Resumo do melhor no UFC 214; confiram os resultados dos Cards !

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br por espn.com.br

Jon Jones nocauteia Cormier com chute espetacular e recupera cinturão.

GETTY
Chute de Jon Jones acabou com o duelo contra Cormier
Chute de Jon Jones acabou com o duelo contra Cormier

Simplesmente um dos maiores lutadores de todos os tempos. Ou o maior lutador da atualidade. Jon Jones não quis saber do tempo em que estava afastado dos octógonos – quase um ano e meio – e recuperou o cinturão que nunca perdeu com um chute espetacular e um nocaute para cima do arquirrival Daniel Cormier.

“É um momento tão lindo. Eu fiz muitas coisas boas para voltar aqui. Se você que está em casa se decepcionou consigo mesmo, decepcionou alguém… não acabou! Eu estou aqui de volta. Eu sempre tive os fãs mais legais e eu queria agradecer demais. E mesmo quem tentou me colocar para baixo. Eu amo vocês, vocês me inspiraram a estar de volta”, disse Jon Jones, chorando no octógono.

“É um momento tão lindo. Eu fiz muitas coisas boas para voltar aqui. Se você que está em casa se decepcionou consigo mesmo, decepcionou alguém… não acabou! Eu estou aqui de volta. Eu sempre tive os fãs mais legais e eu queria agradecer demais. E mesmo quem tentou me colocar para baixo. Eu amo vocês, vocês me inspiraram a estar de volta”, disse Jon Jones, chorando no octógono.

Jon Jones começou a luta com tudo. Aos poucos, porém, Daniel Cormier conseguiu responder e até tomou controle da luta em alguns momentos, com os melhores golpes conectados. No terceiro round, porém, Cormier vacilou e abaixou a guarda. Jones aproveitou e conectou um chute na cabeça do rival que abriu o caminho para o triunfo. Daniel saiu cambaleando, e Jon partiu com tudo para fechar o duelo.

“Eu queria agradecer ao Daniel Cormier por ser meu maior rival e meu maior motivador. Ele não tem nenhuma razão para abaixar a cabeça. Ele tem sido um modelo de lutador, de pai, de marido. Ele vai ser um campeão pelo resto da vida. Parabéns, Cormier. Eu espero que você tenha grandes momentos em toda a sua vida”, disse Jon Jones, indo até o rival para abraçá-lo, beijá-lo e cumprimenta-lo.

Cormier também foi aos prantos no octógono, mas por decepção.

“Eu achei que estava indo bem na luta. Eu não sei o que aconteceu. Se você perde duas vezes, não há rivalidade”, disse, bastante decepcionando e sem conseguir segurar o choro.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO UFC 214:

CARD PRINCIPAL:

Jon Jones (EUA) nocauteou Daniel Cormier (EUA) aos 3’01 do 3º round – pelo cinturão dos meio-pesados

Tyron Woodley (EUA) venceu Demian Maia (BRA) na decisão unânime dos jurados (50-45, 49-16 e 49-46) – pelo cinturão dos meio-médios

Cris Cyborg (BRA) noocauteou Tonya Evinger (EUA) a 1’56 do 3º round – pelo cinturão feminino dos penas

Robbie Lawler (EUA) venceu Donald Cerrone (EUA) na decisão unânime dos jurados (triplo 29-28) – meio-médios

Volkan Oezdemir (RUS) nocauteou Jimi Manuwa (ING) a 0’22 do 1º round – meio-pesados

CARD PRELIMINAR:

Ricardo Lamas (EUA) nocauteou Jason Knight (EUA) aos 4’34 do 1º round – penas

Aljamain Sterling (EUA) venceu Renan Barão (BRA) na decisão unânime dos jurados (29-28, 29-27 e 30-26) – peso casado (63,5kg)

Brian Ortega (EUA) finalizou Renato Moicano (BRA) com uma guilhotina aos 2’59 do 3º round – penas

Calvin Kattar (EUA) venceu Andre Fili (EUA) na decisão unânime dos jurados (triplo 30-27) – penas

Alexandra Albu (RUS) venceu Kailin Curran (EUA) na decisão unânime dos jurados (triplo 29-28) – palhas

Jarred Brooks (EUA) venceu Eric Shelton (EUA) na decisão dividida dos jurados (29-28, 28-29 e 29-28) – moscas

Drew Dober (EUA) nocauteou Josh Burkman (EUA) aos 3’01 do 1º round – leves.

 

Cyborg nocauteia americana e finalmente é campeã do UFC.

Cyborg nocauteou e ficou com o cinturão do UFC
Cyborg nocauteou e ficou com o cinturão do UFC

Cris Cyborg sempre foi vista como uma das melhores lutadoras do mundo e só ficava atrás de Ronda Rousey porque lhe faltava o cinturão no UFC, a principal competição de MMA do planeta.

Não falta mais!

Depois de muita espera, a brasileira finalmente teve a chance de lutar pelo cinturão na categoria que é a dela, a dos pesos penas, sem precisar ‘se matar’ para cortar peso. E ela não quis saber de dar chance ao azar. Com um nocaute no terceiro round, bateu a norte-americana Tonya Evinger e levou o título para casa.

Vale lembrar que o cinturão estava vaga. A alemã Germaine de Randamie até o conquistou em fevereiro ao bater Holly Holm na estreia da categoria, mas acabou ficando sem ele por se negar a enfrentar Cyborg e falar em voltar à categoria de baixo, a dos galos.

“Muitas coisas aconteceram na minha carreira. Agora aprendi a trabalhar com calma, lutar com calma. Estou muito feliz com o cinturão, acho que estou no auge da minha carreira”, disse Cyborg.

A brasileira agora tem 18 vitórias em 20 lutas na carreira. Destas, nada menos que 16 foram por nocaute. Ela só perdeu uma vez, ainda na estreia no MMA, em 2005. O outro combate era outra vitória de Cyborg, mas acabou sem resultado depois de ela ter sido pega em um exame antidoping.

A vitória deste sábado foi maiúscula. Cyborg dominou o tempo inteiro, flertou sempre com o nocaute e nunca foi ameaçada. No fim, conseguiu nocautear uma atleta que nunca havia sido nocauteada em toda a carreira.

Barão volta a perder, Moicano cai em duelo de invictos e Brasil começa mal o UFC 214.

Barão acabou superado por Sterling no UFC 214
Barão acabou superado por Sterling no UFC 214

O começo do UFC 214 não foi nada bom para o Brasil: duas derrotas em duas lutas no card preliminar.

O primeiro a ser derrotado foi Renato Moicano. Ele, que vinha em rápida ascensão no Ultimate, acabou perdendo sua invencibilidade diante de Brian Ortega, que também vinha invicto.

O brasileiro até fez uma boa luta. O combate se desenvolveu equilibradíssimo até o terceiro round. Moicano tentou uma queda e até teve sucesso. No movimento, porém, Ortega aproveitou para laçar o pescoço do brasileiro e conseguiu o triunfo com uma guilhotina.

É a primeira derrota em 13 lutas de Moicano na carreira – ele tem 11 triunfos e um empate. Já Ortega aproveita para decolar ainda mais. Agora ele tem 12 triunfos e uma luta sem resultado no cartel quase perfeito.

GETTY

Ortega aproveitou tentativa de queda para finalizar Renan Barão
Ortega aproveitou tentativa de queda para finalizar Renan Barão

 

Logo em seguida foi a vez de um brasileiro ‘mais famoso’ ser derrotado. Diante da promessa norte-americana Aljamain Sterling, Renan Barão não conseguiu fazer o suficiente e acabou batido na decisão unânime dos jurados.

O combate, que aconteceu em peso casado, também foi bem equilibrado. Sterling, porém, teve clara vantagem a partir do segundo round, quando conseguiu pegar as costas do brasileiro e acabou castigando por cima no chão.

Barão até vinha de triunfo, mas conhece agora a sua quarta derrota nas últimas seis lutas. Agora, ele fica com 34 triunfos e cinco revezes, além de uma luta sem resultado, no cartel.

Já Sterling segue se recuperando e encaixa a segunda vitória seguida depois de perder sua invencibilidade na carreira. Agora, são 14 triunfos e dois revezes no cartel.

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta