24/07/2021

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

UFC 251 saiba de tudo como foi; confira os resultados nos cards.

12 min read

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br direto da redação.

Rose Namajunas mesmo desfigurada se vinga’, Jéssica Bate-Estaca e se credencia a disputar título de novo.

Pouco mais de um ano depois, Rose Namajunas conseguiu a sua ‘vingança’ no UFC 251. O norte-americana teve muito trabalho e terminou com o rosto desfigurado, mas conseguiu vencer a brasileira Jéssica Bate-Estaca na decisão dividida dos jurados (29-28, 28-29 e 29-28) para se credenciar mais uma vez para disputar o título feminino dos pesos palhas.

Rose foi melhor nos dois primeiros rounds, controlando muito a distância e castigando com jabs.

Mas Jéssica se recuperou no terceiro round e mostrou que tem muito mais poder. Com golpes fortíssimos, abriu um corte no nariz e deixou o olho esquerdo da rival completamente roxo e inchado, quase que fechado.

Não foi o suficiente, porém, para convencer todos os jurados.

Quando ainda era campeã, Rose Namajunas havia sido derrotada por Jéssica em maio do ano passado, quando bateu a cabeça no chão em uma tentativa de queda.

Mesmo assim, ela ainda era a segunda colocada no ranking e agora se coloca como a próxima desafiante da chinesa Zhang Weili.

 

José Aldo é nocauteado e fica sem cinturão; Amanda Ribas vence.

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
O ex-campeão do peso-pena teve bons momentos no combate e chances para vencer, mas não foi páreo diante da agressividade e do bom preparo físico do oponente russo – FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Entrando como azarão na luta pelo cinturão vago do peso-galo no UFC 251, na “Ilha da Luta”, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes, José Aldo não resistiu ao russo Petr Yan e foi nocauteado aos 3min24s do quinto round após uma série de fortes golpes sofridos no chão.

Assim, o brasileiro, que recentemente se colocou entre os três melhores da história do UFC, não conseguiu cumprir a promessa de trazer o cinturão e perdeu a oportunidade de se tornar o oitavo lutador da história do Ultimate a ser campeão em duas categorias de pesos diferentes.

O ex-campeão do peso-pena teve bons momentos no combate e chances para vencer, mas não foi páreo diante da agressividade e do bom preparo físico do oponente russo. Depois de quatro rounds equilibrados, o que desmontou o “Campeão do Povo” foi um duro golpe de esquerda sofrido no quinto assalto. Cansado, ele sofreu golpes de forma consecutiva no chão até que a luta foi interrompida, decretando o nocaute técnico e vitória de Petr Yan, que segue invicto e engatou o sétimo triunfo seguido.

O evento também teria outro brasileiro lutando pelo cinturão, mas Gilbert Durinho recebeu diagnóstico positivo para o coronavírus e foi afastado. Ele foi substituído por Jorge Masvidal, que foi facilmente derrotado por nigeriano Kamaru Usman. O nigeriano venceu por decisão unânime (50-45, 50-45 e 49-46) e permaneceu com o cinturão dos meio-médios.

Na outra disputa de cinturão da noite, o australiano Alexander Volkanovski superou o americano Max Holloway por decisão dividida (48-47, 47-48 e 48-47), no co-evento principal e manteve o título do peso-pena.

MULHERES

Duas mulheres abriram o card principal do UFC 251 e obtiveram resultados diferentes. Em ascensão, a brasileira Amanda Ribas atropelou a americana Paige VanZant ao finalizá-la com uma chave de braço aos 2min21s no primeiro round do duelo do peso-mosca. Ela alcançou a sua quarta vitória no Ultimate e manteve a sua invencibilidade.

Já Jéssica “Bate-Estaca” Andrade mostrou evolução e parecia que aplicaria um novo nocaute em Rose Namajunas, mas a americana aguentou a pressão da brasileira e conseguiu sua revanche ao sair com uma vitória por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28) no duelo de ex-campeãs do peso-palha.

BRASILEIROS – Outros cinco brasileiros subiram ao octógono na Ilha da Luta para disputas no card preliminar na noite deste sábado. Três saíram vitoriosos e dois foram derrotados. Na luta entre compatriotas, Karol Rosa venceu Vanessa Melo por pontos (30-26, 30-26 e 30-27), na disputa do peso-galo.

Depois, o peso-leve Léo Santos encarou o estreante russo Roman Bogatov e triunfou por decisão unânime dos juízes (triplo 29-26), mantendo-se invicto no UFC. O seu oponente chegou a acertar três golpes ilegais – na região genital, uma dedada no olho e uma joelhada ilegal na cabeça.

Já Raulian Paiva superou uma dura luta diante do cazaque Zhalgas Zhumagulov por decisão unânime (triplo 29-28). O lutador peso-mosca do Amapá não teve seus treinadores titulares no córner porque eles testaram positivo para a covid-19 e foram retirados do evento.

Quem não deixou o octógono vitorioso foi Elizeu Capoeira. Em luta polêmica, ele perdeu para o russo Muslim Salikhov por decisão dividida. A vitória parecia encaminhada ao brasileiro, uma vez que ele acertou os golpes mais potentes e claros nos dois primeiros rounds do combate, mas dois dos três juízes viram diferente.

Um assinalou 29-28 (dois rounds a um) para Capoeira, outro viu 29-28 para Salikhov e o terceiro apontou, de forma controversa, 30-27 (três rounds a zero) para o russo. O brasileiro prometeu pedir revisão da decisão.

A Ilha da Luta, em Abu Dhabi, recebeu neste sábado (11) o UFC 251, primeiro dos quatro eventos que serão realizados no local ao longo do mês de julho. Confira todos os resultados por www.ufc.com.br.

 

USMAN VENCE MASVIDAL E DEFENDE CINTURÃO DOS MEIO-MÉDIOS

Dominante. Assim foi a performance de Kamaru Usman em sua 2ª defesa de cinturão, quando superou Jorge Masvidal por decisão unânime dos jurados. O “Pesadelo Nigeriano” conquistou assim sua 12ª vitória consecutiva – igualando Georges St-Pierre com a maior sequência da história dos meio-médios, e igualando Khabib Nurmagomedov com a maior sequência do Ultimate na atualidade.

“Gamebred é o maior e mais durão atualmente. Precisei mudar tudo com seis dias de antecedência. Sei que muito foi falado sobre ele aceitar a luta em cima da hora, mas ele estava se preparando. Todos esses caras estão se preparando para um cara – e esse sou eu no topo da montanha. Eu precisei fazer uma mudança de mentalidade. Treinei para enfrentar o Gilbert e tinha uma estratégia completamente diferente. Tive muitas outras coisas a caminho dessa luta, mas não é desculpa. Gamebred é durão e provou isso lá. Ele tomou várias cotoveladas mas continuou se levantando e lutando. Ele não desistiu”, disse Usman.

VOLKANOVSKI VIRA, VENCE HOLLOWAY NOVAMENTE E MANTÉM CINTURÃO

O campeão peso-pena Alexander Volkanovski começou atrás na revanche com o ex-detentor do cinturão Max Holloway, perdendo os dois primeiros assaltos, mas se recuperou a partir do 3º round e deixou uma dura missão nas mãos dos jurados. No fim, dois dos três árbitros viram vitória do australiano no segundo embate com o havaiano, e Volkanovski defendeu com sucesso seu título pela 1ª vez.

“Foi uma luta dura. Ele ficou lá e não deu um passo para trás. Ele tornou as coisas difíceis para mim nos primeiros rounds, não usei tanto os chutes quanto gostaria, mas consegui fazer meu trabalho. Isso é o mais importante. Eu sabia que estava dois rounds para cada um antes do último. Eu precisava vencer esse último round. Eu queria um nocaute ou finalização. Ele foi para nocautear ou finalizar. Infelizmente, nenhum de nós conseguiu. Eu ganhei a decisão e isso é o que conta”, disse Volkanovski.

PETR YAN VENCE JOSÉ ALDO E É O NOVO CAMPEÃO PESO-GALO

O UFC tem um novo campeão peso-galo e é o russo Petr Yan, que venceu José Aldo por nocaute técnico no 5º round e conquistou o título, vago desde a aposentadoria de Henry Cejudo em maio. Yan chega ao cinturão em sua 7ª luta no Ultimate (sete vitórias), e se torna o 6º campeão da história dos galos na organização, lista que tem Dominick Cruz, Renan Barão, TJ Dillashaw e Cody Garbrandt, além de Cejudo.

“No início, eu queria pressioná-lo, fazer com que ele cansasse e então começar a atacá-lo após o 3º round. Foi exatamente o que aconteceu. No 1º e 2º rounds, ele tinha socos duros e chutes baixos. Eu esperei e o pressionei. Após o 2º round, comecei a trabalhar. Foi um bom nocaute, eu gostei”, disse Yan.

NAMAJUNAS VENCE JÉSSICA EM REVANCHE

Na revanche entre as ex-campeãs peso-palha, Rose Namajunas levou a melhor sobre Jéssica Andrade após 15 minutos de um combate movimentado, técnico e empolgante, que teve a norte-americana sendo superior no início e a brasileira terminando forte em busca de virar o confronto. No fim, vitória de Rose por decisão dividida.

“Foi divertido. Eu estava com a cabeça no lugar certo. Isso é tudo. No começo da luta, eu estava indo muito bem. Então acho que ela apertou o botão do desespero e começou a descarregar. Ela me acertou algumas vezes, mas continuei firme”, disse Rose.

AMANDA RIBAS FINALIZA VANZANT NO 1º ROUND

Amanda Ribas segue impecável no Octógono. Na luta de abertura do card principal do UFC 251, a brasileira precisou de pouco mais de dois minutos no 1º round para finalizar Paige VanZant com uma chave de braço, conquistando sua 4ª vitória consecutiva no Ultimate – a 2ª em 2020.

“Estou muito feliz. A energia foi incrível e saí com a vitória. Meu pai e irmão estavam no Octógono comigo e comecei a chorar. Havia muitas emoções no meu coração. Fiquei feliz por conseguir mostrar meu jiu-jítsu. Se minha próxima luta for no peso-palha, espero enfrentar a vencedora entre Marina Rodriguez e Carla Esparza. Se o UFC me colocar no peso-mosca de novo, espero que seja uma Top 10 ou Top 15. Agora é hora de comer meu chocolate”, disse Amanda.

JIRI PROCHAZKA ESTREIA COM NOCAUTE AVASSALADOR

A divisão dos meio-pesados tem um novo contender. Fazendo sua estreia no Octógono, o tcheco Jiri Prochazka mostrou personalidade e bom queixo no 1º round do duelo contra Volkan Oezdemir e mostrou todo seu poder de nocaute no 2º, despachando o oponente com um lindo golpe de direita que certamente chamou a atenção de toda a categoria.

“Me sinto incrível. Esperava mais wrestling dele, mas foi uma boa luta. Venci minha primeira luta no UFC – é um grande passo para mim. Estou muito feliz porque muitas pessoas na República Tcheca estão assistindo a essa luta. Estou muito feliz por ter vencido”, disse Prochazka.

SALIKHOV LEVA A MELHOR SOBRE ELIZEU CAPOEIRA

Em um equilibrado duelo entre dois dos mais técnicos strikers na divisão dos meio-médios, o russo Muslim Salikhov superou o brasileiro Elizeu “Capoeira” por decisão dividida após três rounds, conquistando assim sua 4ª vitória seguida no Octógono.

“Sinto que estou fazendo meu trabalho, como mais um dia no escritório. Esse cara foi muito duro. Acho que ele é um adversário de ponta. Ele pode ser um atleta do topo. Foi uma grande vitória para mim”, disse Salikhov.

AMIRKHANI ‘APAGA’ HENRY COM TRIÂNGULO DE MÃO

A 1ª finalização da noite veio pelas mãos do finlandês Makwan Amirkhani, que ainda no 1º round do duelo com o escocês Danny Henry, aplicou uma queda e rapidamente assegurou um justo triângulo de mão, “apagando” o adversário na marca de 3m15s de luta.

“Nunca é bom quando alguém está em cima de você tentando te manter no chão. Faz você se cansar e diminui sua velocidade. Esse era meu plano. Mas também sabia que estava no começo e ambos estávamos com a pele seca, então pensei em acabar com a luta rapidamente. Quando vi a oportunidade, garanti o estrangulamento”, disse Amirkhani.

LÉO SANTOS VENCE E AMPLIA INVENCIBILIDADE NO UFC

O peso-leve carioca Léo Santos chegou à sua 8ª luta de invencibilidade no Ultimate com uma vitória por decisão unânime sobre o russo Roman Bogatov, que sobreviveu a um castigo aplicado pelo brasileiro no 2º round e perdeu dois pontos no 3º assalto após desferir três joelhadas ilegais.

“Não tive tempo suficiente para fazer um camp perfeito. Então vim aqui com meu coração, bravura e experiência. Foi o que fiz no Octógono. O mais importante é a vitória. As faltas foram estranhas porque ele cometeu três vezes. Agradeço a Deus por me dar forças para chegar ao fim da luta”, disse Léo.

TYBURA ESTRAGA ESTREIA DE GRISHIN

Contratado como substituto de última hora, e fazendo sua estreia em uma divisão acima da sua habitual, o russo Maxim Grishin não teve vida fácil no confronto com o polonês Marcin Tybura, que venceu o duelo de pesos-pesados por decisão unânime, conquistando seu 2º triunfo consecutivo no Ultimate.

“Trabalhei muito wrestling para essa luta, porque meu adversário original era um wrestler. Houve a mudança de oponente e decidi usar o wrestling contra ele. Sabíamos que eu talvez não teria sucesso no começo, mas eu sabia que eventualmente eu o derrubaria”, disse Tybura.

RAULIAN PAIVA VENCE EM DUELO EQUILIBRADO

Atual 14º colocado no ranking dos pesos-mosca, o amapaense Raulian Paiva conquistou seu 2º triunfo seguido no Octógono ao superar o estreante cazaque Zhalgas Zhumagulov após 15 minutos de um combate bastante equilibrado. Os três juízes apontaram vitória do brasileiro por 29-28.

“A luta foi um pouco diferente do que eu esperava. Não tem luta fácil no UFC. Só estou feliz por poder mostrar um pouco de melhora no meu jogo. Consegui trabalhar os chutes baixos – algo que não uso normalmente. Para esse oponente em particular, parecia algo que funcionaria. O resultado provou. Estou muito feliz com a performance”, disse Raulian.

EM DUELO BRASILEIRO, KAROL ROSA SUPERA VANESSA MELO

Dos oito atletas brasileiros escalados para o UFC 251, Karol Rosa e Vanessa Melo foram as primeiras a pisarem no Octógono para um duelo pelo peso-galo na 2ª luta da noite. E no confronto brasileiro, a capixaba levou a melhor sobre a paulista, vencendo por decisão unânime e conquistando sua 2ª vitória seguida no Ultimate.

“Foi uma guerra. Vanessa é uma garota dura. Eu imaginei que seria uma guerra. Agradeço a Deus por ter conseguido a vitória. Treinei muito para essa luta. Minha estratégia era usar meu muay thai, mas eu estava pronta para ir para o chão e mostrar meu jiu-jítsu”, disse Karol.

DAVEY GRANT ABRE A NOITE COM NOCAUTE ESPETACULAR

O primeiro vencedor da noite no UFC 251 foi o inglês Davey Grant, que aplicou um nocaute espetacular sobre o havaiano Martin Day no 3º round, conquistando seu 2º triunfo consecutivo no Octógono.

“Eu sabia para que ele viria e sabia o que eu queria. Pensei em tentar ser técnico nos dois primeiros rounds. Pensei que se estivesse funcionando, eu iria para cima e teríamos uma guerra. Queria que a primeira luta na Ilha da Luta fosse uma boa guerra. Acho que fizemos isso”, disse Grant.

RESULTADOS OFICIAIS
CARD PRINCIPAL

Kamaru Usman venceu Jorge Masvidal por decisão unânime (50-45, 50-45, 49-46);

Alexander Volkanovski venceu Max Holloway por decisão dividida (47-48, 48-47, 48-47);

Petr Yan venceu José Aldo por nocaute técnico aos 3m24s do 5º round;

Rose Namajunas venceu Jéssica Andrade por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28);

Amanda Ribas venceu Paige VanZant por finalização (chave de braço) aos 2m21s do 1º round.

CARD PRELIMINAR

Jiri Prochazka venceu Volkan Oezdemir por nocaute aos 49s do 2º round;

Muslim Salikhov venceu Elizeu Capoeira por decisão dividida (30-27, 29-29, 29-28);

Makwan Amirkhani venceu Danny Henry por finalização (triângulo de mão) aos 3m15s do 1º round;

Leonardo Santos venceu Roman Bogatov por decisão unânime (29-26, 29-26, 29-26);

Marcin Tybura venceu Maxim Grishin por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26);

Raulian Paiva venceu Zhalgas Zhumagulov por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28);

Karol Rosa venceu Vanessa Melo por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-27);

Davey Grant venceu Martin Day por nocaute aos 2m38s do 3º round.

 

Deixe uma resposta

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.