17/04/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Filipe Toledo nega pressão, mira bicampeonato e encara vaga olímpica. ENTENDA O FATO!

3 min read

Por Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br

Atual campeão mundial de surfe conquistou seu primeiro título no ano passado e é um dos grandes favoritos para esta temporada da WSL.

O Campeonato Mundial de Surfe, ou World Surf League (WSL), tem seu início nesta semana com a etapa de Pipeline, em Oahu, no Havaí.O atual campeão, Filipe Toledo, chega para defender o título e buscar o bicampeonato em após viver o melhor ano de sua vida:

“Foi, sem dúvida, o melhor ano da minha vida. O ano foi muito tranquilo e tudo aconteceu muito naturalmente. Eu aproveitei cada momento e curti cada momento. Foi muito importante para eu entender tudo isso. Eu amadureci muito e isso fez uma grande diferença esse ano.”, declarou o surfista brasileiro em entrevista exclusiva à ESPN.

Filipinho, que disputa a principal categoria do surfe mundial desde 2013, conquistou pela primeira vez o título da WSL e se juntou aos outros brasileiros que já foram campeões: Gabriel Medina (2014, 2018 e 2021), Adriano de Souza, o Mineirinho (2015), e o campeão olímpico Ítalo Ferreira (2019).

paulista de 27 anos tinha ficado com o vice em 2021, quando foi derrotado por Medina na final, e, finalmente, se livrou da ‘pressão’ para conquistar o primeiro título após bater na trave em algumas oportunidades:

“Uma sensação de alívio porque fica aquela apreensão, será que vai ou será que não vai. Têm os patrocinadores e a família, mas não é uma cobrança ruim, mas fica aquela expectativa: Um dia será que vai conseguir? Mas eu precisei passar por altos e baixos para amadurecer e conquistar esse título da forma que eu conquistei.”

Agora, Filipinho começa a temporada como um dos favoritos e não sente o ‘peso’ de ser o atual campeão:

Zero pressão, eu estou tranquilo. Acho que o pior já passou, que era conquistar o primeiro título. Agora é fazer tudo com calma e tranquilidade. Aproveitar cada momento e ser feliz. Então, neste ano eu vou com tudo e pensando no bi, e se Deus quiser, com uma vaga olímpica.”

O surfe estreou nas últimas Olímpiadas, em Tóquio, e a medalha de ouro veio para o Brasil com Ítalo Ferreira. Filipe ficou de fora dos Jogos Olímpicos porque, apesar de ter terminado em 4º lugar da WSL em 2019 (os 10 primeiros ganhariam a vaga olímpica), ele ficou atrás de Ítalo e Medina e acabou ‘cortado’ pelo limite máximo de dois representantes por país na competição.

“Obviamente fiquei triste, queria estar lá e queria representar o Brasil. Foi a primeira Olimpíada que o surfe ia participar, então, foi algo histórico para o nosso esporte, mas a gente estava muito bem representado pelo Gabriel (Medina) e o Ítalo. Eles mandaram muito e trouxeram a tão sonhada medalha de ouro para gente.”

 

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.