MEDINA: DO MENINO AO ÍDOLO

Spread the love
BY MAÍRA PABST

Published 

Com carinha de menino, aos 15 anos, em março de 2009.

Aleko Stergiou

 

“Eu sou preguiçoso”, foi assim que Gabriel Medina definiu seu maior pecado. É difícil de acreditar, ou melhor, pelo menos no que diz respeito aos treinamentos de surf. Para ter a qualidade que Medina tem no esporte, é um pouco improvável que ele tenha sido tão preguiçoso assim. Mas ele jura que sim.

Segundo ele, este é o seu maior pecado. Mas uma de suas maiores qualidades é ser um cara família (tem até uma tatuagem escrito ‘Familia’ no braço esquerdo). O garoto ‘preguiçoso’ de Maresias se lembra bem da realidade em que vivia na infância, bem diferente da que vive hoje: viajando pelo mundo para competir, sendo bem pago para isso, e ainda trazendo troféus para o Brasil.

 

Com lágrimas nos olhos, ele fala da ligação que tem com sua mãe, Simone. Desde pequeno, Medina é o grande parceiro dela. Em uma recente entrevista para o X Center, Gabriel conta que caminhava longos quarteirões até pegar o ônibus para ir ao supermercado com a mãe e ajudá-la a carregar as sacolas na volta.

Faz questão de enfatizar que não foi um garoto pobre, mas que chegou a catar latinhas para ter aquela independência de comprar o que queria. Seu padrasto Charles, a quem chama de pai, representou uma grande virada em sua vida. Foi ele que apostou na carreira de Gabriel como surfista e fez todos os investimentos necessários, com muita dedicação. Para quem se pergunta, Gabriel diz que sim, ele tem uma relação com seu pai biológico que também mora em Maresias. “Sou privilegiado, tenho dois pais”, afirma.

 

[+] Enlarge PhotoAleko StergiouA facilidade de voar já chamava a atenção da comunidade do surf na praia de Maresias, em 2008.

Hoje, Gabriel pode ter tudo o que quer, mas como ele mesmo diz: ‘não sou bom de gastar’. Conquistou o sonho de comprar uma casa perto da praia e tem o seu carro para ir atrás das ondas que quiser, e diz que isso é suficiente. Sucesso da carreira que veio com bastante esforço.

Recém recuperado de uma lesão no tornozelo, Gabriel Medina foi para o Havaí se preparar para o início da temporada 2014 antes de seguir para a Australia. Por não ter tido oportunidade de surfar durante as férias, achou melhor treinar um pouco na meca do surf, e a dedicação teve sua recompensa. Campeão da primeira etapa do WCT do ano. Troféu conquistado com um polido surf de backside, sem ter que voar nenhuma vez.

Agora, como líder do ranking pela primeira vez, Gabriel se prepara para a próxima etapa em Margaret River, onda que ‘não gosta muito’, como falou. Nunca fez bons resultados por lá e considera uma onda difícil. Mas com o pique que está, as coisas podem ficar melhores.

* No próximo domingo, a ESPN+ exibe um X Center Especial com uma entrevista exclusiva de Simone Medina, direto da casa deles em Maresias. Não perca! É as 20 horas na ESPN+. Você também pode assistir às 17 horas de segunda-feira (17/03) na ESPN.

About admin

O nosso site é voltado para o esporte, escrevemos e publicamos sobre 40 modalidades esportivas. A nossa meta é levar o esporte cada vez mais longe para o maior número possível de pessoas. O ZigZag do Esporte é a nossa Revista Eletrônica do Esporte, acesse, curta, comente e mande sugestões.

Comentários via Facebook:

Deixe uma resposta