Resumo da corrida São Silvestre masculino e feminino; confiram.

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br por agência Gazeta Press.

Admasu conquista bicampeonato da São Silvestre; brasileiro termina em 11°.

Depois de um início de prova intenso, o corredor nascido na Etiópia e naturalizado barenita Dawit Admasu teve um tempo de 44m17s chegou na primeira posição, conquistando o bicampeonato da corrida.

A prova masculina da 93ª Corrida Internacional de São Silvestre foi marcada por muita chuva, mas também uma disputa bastante equilibrada pelo mais alto lugar no pódio. Depois de um início de prova intenso, o corredor nascido na Etiópia e naturalizado barenita Dawit Admasu teve um tempo de 44m17s chegou na primeira posição, conquistando o bicampeonato da corrida. Com isso, a disputa entre homens continua sem um campeão brasileiro desde a edição de 2010, quando o vencedor foi Marílson Gomes dos Santos.

Depois de não começar entre os primeiros no início da prova, Admasu apresentou excelente resistência e mostrou porque era um dos favoritos para ganhar a prova masculina. O etíope foi o campeão em 2014 e na edição do ano passado terminou na segunda colocação e agora é mais um atleta com duas conquistas na Corrida Internacional de São Silvestre.

Além de Admasu , outro etíope terminou entre os cinco primeiros da prova masculina. Belay Bezabh brigou na reta final pelo principal lugar da corrida e ficou com a segunda posição. Já Paul Kipchumba Lonyangata se esforçou até os metros finais para garantir a quinta posição e fechar o pódio, segundo queniano no pódio. Já o melhor brasileiro foi Ederson Vilela, que terminou na 11° posição.

A corrida – Assim que a largada foi dada, o primeiro pelotão destacou-se do restante já nos metros e quilômetros iniciais, situação comum durante a Corrida Internacional de São Silvestre. Nos primeiros minutos de prova o brasileiro Andre Luiz Silva Antonio era o corredor a frente dos demais, logo após a saída da Avenida Paulista, local de largada da prova.

Pouco tempo depois, o grupo formado por alguns favoritos já se distanciou dos demais. Com o brasileiro Wellington Bezerra da Silva entre eles, os dois destaques eram os quenianos Paul Kipkorir Kipkemoi e Stanley Biwott que lideravam o montante.

Com pouco mais de dez minutos de prova, um pequeno deslize marcou a prova masculina. Wellington Bezerra da Silva escorregou e acabou entrelaçando as pernas durante o trajeto do Pacaembu, derrubando acidentalmente o queniano Edwin Rotich. No entanto, mesmo com a pausa devido à queda, o africano mostrou incrível poder de reação e tomou a liderança da prova após 15 minutos desde a largada da 93ª Corrida Internacional de São Silvestre.

A subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio não foi um problema para o campeão de 2017. A diferença para o segundo colocado Belay Bezabh chegou a diminuiu, porém Admasu permaneceu com o ótimo desempenho e garantiu pela segunda vez o lugar mais alto do pódio da 93ª Corrida Internacional de São Silvestre.

Veja o pódio da prova masculina:

1: Dawitt Admasu (ETI) – 44m17s

2: Belay Bezabh (ETI) – 44m33s

3: Edwin Rotich (QUE) – 44m43s

4: Birhanu Balew (BAH) – 45m06s

5: Paul Kipchumba Lonyangata (QUE) – 45m28s

11: Ederson Vilela (BRA)

 

Queniana, Flomena Cheyech vence prova feminina da São Silvestre.

Para conseguir um resultado diferente da temporada passada, a atleta adotou uma estratégia diferente da do ano passado.

A prova feminina da 93ª Corrida Internacional de São Silvestre teve como vencedora uma corredora já conhecida da prova. Segunda colocada na edição do ano passado, Flomena Cheyech Daniel, corredora do Quênia, conquistou a vitória neste ano com o tempo de 50min18s.

Para conseguir um resultado diferente da temporada passada, a atleta adotou uma estratégia diferente da do ano passado. Com um ritmo intenso desde os primeiro metros, a corredora que disputou utilizando o número 1 no peito, abriu uma enorme vantagem logo no início. Na edição passada, a escolha de Flomena havia sido ter um começo de prova menos desgastante, porém a recuperação final não atingiu o resultado esperado, apesar de um tempo melhor em relação ao deste ano: 49min15s.

A corrida – Não demorou muito para que um pelotão de frente se destacasse logo nos primeiros quilômetros. Lideradas pela queniana Flomena Cheyech Daniel desde os primeiros momentos, o grupo já consegui desgrudar do restante.

Antes mesmo das competidoras completar os primeiros 5 quilômetros de prova, a competidora que corria exibindo o número conseguiu abrir uma boa vantagem sobre as suas adversárias. Durante a sua passagem ao lado do Estádio do Pacaembu, a queniana já havia aberto uma distância considerável de 100 metros sobre as concorrentes.

A vantagem de Flomena Cheyech só aumentava. Com pouco mais de 10 quilômetros de prova, a corredora conseguia correr sob o Viaduto Nove de Julho já sem nenhuma concorrente a sua volta.

Quando a corredora queniana, que chegou na segunda colocação da 92ª edição da São Silvestre do ano passado, atingiu a parte mais complicada da prova, a temida subida da Avenida Brigadeiro Luis António, a sua vantagem era muito promissora, tanto que quando olhava para trás, a corredora não conseguia enxergar a sua adversária mais próxima, a etíope Sintayehu Hailemichael.

Nos metros finais da prova, já dentro da Avenida Paulista, a corredora teve a certeza de vitória. Extremamente ovacionado pelo público, Flomena Cheyech encerrou a disputa com uma vantagem de quase 350 metros em relação as demais corredoras, e encerrou a prova com um tempo de 50min18s, conquistando o título da 93 edição da Corrida Internacional de São Silvestre.

Confira o pódio da prova feminina da São Silvestre:

1: Flomena Cheyech (QUE) – 50min18s

2: Sintayehu Hailemichael (ETI) – 50min55s

3: Birhane Dibaba (ETI) – 50min77s

4: Wude Ayalew Yimer – 51min35s

5: Paiskalia Chepkorir – 51min55

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta