32ª rodada começou ontem com 03 jogos, continua hoje com a realização de mais 06 jogos, e termina amanhã com Sport/Pe x Ceará. Confira todos os detalhes aqui

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br direto da redação.

Com risco de queda para a Série B, o Tricolor terá um confronto direto diante da Chapecoense, no domingo (4), às 18h (horário local), na Arena Fonte Nova, para se afastar ainda mais do Z-4 da competição.

Bahia recebe a Chape para fugir da degola e esquecer eliminação na Sula.

Na última quarta-feira, o Bahia acabou sendo eliminado da Copa Sul-Americana para o Atlético-PR, nos pênaltis. Agora, o Esquadrão de Aço volta todas as suas atenções ao Campeonato Brasileiro. Neste domingo, a equipe recebe a Chapecoense, na Fonte Nova às 19h00 (horário de Brasília), pela 32ª rodada da competição.

Com 37 pontos e na 12ª colocação, o time comandado por Enderson Moreira precisa da vitória. Assim, além de abrir vantagem para o adversário desta rodada, praticamente descartará o rebaixamento no Brasileirão deste ano e pode ficar mais próximo de uma vaga na Sula do ano que vem.

O zagueiro Douglas Grolli, autor do gol diante do Furacão, comentou sobre um possível reencontro com o seu ex-clube e saiu em defesa de Zé Rafael e Vinícius, atletas que desperdiçaram as cobranças na marca da cal.

“Sempre motivo de alegria poder jogar contra o ex-clube. Se eu tiver uma oportunidade, vou procurar dar meu melhor para conseguir fazer um grande jogo e ajudar o Bahia. Pênalti é complicado, tem dias que as coisas acontecem de maneira melhor e outras não. São dois grandes batedores, ás vezes acontece. Vinícius e Zé têm nossa confiança, porque eles nos ajudaram o ano todo, então eles têm mais que crédito”, afirmou o jogador.

Enderson, tem problemas para escalar sua equipe. Os zagueiros Tiago e Everson mostraram recuperação de lesão, mas ainda estão na fase transição e seguem fora. Já o centroavante Gilberto, que foi ausência em jogos anteriores, segue em tratamento de uma lesão no joelho e não deve pegar os catarinenses. Edigar Junio e Junior Brumado disputam uma vaga.

Ainda no sistema defensivo, Jackson e Douglas Grolli disputam uma vaga entre os titulares, ao lado de Lucas Fonseca, na zaga. Zé Rafael, é dúvida, pois vem participando de várias partidas e vem sentindo com o desgaste físico.

Chape testa mudanças, mas equipe deve ser a mesma

Pelo lado da Chapecoense, o time vem crescendo, e somando 34 pontos já se aproxima de deixar a zona de rebaixamento do Brasileirão. A última vitória frente ao América-MG, na Arena Condá deixou a equipe ainda mais motivada, e vai buscar os três pontos em Salvador, para quem sabe deixar a degola.

Antes da viagem, no último treinamento, o técnico Claudinei Oliveira deu a entender que poderia fazer mudanças na escalação inicial. No entanto, apesar dos testes, os titulares devem ser os mesmos que bateram o Coelho.

Douglas, zagueiro da Chape comentou sobre a eliminação do Bahia. Para o jogador, a situação no influencia em nada, pediu atenção aos seus jogadores, e também lamentou o fato da equipe ter tropeçado em confrontos diretos, que poderiam deixar o time em situação melhor do que a atual.

FICHA TÉCNICA

BAHIA X CHAPECOENSE

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 4 de novembro de 2018, domingo

Horário: 19 horas (horário de Brasília)

Árbitro: Flávio Rodrigues de Guerra (SP)

Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo, ambos de SP

BAHIA: Douglas; Nino Paraíba(Bruno), Jackson(Grolli), Lucas Fonseca e Léo; Nilton, Gregore e Ramires; Clayton(Zé Rafael), Elber e Edigar Junio(Júnior Brumado).

Técnico: Enderson Moreira

CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Barreto, Canteros e Doffo; Osman e Leandro Pereira.

Técnico: Claudinei Oliveira.

Vasco vence Flu no Maracanã e se distancia da zona de rebaixamento.

A estrela de Maxi López brilhou novamente. Neste sábado, no Maracanã, o Vasco contou com um gol de pênalti do atacante argentino para vencer o Fluminense por 1 a 0, em jogo válido pela 32ª rodada do Brasileirão, e se distanciar da zona de rebaixamento. Com o resultado, a equipe de Alberto Valentim chega ao 12º lugar, com a mesma pontuação do Corinthians, 11º, mas com uma vitória a menos. Já o time de Marcelo Oliveira para na 10ª posição, com 41 pontos.

O único gol da partida veio após penalidade cometida por Paulo Ricardo. Aos 11 minutos da etapa final, Thiago Galhardo, que havia acabado de entrar no lugar de Fabrício – vaiado novamente -, recebeu na ponta direita e cruzou. A bola bateu no braço direito do zagueiro do Flu, e o árbitro Luiz Flávio de Oliveira anotou o pênalti. Na cobrança, Maxi López descolou Júlio César e chegou ao seu 7º tento em 15 jogos com a camisa vascaína.

O final da partida ficou marcado pela pressão do Flu. Melhor para Martín Silva, que se virou como pôde para segurar o resultado. Após 49 minutos de jogo no segundo tempo, o árbitro encerrou o jogo e decretou a vitória por 1 a 0 do Vasco. Com o apito, confusão: Junior Sornoza arrumou problema com Rildo e acabou levando cartão vermelho.

Agenda

Na próxima rodada, o Vasco vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio, domingo, a partir de 17h00 (de Brasília). O Flu entra em campo antes, já na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), contra o Atlético-PR, em partida válida pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana.

O jogo

O Fluminense saiu para o ataque desde os primeiros minutos, e o lateral Ayrton Lucas era o mais acionado pelo lado esquerdo. O Vasco se mostrava mais cauteloso, deixando a iniciativa para o adversário. Mesmo assim, o time de São Januário chegou primeiro com um chute de Yago Pikachu que não levou perigo.

O Fluminense respondeu aos sete minutos com boa jogada de Ayrton Lucas que se livrou da marcação e bateu forte, mas a bola desviou em Werley e saiu para escanteio.

O jogo ficou mais aberto e o Vasco passou a se comportar de forma mais agressiva, colocando a defesa tricolor em dificuldades. Após cruzamento, Fabrício cabeceou e Júlio César fez a defesa.

Aos 22 minutos, o primeiro grande momento de vibração. Matheus Alessandro foi derrubado por Luiz Gustavo na entrada da área. Luciano bateu, a bola desviou na barreira e se chocou com o travessão quando Martín Silva já estava batido. A jogada animou o Tricolor das Laranjeiras e, aos 25 minutos, Luciano voltou a concluir com perigo, mas a bola saiu.

Aos 31 minutos, o Fluminense criou nova chance para marcar. Digão fez bom lançamento para Luciano que concluiu para grande defesa de Martin Silva. O Vasco seguia encontrando dificuldades para penetrar na defesa tricolor e gastava mais energia tentando evitar que o adversário chegasse ao gol.

Aos 41 minutos, Léo recebeu bom passe na direita e cruzou para a entrada de Luciano, mas o zagueiro Luiz Gustavo conseguiu evitar que a bola chegasse ao atacante.

No final do primeiro tempo, as duas torcidas se uniram para vaiar a má atuação das suas equipes.

Os dois times voltaram sem modificações para o segundo tempo. Logo aos três minutos, Léo cruzou e Matheus Alessandro cabeceou para fora. A resposta do Vasco veio no minuto seguinte quando Andrey experimentou, da entrada da área, e obrigou Júlio César a uma defesa muito difícil.

O time comandado por Alberto Valentim voltou melhor no segundo tempo e passou a pressionar em busca do primeiro gol. E aos 14 minutos, o Vasco marcou o primeiro gol. Thiago Galhardo cruzou na área e a bola bateu no braço de Paulo Ricardo. O árbitro marcou pênalti que Maxi López converteu com categoria, chutando no canto esquerdo de Júlio César.

Depois de sofrer o gol, o técnico Marcelo Oliveira decidiu alterar o esquema tático do Fluminense. Ele tirou o zagueiro Paulo Ricardo e colocou o atacante Luciano.

Atuando com três atacantes, o Fluminense passou a pressionar em busca do gol de empate. Alberto Valentim decidiu renovar o setor ofensivo e colocou Rildo na vaga de Marrony. Foi a primeira aparição de Rildo depois de se recuperar da lesão sofrida no início da temporada e que o tirou da equipe por vários meses.

Aos 32 minutos, o Tricolor das Laranjeiras esteve muito perto de chegar ao empate. Everaldo fez ótima jogada individual e rolou para a conclusão de Sornoza, mas o chute do equatoriano acabou sendo desviado para escanteio.

O Tricolor das Laranjeiras seguia pressionando em busca do gol de empate e,aos 39 minutos, após confusão na área, a bola sobrou para Digão que bateu com muita força, mas a bola saiu bem perto da trave defendida por Martín Silva.

O Vasco só voltou a incomodar aos 41 minutos quando Rildo foi lançado pela esquerda e fez bom passe para Thiago Galhardo que teve o seu chute bloqueado pela zaga.

Nos minutos finais, o Fluminense aumentou a pressão em busca do gol de empate e após cruzamento de Ayrton Lucas, aos 43 minutos, Everaldo chutou, mas a zaga do Vasco salvou outra vez.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE-RJ 0 X 1 VASCO-RJ

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 3 de novembro de 2018 (Sábado)
Horário: 17h(de Brasília)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

Cartão Amarelo:Luciano, Ibañez(Flu); Ramon, Willian Maranhão, Martín Silva, Leandro Castán(Vas);

Gols: VASCO: Maxi López, aos 14 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE: Júlio César, Paulo Ricardo(Luciano), Ibañez e Digão: Léo(Igor Julião), Richard, Jadson, Sornoza e Ayrton Lucas; Matheus Alessandro(Júnior Dutra) e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

VASCO: Martín Silva, Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castán e Ramon; Andrey(Raul), Willian Maranhão, Yago Pikachu e Fabrício(Thiago Galhardo); Marrony(Rildo) e Maxi López
Técnico: Alberto Valentim.

 

Grêmio vai remendado ao Independência e bate o Atlético-MG .

O Atlético recebeu o Grêmio em casa, no Estádio Independência. E, mesmo de ressaca pela eliminação na Libertadores, e recheado de jogadores jovens, os gaúchos conseguiram a vitória: 1 a 0.

Com o resultado, o Grêmio permanece, com 55 pontos, na quinta posição. E é seguido na tabela justamente pelo Atlético, agora nove pontos atrás, com 46 pontos.

O primeiro tempo começou com o Grêmio em cima da saída de bola do Atlético. Mais atento, o time do técnico Renato Gaúcho mostrou-se, de cara, disposto a surpreender. Foram três chances em seguida.

Logo aos 2, o Tricolor conseguiu abrir o placar. O escanteio veio da esquerda, cobrado por Jean Pyerre. Jael subiu alto e cabeceou forte. Victor deu rebote e Geromel aproveitou para fazer 1 a 0 para os visitantes.

O Atlético-MG ainda nem tinha entrado no jogo direito e já perdia em casa. O primeiro lance de perigo mineiro, porém, só veio aos 10. No cruzamento de Terans, Adilson cabeceou por cima.

Dois minutos depois, Galdezani aproveitou rebote na entrada da área e bateu forte, para boa defesa de Paulo Victor. Pouco depois, o mesmo Galdezani pediu pênalti em dividida na área. O juiz mandou seguir.

O Galo começou a crescer. Aos 19, Elias teve boa chance. Aos 24, foi a vez de Fábio Santos chutar forte, da entrada da área.

O Grêmio respondeu aos 28, com Everton Cebolinha. Após bom lançamento de Paulo Miranda, o atacante saiu frente a frente com Victor, mas bateu em cima do goleiro, em lance bem parecido com o gol perdido por ele contra o River Plate, pelas semifinais da Libertadores.

Num bate rebate dos maiores, com pelo menos uns quatro jogadores disputando a bola sentados no chão, dentro da área. No fim, coube a Terans concluir para o gol. Quase da risca da pequena área, e com o goleiro Paulo Victor vencido. Mas Geromel, de cabeça, salvou em cima da linha.

O segundo tempo prosseguiu com o Galo pressionando. No primeiro minuto, Elias já teve boa chance. Mas o chute, prensado, subiu e caiu na mão de Paulo Victor.

Aos 24, já receoso de que o resultado pudesse não vir, Levir queimou suas duas últimas alterações (Denilson já entrarar no lugar de Galdezani).

Entraram Cazares e Leandrinho, que vinham sendo pedidos pela torcida. Mas saíram Terans e Ricardo Oliveira. A saída do centroavante, gerou vaias na torcida atleticana – não pela mexida, mas pela atuação do Pastor, que estava mal.

Sem pressa. o Grêmio ia controlando o ímpeto do Galo, que tinha posse de bola, mas pouco conseguia concluir a gol. E, no contra-ataque, quase ampliou, aos 30. Victor fez defesa espetacular em chute de Alisson.

Cansado, o Grêmio passou os minutos finais rebatendo a boa, quase sem importar para que lado. E bastou para conter o desorganizado time da casa.

 

Palmeiras vence Santos e dorme com 7 pontos de vantagem na liderança.

Palmeiras é mais líder do que nunca no Campeonato Brasileiro!

Neste sábado, o Verdão venceu clássico contra o Santos por 3 a 2, em um jogão no Allianz Parque, válido pela 32ª rodada, e agora dorme com 7 pontos de vantagem na liderança.

Os nomes da vitória palestrina no primeiro tempo foram Dudu, que chegou ao seu 54º tento com a camisa alviverde e igualou o atacante Vágner Love na artilharia do século XXI, e Edu Dracena – o zagueiro marcou pela 1ª vez pelo Verdão justamente contra o ex-time.

Na segunda etapa, Cuca mexeu bem e viu sua equipe empatar o placar com Copete e Dodô. Mas justamente quando o Peixe era melhor em campo, Victor Luís disparou uma bomba em cobrança de falta, Vanderlei foi mal na bola e a equipe da casa marcou o gol da eletrizante vitória.

Na próxima rodada, o Palmeiras visita o Atlético-MG, domingo, às 17h (de Brasília), no Independência.

No dia seguinte, às 20h, o Santos recebe a Chapecoense, no Pacaembu.

O JOGO

No embalo da torcida, o Palmeiras começou o jogo indo para cima e quase abriu o placar com apenas dois minutos: Dudu cobrou escanteio e Edu Dracena subiu livre, mas cabeceou por cima do travessão, em grande oportunidade.

O Verdão seguiu em cima e teve outra chance incrível pouco depois. Borja recebeu na meia-lua e deu excelente enfiada para Lucas Lima, que chegou batendo de primeira. No entanto, Vanderlei se atirou na bola e salvou com o corpo.

Mas aos 13, a pressão alviverde chegou ao fundo das redes: Jean deu ótimo passe para Borja, que virou e bateu. Após defesa de Vanderlei, Dudu apareceu para conferir o rebote para o fundo das redes, fazendo o Allianz Parque explodir.

Após sofrer o gol, o Santos passou a ficar mais com a bola e tentou arriscar descidas pelas laterais. No entanto, a bola sempre acabava pendendo para o meio, onde os atletas alvinegros eram presa fácil para o volante Thiago Santos, em grande jornada.

Enquanto isso, o Palmeiras se postou na defesa, apostando em contra-ataques puxados por Dudu e Gustavo Scarpa.

Em uma dessas estocadas, Bruno Henrique chutou e a zaga tirou para escanteio. Na cobrança, aos 39, Edu Dracena subiu bem e testou para o fundo das redes, no contrapé de Vanderlei, ampliando a conta para os donos da casa.

Quis o destino que o primeiro gol do zagueiro em 107 jogos com a camisa alviverde saísse justamente pelo seu ex-clube, no qual é ídolo da torcida. Ainda assim, ele não deixou de comemorar bastante o tento.

Na segunda etapa, Cuca fez duas alterações: tirou Alison e Rodrygo e colocou Bryan Ruiz e Copete, mandando seu time para cima. E quase deu certo logo no primeiro minutos, quando Carlos Sánchez chutou, Weverton defendeu e o colombiano por pouco não marcou no rebote.

A resposta dos mandantes veio aos 7: Gustavo Scarpa recebeu na ponta, carregou para o meio limpando a marcação e disparou forte, buscando o ângulo. A bola passou zunindo perto da trave santista.

Mas Copete havia entrado bem na partida, e provou isso aos 9 minutos. O gringo aproveitou erro da zaga palestrina e, totalmente livre na área, tirou de Weverton para diminuir o prejuízo alvinegro no Allianz Parque.

Jogão no Allianz Parque!

E houve mais emoção aos 26 minutos, dessa vez para o lado palestrino: em cobrança de falta de longe, Victor Luís soltou uma bomba e vencue Vanderlei, que ainda chegou a tocar na bola, mas viu a redonda morrer no fundo das redes. 3 a 2.

O ritmo era maluco, e logo na saída de bola, Dodô cruzou da esquerda e Gabigol por muito pouco não empatou de novo de cabeça.

A reação do Santos, porém, ficou mais difícil aos 35, quando o volante Diego Pituca fez falta na entrada da área, levou o segundo amarelo e foi expulso pelo árbitro, deixando os visitantes com um homem a menos.

Dessa forma, o Verdão conseguiu segurar a vitória até o final sem novos sustos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 2 SANTOS

Data: 03 de novembro de 2018, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Público: 38.938 pagantes
Renda: R$ 2.723.126,86
Árbitro: Bráulio da Silva Machado
Assistentes: Kléber Lúcio Gil e Neuza Inês Back
Cartões amarelos: Edu Dracena, Dudu e Lucas Lima (PAL); Victor Ferraz, Diego Pituca, Luiz Felipe, Gabigol e Derlis González (SAN)
Cartão vermelho: Diego Pituca (SAN)

GOLS
PALMEIRAS: Dudu, aos 13, e Edu Dracena, aos 39 minutos do primeiro tempo; Victor Luís, aos 26 minutos do segundo tempo
SANTOS: Copete, aos 9, e Dodô, aos 19 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Jean (Guerra), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Lima (Felipe Melo); Gustavo Scarpa, Dudu e Borja (Deyverson) Técnico: Luiz Felipe Scolari

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Bryan Ruiz), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Rodrygo (Copete), Derlis González (Bruno Henrique) e Gabigol Técnico: Cuca.

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta