFP/GETTY IMAGES
Higuaín não comemorou quando marcou contra o Napoli
Higuaín não comemorou quando marcou contra o Napoli

De ídolo a persona non grata… Nápoles era o céu de Gonzalo Higuaín. Hoje , o inferno. E hoje, de fato.

Depois de defender com brilho a camisa do Napoli, Gonzalo Higuaín volta a pisar no San Paolo. Desta vez, a torcida que tanto costumou comemorar os seus gols o receberá com vaias. Sua reputação nos Partenopei ruiu por completo.

Napoli e Juventus se enfrentam neste domingo, às 15h45 (de Brasília), pelo Campeonato Italiano, com transmissão da ESPN Brasil e WatchESPN. A Juve lidera a competição com 73 pontos, dez a mais do que o seu adversário, que é o terceiro colocado.

Contratado pelo Real Madrid por 39 milhões de euros em 2013, o atacante logo virou um dos destaques do time napolitano, pelo qual marcou 91 gols em 146 partidas. A equipe ganhou a Copa da Itália 2013-14, a Supercopa da Itália em 2014 e se encheu de esperança na árdua tarefa de peitar a Juventus, atualmente pentacampeã italiana.

Na última temporada, Higuaín consolidou-se como peça importante neste sonho. Apesar de o Napoli ter terminado com o vice na Série A, nove pontos atrás da Juve, o atacante enchia de expectativa o torcedor. Afinal, foi o artilheiro com incríveis 36 gols, quase o dobro do seu principal perseguidor: Dybala, da Juventus.

Então tudo mudou. Higuaín cedeu ao lado mais forte e transferiu-se para a Juventus.
O argentino pode ter fortalecido o caixa do Napoli com 90 milhões de euros, a transferência mais cara da história do futebol italiano, mas isso pouco importou a torcida. A atitude rendeu crítica até de um ídolo de outro time.

CARLO HERMANN/AFP/GETTY IMAGES

Atacante foi artilheiro do último Italiano
Atacante foi artilheiro do último Italiano

Depois do anúncio da ida de Higuaín a Turim, Francesco Totti, que defendeu a Roma durante a carreira inteira, foi enfático: “”Jogadores modernos são como nômades. Eles seguem o dinheiro, não o coração”. Vale lembrar que na época Pjanic trocara a Roma pela mesma Juventus.

Se os ‘pitos’ vieram até que não tinha nada a ver com a situação, imagina só o que veio das partes envolvidas.

“Algumas pessoas dizem que é exagerado falar em traição, mas eu acredito no contrário, porque tem pleno sentido de traição por causa da ingratidão mostrada. Obviamente, eu preciso considerar o lado da Juventus, mas eu esperava um comportamento diferente por parte do Higuain”, disse Aurelio De Laurentiis, dono e presidente do Napoli.

Depois de o atacante ter o culpado por sua saída, De Laurenttis respondeu. “Tentar dizer que sua contratação para ‘a nova família’ (da Juventus, parafraseando Higuaín) é minha culpa é faltar ao respeito com os napolitanos. Se não tem vergonha, pode trair essas pessoas”, declarou em julho.

“Se o senhor Gonzalo Gerardo Higuaín estava tão averso à minha presença, demorou muitos anos para perceber, a não ser que seja uma pessoa falsa ou um ótimo ator. Mas excluiria esta possibilidade: eu entendo de atores”, afirmou o presidente, que é um dos mais importantes produtores cinematográficos europeus.

Quem também comentou o assunto foi Edinson Cavani, outro atacante que brilhou no Napoli e que hoje defende o Paris Saint-Germain. “Todo mundo é livre para fazer o que quiser, mas o que eu posso dizer é que a escolhe que ele fez é uma que eu jamais teria feito”, disse Cavani em agosto.

  • O retorno a Nápoles

Assim que começou a temporada, a Juventus continuou a mostrar sua força, e Higuaín, os seus gols. No confronto direto entre a Velha Senhora e o Napoli pelo Italiano, ocorrido em Turim, vitória da campeã por 2 a 1 e com gol do atacante, que não comemorou.

GETTY

Nápoles prepara uma recepção para lá de hostil a Higuaín
Nápoles prepara uma recepção para lá de hostil a Higuaín

Neste domingo, o duelo volta a acontecer, só que em Nápoles, algo que será inédito desde que o centroavante trocou de camisa na Itália. E uma recepção nada agradável já é esperada. Há papel higiênico com o rosto estampado dele.

“Estamos esperando a volta dele há um ano. Ele disse que estava apaixonado com o Napoli, mas se foi por dinheiro. É um traidor. Vai ter que aguentar agora”, disse Bruno Alcidi, proprietário de um bar em Napoli que tem um lixo com a foto de Higuaín.

“Te garanto que haverá muito barulho. Tem um som particular de apito, um apitaço, que fazemos em Napoli. Vai começar assim que ele entrar em campo”, disse Daniele Bellini, locutor do estádio San Paolo.

Os melhores times e muitos clássicos: a maratona de 11 dias de futebol internacional nos canais ESPN

E tal clima hostil deverá se repetir logo. Afinal, na quarta-feira, três dias depois de enfrentar a Juventus pelo Campeonato Italiano, o Napoli irá encarar a rival novamente, só que pela semifinal da Copa da Itália. Na ida, o time de Turim triunfou por 3 a 1, em casa.

Independentemente do que aconteça, é certo que Gonzalo Higuaín terá uma semana inesquecível.

Milan faz gol contra bizarro e fica só no empate com lanterna do Italiano.

Um gol contra bizarro complicou a vida do Milan neste domingo. Jogando diante do lanterna do Campeonato Italiano, a equipe rubro-negra saiu atrás após uma trapalhada incrível do zagueiro Gabriel Paletta com o goleiro Gianluigi Donnarumma e ficou apenas no empate em 1 a 1 com o Pescara.

O lance inusitado que abriu o placar para os donos da casa aconteceu logo aos 12 minutos. Paletta estava pressionado no lado direito da defesa e recuou para o goleiro. Donnarumma, porém, não conseguiu dominar o passe – forte, é verdade – do companheiro e viu a bola morrer no fundo da rede.

O prejuízo da trapalhada só não foi maior porque, aos 41, o croata Mario Pasalic deixou tudo igual, aproveitando também uma “gentileza” da defesa do Pescara, que se atrapalhou toda para afastar bola dentro da área. O camisa 80 do Milan, que não tinha nada com isso, bateu sozinho e empatou.

Com a falha “minimizada”, Donnarumma ganhou apoio do torcedor no intervalo. Os rubro-negros presentes no estádio Adriatico-Giovanni Cornacchia aplaudiram o goleiro, que fez gesto de desculpas.

O empate impede que o Milan entre na zona de classificação às competições europeias no Italiano, ficando na sétima colocação, com 54 pontos, um a menos que a rival Internazionale, que ainda joga nesta 30ª rodada e hoje estaria se garantindo na Liga Europa de 2017/18, no quinto lugar.

Já o Pescara segue na última colocação, com apenas 13 pontos, já a nove do Empoli, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Com o empate, ao menos, o time encerrou série de quatro derrotas seguidas.

Em seu próximo compromisso, o Milan encara outra equipe ameaçada pelo descenso no Italiano, o Palermo, em casa; enquanto o Pescara enfrentará justamente o Empoli, como visitante.

Veja os resultados da manhã deste domingo no Italiano:

Pescara 1 x 1 Milan
Torino 2 x 2 Udinese
Genoa 0 x 5 Atalanta
Fiorentina 1 x 0 Bologna
Palermo 1 x 3 Cagliari
Chievo 1 x 2 Crotone.

Campeonato Espanhol.

Convocado pela Espanha, Deulofeu interessa Barcelona e pode ser mais uma ‘promessa recomprada’.

EMILIO ANDREOLI/GETTY IMAGES
Deulofeu foi convocado depois de apenas 10 jogos pelo Milan
Deulofeu foi convocado depois de apenas 10 jogos pelo Milan

A partida desta sexta-feira entre Espanha e Israel pelas Eliminatórias da Copa do Mundo marca um recomeço para um atleta que muitos já rotulavam como “eterna promessa”. Às 16h40, com transmissão da ESPN Brasil e do WatchESPN, Gerard Deulofeu estará vestindo o uniforme do seu país no estádio El Molinón, em Gijón.

O meia de 23 anos foi convocado pela segunda vez para a seleção espanhola. Sua 1ª oportunidade, entretanto, veio há quase três anos, antes do mundial de 2014, quando ainda era um menino que o Barcelona emprestava para ganhar experiência.

Promessa das categorias de base catalãs, o atleta de 1,79m saiu do clube sem receber muitas oportunidades. Porém, assim como Piqué, Fabregas, Bojan e outros na história recente, Deulofeu já desperta interesse no Barcelona em recuperar o atleta vendido anos atrás.

Com uma opção de recompra no contrato, o diretor Robert Fernandez admitiu que o retorno do camisa sete do Milan é uma opção: “Ele estava no Everton e não estava jogando. Se transferiu para o Milan, está jogando e foi convocado. Vamos esperar. É uma boa notícia ter essa possibilidade. Acho que o preço é de 12 milhões de euros para recuperá-lo.”

 

  • Barcelona vende e depois recompra

Vender atletas e depois recompra-los não é novidade nenhuma aos azuis-grenás. A torcida já viu essa situação cinco vezes nos últimos seis anos.

Os casos mais famosos são os de Fabregas e Piqué. O atual meia do Chelsea começou sua trajetória nas categorias de base do Barcelona, mas foi vendido com apenas 16 anos para o Arsenal, em 2003, por 3,2 milhões de euros. Oito anos depois, os espanhóis trouxeram “Cesc” de volta – dessa vez, pagando 34 milhões de euros, segundo o site especializado Transfermarkt.

GETTY IMAGES

Piqué atuou no Manchester United
Piqué atuou no Manchester United

O zagueiro, por outro lado, saiu por valores parecidos com aqueles pelos quais foi repatriado. Ainda na categoria juvenil, Piqué foi comprado pelo Manchester United em 2004. Quatro anos depois, retornou à Catalunha.

Boján Krkic é outro nome a fazer o vai e volta. Em 2012, foi negociado com a Roma por 12 milhões de euros, retornando um ano depois por valores parecidos.

Também estão na lista Denis Suárez e Jordi Alba. O atacante foi adquirido das categorias de base do Manchester City, vendido posteriormente ao Villarreal e recomprado um ano depois. Já o lateral saiu do Barcelona antes de se tornar profissional e voltou por 14 milhões de euros, destinados ao Valencia.

  • O recomeço em 10 jogos

A mudança na vida de Deulofeu foi repentina e começou há dois meses, quando se transferiu para o Milan. Em apenas 10 partidas, ele marcou um gol e distribuiu três assistências, sendo titular em oito delas e ganhando a confiança do treinador italiano Vincenzo Montella. Foi o suficiente para convecer Julen Lopetegui a convoca-lo para a seleção da Espanha.

A viagem à Itália foi selada no dia 23 de janeiro deste ano, quando o Everton decidiu emprestá-lo. O meia não tinha espaço com o técnico Ronald Koeman na Premier League: foram 13 aparições, cinco delas como titular, nenhum gol e só uma assistência.

GETTY IMAGES

Deulofeu no Barcelona
Deulofeu no Barcelona

A má fase acontecia em sua segunda temporada no time sediado em Liverpool. Em 2015/16, primeira campanha de Deulofeu após ser vendido pelo Barcelona à Inglatera por 6 milhões de euros, ele conseguiu quatro gols em 33 jogos. Um ano antes, atuou no Sevilla, emprestado.

Foi em 2011 que o meia nativo da Catalunha jogou pela primeira vez no time principal do Barcelona. Porém, ele teve poucas chances no Camp Nou. Já na temporada 2012/13, foram apenas quatro aparições. Em 2014, ele foi emprestado para o próprio Everton, mas ainda como jogador dos catalães.

A convocação de Deulofeu surpreendeu a muitos e sua recuperação na carreira pode ser meteórica. Para isso, ele precisa aproveitar a oportunidade, se for escolhido para entrar em campo pela seleção espanhola. A “Fúria”, depois de enfrentar Israel, viaja a Paris para duelar com a França em amistoso na próxima terça-feira.

Campeonato Inglês.

 

A genialidade de Coutinho reaparece na reta final de Premier League.

Por Pedro Henrique, do Liverpool FC Brasil.

A temporada 2016/17 da Premier League está chegando ao fim e a briga pelas primeiras posições está cada vez mais intensas. Ontem enfrentamos o Everton, nosso rival da cidade (dominada por nós), e vencemos com propriedade, por 3 a 1. Até aí tudo certo, clássico, vitória, boa partida, três pontos importantíssimos. Mas a chave da vitória foi a ótima atuação de Philippe Coutinho, que fez pura magia no gramado de Anfield Road.

 

Desde que voltou de lesão, lá em janeiro, Coutinho apresentou uma queda terrível em seu rendimento e não conseguia nem de longe ser o jogador que era antes de se lesionar – apontados por muitos como o melhor da Premier League até então.

 

Na seleção Brasileira, Coutinho enfim reencontrou seu bom futebol, marcando gol e atuando bem diante do Paraguai. Mas isso não era o suficiente, o nosso pequeno mágico precisava voltar a jogar bem pelo Liverpool, que depende muito dele, ao contrário da seleção.

 

O Everton era a nossa último grande adversário no campeonato e talvez o clima do jogo tenha feito o brasileiro voar em campo, apresentando o que todos esperam dele. Coutinho precisou apenas de 2 tentativas para marcar 1 gol, além de dar 1 assistência e criar 3 boas chances.

 

Saindo dos números, Coutinho participou muito bem taticamente, se movimentando da esquerda para a direita com frequência, levando assim a marcação, como foi no primeiro gol, marcado pro Sadio Mané. Outro ponto que vale destaque é a confiança que o nosso camisa 10 mostrava, coisa que não acontecia desde sua lesão.

 

Coutinho definitivamente acabou com o Everton.

 

Getty Images

Getty Images
Klopp é o primeiro treinador do Liverpool a vencer seus três primeiros Merseyside Derby na Premier League

 

Eu, como sempre criticando, vou dizer aqui que o brasileiro sempre apresentou um futebol inconstante, apesar da sua genialidade, e nessa reta final precisará jogar como nunca, esquecendo possível transferência para o Barcelona e todas as outras coisas que possam tirar o foco na missão atual, que é garantir vaga direta na UEFA Champions League.

 

Sem Lallana e Mané – o senegalês não preocupa tanto, mas ainda irá realizar exames -, ambos lesionados, e com Firmino dormindo em campo, como tem sido nos últimos jogos, a tarefa de Coutinho se tornou ainda mais difícil. Mas competência para isso todos nós sabemos que ele tem.

 

Nosso próximo adversário será o Bournemouth, na próxima quarta feira, dia 5, em Anfield Road.

 

PS: Barkley açougueiro e caneludo!

 

#YNWA #REDORDEAD #FICACOUTINHO #VAILIVERPOOL

 

Após 5ª vitória seguida, técnico do Leicester bate recorde entre britânicos: ‘Estou orgulhoso’.

PLUMB IMAGES/LEICESTER CITY FC VIA GETTY
Craig Shakespeare Tecnico Leicester Stoke City Premier League 01/04/2017
Craig Shakespeare durante mais uma vitória do Leicester na Premier League

O Leicester não perde uma partida desde que Claudio Ranieri deixou o comando do time e a equipe está em uma sequência de cinco vitórias consecutivas. Com isso, o treinador Craig Shakespeare bateu uma marca interessante. Ele se tornou o primeiro técnico britânico a vencer os seus quatro primeiros jogos no Campeonato Inglês, após os Foxes baterem o Stoke City por 2 a 0, neste sábado.

“Me falaram (sobre o feito). Estou orgulhoso, mas também estou feliz por todos associados do clube”, disse ele.

Para se ter uma ideia, nem a lenda Sir Alex Ferguson, que conquistou 13 vezes a Premier League com o Manchester United, conseguiu esse feito, sendo derrotado na sua primeira partida pelo Sheffield United na temporada 1992/93.

Shakespeare vem desfrutando de uma forma invejável desde que assumiu o comando dos Foxes. O treinador interino venceu suas cinco partidas, levou os Leicester para as quartas de final da Liga dos Campeões e ainda conseguiu abrir seis pontos do primeiro time que está na zona de rebaixamento do Campeonato Inglês e se colocou em posição de terminar o torneio na parte de cima da tabela.

Durante sua campanha invicta do seu interino, os Blues sofreram apenas quatro gols, sendo dois no mesmo jogo, e balançou as redes incríveis 13 vezes, tendo média de 2,6 gols por partida.

Shakespeare tentará continuar sua boa sequência na próxima terça-feira, quando o Leicester irá receber o Sunderland. Já a caminhada na Champions League continua na quarta-feira, dia 12 de abril, em jogo no Vicente Calderón contra o Atlético de Madrid.

 

Klopp agradece Tite por Coutinho e Firmino: ‘Nos devolveu os dois com o ânimo fantástico’

GETTY IMAGES
Philippe Coutinho marcou um golaço na vitória por 3 a 1 sobre o Everton
Philippe Coutinho marcou um golaço na vitória por 3 a 1 sobre o Everton

Após a importante vitória do Liverpool sobre o Everton neste sábado, por 3 a 1, o técnico Jurgen Klopp ficou bastante satisfeito com o desempenho de seu time. O alemão elogiou Philippe Coutinho, que marcou um golaço e foi um dos destaques da partida, além de ter mandado um recado para a equipe técnica da seleção brasileira.

“A vitória foi merecida”, avaliou Klopp. Sadio Mané abriu o placar ainda no primeiro, mas viu Pennington igualar para o time visitante. Pouco depois a estrela do brasileiro brilhou: Coutinho driblou os marcadores e marcou uma pintura, recolocando os Reds na frente.

“Acho que ninguém deu assistência para Phil ou Sadio, o mérito é totalmente deles”, disse o comandante, que não poupou elogios ao camisa 11.

“Foi um gol de classe mundial, outra finalização fantástica, e ele ainda deu o passe para o gol de Div. Coutinho fez uma partida muito, muito boa, ótima para nós, e ele não ficou feliz quando eu o substituí. Gosto deste desejo dele, mas achei que neste jogo, como já tinha perdido um jogador ofensivo, fazia sentido poupar o outro”, continuou.

No segundo tempo, Origi aproveitou o passe de Coutinho e fez o terceiro do Liverpool, selando a vitória do time da casa.

Klopp aproveitou a coletiva para agradecer o apoio e o suporte da equipe de Tite, já que o Liverpool fez questão de fretar um avião para buscar Coutinho e Roberto Firmino após a vitória sobre o Paraguai, válida pelas eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

“Nós conversamos bastante sobre a seleção. Não foi legal o fato de eles terem que sair de qualquer lugar para ir a outro lugar, mas obviamente tenho que agradecer a comissão técnica do Brasil, porque nos devolveu os dois garotos (Coutinho e Firmino) com o ânimo fantástico”, finalizou.

Na terceira colocação da Premier League, com 59 pontos, a equipe briga por uma vaga na próxima edição da Champions League. O próximo compromisso do Liverpool é na próxima quarta-feira, quando recebe o Bournemouth em Anfield.

 

Copa da Liga Francesa.

Copa da Liga: PSG volta a honrar a camisa.

Por Vinícius Ramos, do Ici c’est Paris.

Getty Images

Getty Images
Paris goleou o ótimo Monaco na final da Copa da Liga

 

O dia 1º de abril é conhecido como o Dia Mundial da Mentira, mas a França teve sua dose de verdade hoje. Do verdadeiro Paris Saint-Germain. Em um Parc OL lotado e com o clima de final que PSG e Monaco merecem, dentro de campo vimos uma grande partida, com ambas as equipes partindo para cima buscando a taça. Ao final, deu Paris, com um ataque arrasador e uma raça que há tempos não víamos. Desde o dia 14 de fevereiro, para ser mais exato.

 

O Monaco faz uma temporada exuberante. Está nas quartas da Champions, eliminando o City de Guardiola com propriedade, e lidera a Ligue 1 da mesma forma. Para mim, é a melhor equipe francesa este ano. Mas o Paris hoje jogou como Paris, sem medo de quem é melhor tecnicamente, como nossa história sempre demonstrou. Atuou com raça, brigando em cada dividida, vibrando a cada bola rebatida. Quando jogamos assim, podemos até perder, mas sempre sairemos de cabeça erguida. E é isso o que o torcedor parisiense mais precisa e merece neste momento.

 

Não, o vexame na Catalunha não será superado e jamais esquecido, aconteça o que acontecer. Mas estes profissionais do clube têm a chance de construir uma nova história e reconquistar a confiança daqueles que ainda sofrem pelo que passou. E esta nova página começou a ser escrita hoje, com uma goleada lindíssima diante de um gigante francês que costuma levar a melhor contra a gente.

 

Obrigado pela conquista, parisienses. Nunca se esqueçam da camisa que vestem e o que ela representa. Hoje, vocês nos deram orgulho.

 

ICI C’EST…PARIS!!!!!!

 

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta