03/08/2021

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Brasil comemora 100 anos da conquista de sua primeira medalha olímpica. Veja como quem e onde !

3 min read

Do Zigzagdoesporte.com.br por CBAt.org.br

Afrânio Costa _

No dia 2 de agosto de 1920, na Antuérpia, o tiro ganhou uma prata e um bronze e o COB preparou uma série de ações para marcar as conquistas. O atletismo tem 17 medalhas olímpicas.

Afrânio Costa foi o responsável por conquistar a primeira medalha brasileira na história dos Jogos Olímpicos: prata na prova de pistola livre, em 1920. Advogado e diretor de tiro esportivo do Fluminense, Afrânio ajudou a construir o primeiro estande para os atletas no clube. Foi justamente nas Laranjeiras que a equipe brasileira se preparou para sua estreia em Jogos Olímpicos. O atirador foi também o chefe da delegação de tiro na Antuérpia, sendo o responsável por pedir equipamentos emprestados aos americanos, já que os brasileiros tiveram os seus materiais roubados.

O dia 2 de agosto marca o centenário da primeira medalha Afrânio Costa a olímpica do Brasil. Em 1920, na Antuérpia, na Bélgica, o Brasil estreou nos Jogos Olímpicos e ganhou as primeiras três primeiras medalhas da história de um total de 129.

1920 - Antuérpia - Rio 2016
Os Jogos da Antuérpia foram os primeiros com a participação do Brasil. O país levou uma delegação com 21 atletas e conseguiu três medalhas (ouro, prata e bronze), todas no tiro esportivo.

O atletismo tem 17 medalhas, cinco delas de ouro – com Adhemar Ferreira da Silva, no salto triplo, em Helsinque-1952 e Melbourne-1956; com Joaquim Cruz , nos 800 m, em Los Angeles-1984; com Maurren Maggi, no salto em distância, em Pequim-2008; e com Thiago Braz, no salto com vara, no Rio-2016. A modalidade ainda tem 3 medalhas de prata e 9 de bronze.

Mas as primeiras glórias para o Brasil vieram no dia 2 de agosto de 1920, com Afrânio Costa e a equipe brasileira de tiro. Na pistola de tiro livre, o atirador ficou com a medalha de prata. Horas depois, a equipe brasileira formada por Guilherme Paraense, Sebastião Wolf, Dario Barbosa e Fernando Soledade conquistou o bronze. Em 3 de agosto, veio o primeiro ouro com Guilherme Paraense na prova de tiro rápido.

“São 129 medalhas e novos ídolos que surgem a cada nova edição de Jogos Olímpicos. Ao relembramos essa história e relembrarmos os feitos dos pioneiros, esperamos inspirar novas páginas da centenária e vitoriosa história olímpica do Brasil”, afirmou Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB).

“É uma grande honra para o atletismo fazer parte dessa história olímpica do Brasil que chega a 100 anos de conquistas. O atletismo esteve presente neste centenário de conquistas com 17 medalhas, todas elas muito importantes para a nossa modalidade”, disse Warlindo Carneiro da Silva Filho, presidente do Conselho de Administração da CBAt.

Após a edição da Antuérpia-1920, o Brasil voltou a participar dos Jogos Olímpicos outras 21 vezes. O COB destaca algumas participações históricas, como a de Adhemar Ferreira da Silva, bicampeão no salto triplo, tendo quebrado o recorde mundial da prova na primeira conquista e o recorde olímpico na segunda.

Para celebrar os 100 anos das primeiras conquistas brasileiras em Jogos Olímpicos, o COB preparou uma série de conteúdos em suas diversas plataformas digitais. A história dos 21 atletas que embarcaram para a Antuérpia poderá ser vista em ilustrações do fotógrafo e cartunista Saulo Cruz e também vista em vídeo.

Deixe uma resposta

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.