25/05/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Com melhor jogadora do mundo, Brasil é um dos favoritos no Mundial feminino de handebol

3 min read

A brasileira Alexandra é a melhor jogadora de Handebol do mundo na atualidade.

Do ZigZag do Esporte/Mundial de Handebol feminino de 2013 na Sérvia.

Reuters

Alexandra comemora gol
Alexandra comemora gol 

Nesta sexta-feira, começa o Mundial de Handebol feminino de 2013 na Sérvia com a seleção anfitriã recebendo o Japão. Quinto na edição anterior, disputada em casa, o Brasil tem altas expectativas para a competição deste ano.

A principal aposta da seleção brasileira é em Alexandra, eleita melhor jogadora do mundo na última temporada. Além da ponta de 32 anos, o time do técnico dinamarquês Morten Soubak ainda conta com outras cinco atletas que atuam no Hypo, da Áustria, que tem um contrato de parceria com a seleção.

Tal medida é adotada por outras diversas nações também realizam a mesma medida com clubes grandes do cenário europeu, trazendo maior entrosamento às seleções na hora de jogar.

“Claro, espero e acho que o Brasil pode ser a surpresa positiva deste Mundial. Nosso objetivo é chegar mais longe que no Mundial do Brasil de 2011 e nos Jogos Olímpicos”, disse o técnico do Brasil, o dinamarquês Morten Soubak em declarações à Agência EFE

No caso específico da seleção brasileira, a parceria com o Hypo acaba no meio do ano que vem, mas especula-se que haja uma renovação até os Jogos Olímpicos de 2016. Logo no seu ano de estreia, o vínculo rendeu fruto, já que o quinto lugar no Mundial de 2011 representa a melhor campanha da história do Brasil.

“A cooperação entre Brasil e o Hypo está funcionando há três anos e já começou a dar seus frutos em muitos aspectos. No ano passado, a equipe ganhou a Recopa e o fato de que eu possa trabalhar diariamente com as jogadoras nos permite uma conjunção mais rápida que a outras seleções”, assinalou Soubak.

Um trabalho diário no qual Soubak deu especial atenção aos aspectos defensivos, um fator que considera chave para que o Brasil, que caiu há dois anos por 27-26 nas quartas de final do Mundial e por 21-19 perante Noruega nas quartas dos Jogos de Londres, possa brigar pela primeira vez por medalhas na Sérvia.

“Após analisar nossas últimas atuações, estivemos trabalhando em alguns pequenos detalhes ofensivos e, sobretudo, defensivos. A chave é que possamos manter a intensidade defensiva durante mais tempo nos encontros”, explicou à Agência EFE o técnico.

No Mundial masculino, disputado no começo deste ano, o Brasil não foi muito longe e caiu nas oitavas de final para a Rússia.

MUNDIAL FEMININO DE HANDEBOL 2013
Onde
: Sérvia (Nis, Belgrado, Zrejanin e Novi Sad são as cidades-sede)
Grupos: A (Montenegro, França, Coreia do Sul, Congo, República Dominicana), B (Dinamarca, Brasil, Sérvia, Japão, Coreia do Sul, Argélia), C (Noruega, Polônia, Angola, Espanha, Argentina e Portugal), D (Hungria, Alemanha, Romênia, República Tcheca, Tunísia e Austrália).
Forma de disputa: Todas as equipes jogam uma vez entre si na fase de grupos. Os quatro melhores de cada chave avançam às oitavas de final. Os mata-matas são disputados em jogos únicos.
Maiores campeões: 4 títulos (Rússia), 3 (Alemanha Oriental e União Soviética), 2 (Noruega)
Melhor campanha do Brasil em Mundiais femininos: 5º lugar, em 2011

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.