Brasil briga pela semifinal no maior jogo da ‘ótima geração’ belga; confira os detalhes do confronto decisivo.

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br por espn.com.br

Em quatro jogos nesta Copa do Mundo de 2018, o Brasil já enfrentou diferentes tipos de seleções – defensiva, retrancada, física e leve. Nesta sexta-feira, em Kazan, pelas quartas de final, a equipe comandada por Tite terá pela frente um time que similar ao seu: a posse de bola é o que vale.

A expectativa por um “jogo bonito” entre Brasil e Bélgica pelas quartas de final na Rússia é grande. Afinal, a seleção pentacampeã mundial e a “ótima geração” belga possuem jogadores talentosos, habilidosos e que gostam de ir para o ataque.

Para a equipe canarinho, porém, enfrentar um europeu na fase mata-mata de uma Copa não tem sido tarefa fácil: desde o título de 2002, o Brasil não vence uma seleção do Velho Continente em confronto direto.

Em 2006, após ganhar de Gana nas oitavas, a equipe comandada por Carlos Alberto Parreira caiu para a França – gol de Thierry Henry, hoje auxiliar-técnico da Bélgica.

Quatro anos depois, na África do Sul, vitória sobre o Chile e queda para a Holanda também nas quartas, uma virada que marcou a geração dirigida por Dunga.

Na Copa do Mundo em casa, após passar por Chile e Colômbia, o Brasil viveu seu inferno astral com derrotas para Alemanha (7×1) na semifinal e Holanda (3×0) na disputa pelo terceiro lugar.

Na campanha do penta, a seleção de Luiz Felipe Scolari deixou para trás a própria Bélgica (oitavas), Inglaterra (quartas), Turquia (semifinal) e Alemanha (decisão).

Caso passe pela Bélgica, ainda poderá ter pela frente a França na semifinal e numa eventual decisão outro europeu – Rússia, Croácia, Inglaterra ou Suécia.

Para os belgas, o jogo é visto como o maior da sua chamada “ótima geração”. Afinal, além de brigar por uma semifinal, terá pela frente o Brasil, cinco vezes campeão mundial.

Para o duelo desta sexta, Tite promoverá o retorno de Marcelo à lateral esquerda após praticamente dois jogos ausente por um problema nas costas – Filipe Luis volta para o banco. E Fernandinho foi confirmado como titular no meio-campo na vaga do suspenso Casemiro.

Por outro lado, Danilo se machucou no treino da véspera e está fora da Copa do Mundo (ainda assim, seguirá com a delegação).

Na Bélgica, o técnico Roberto Martínez poderá colocar Fellaini e Chadli, heróis na virada contra o Japão nas oitavas, nas vagas de Mertens e Carrasco, respectivamente.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X BÉLGICA

Data: 06 de julho de 2018, sexta-feira
Horário: 21h de Moscou, 15h de Brasília
Local: Arena Kazan, em Kazan
Árbitro: Mirolad Mazic (SER)
Assistentes: Milovan Ristic e Dali Djurdjevic (ambos SER)

Brasil: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Fernandinho, Philippe Coutinho e Paulinho; Willian, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite

Bélgica: Courtois; Vertonghen, Kompany e Alderweireld; Meunier, Witsel, De Bryune e Carrasco (Chadli); Hazard, Mertens (Fellaini) e Lukaku. Técnico: Roberto Martínez.

 

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta