04/12/2021

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

COI se diz preocupado com ideia da Fifa de ter Copa do Mundo a cada dois anos.

2 min read

Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br direto da redação.

Impasse da Copa do Mundo. (Foto: Divulgação)

A proposta de realizar uma Copa do Mundo de futebol a cada dois anos preocupa o Comitê Olímpico Internacional (COI), que apelou para que as negociações sobre o tema sejam mantidas e ampliadas. A entidade afirmou estar “muito preocupada” com o impacto que um Mundial bienal possa ter sobre outras modalidades esportivas, bem como no bem estar dos jogadores e no aumento das modalidades masculinas, já que afetaria a “igualdade de gênero”.

“Diversas federações internacionais de outros esportes, federações nacionais de futebol, clubes, jogadores, associações de jogadores e treinadores expressaram fortes reservas e preocupações em relação aos planos de gerar mais receitas pela Fifa”, explicou o COI em um comunicado oficial divulgado nesta segunda-feira.

“O COI partilha dessas preocupações e apoia os apelos dos atores do futebol, das federações esportivas internacionais e dos organizadores de grandes eventos para uma consulta mais ampla, inclusive com os representantes dos atletas, o que obviamente ainda não aconteceu”, prosseguiu a entidade.

DEBATE E CRÍTICAS!

Nesse sentido, o COI exigiu mais discussões sobre os planos para a realização da competição. As propostas da Fifa serão votadas em dezembro deste ano pelas 211 associações membros e o presidente Gianni Infantino, também membro do COI, viajará pelo mundo para reunir apoios para a ideia, que tem sido liderada pelo ex-treinador do Arsenal, o francês Arsène Wenger.

O plano recebeu duras críticas de várias federações continentais e nacionais, grupos de jogadores e torcedores, não sendo claro se poderá seguir em frente. Há poucos dias, a Uefa destacou a sua preocupação com o impacto da realização de uma Copa do Mundo a cada dois anos, incluindo a “diluição” do valor da competição, bem como o risco de os jogadores trabalharem muito e o futebol feminino sofrer.

Por outro lado, clubes, ligas e confederações europeias e sul-americanas estão confiantes de que podem impedir o plano, independentemente do resultado de uma votação, dado que representa “uma divisão prejudicial no cenário internacional”.

A Fifa está fazendo várias mudanças no seu modelo de negócio. Há poucas semanas, foi revelada a intenção de considerar a possibilidade de transferir os seus negócios comerciais da Suíça para os Estados Unidos com o objetivo de aumentar a fonte de receita.

Deixe uma resposta

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.