30/11/2023

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Ceni se apresenta ao Bahia com entrevista bem-humorada, exalta projeto do Grupo City e faz projeção otimista para 2024. ENTENDA O FATO.

3 min read

Por Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br

Ceni estreia no comando do Esquadrão nesta quinta-feira, fora de casa diante do Coritiba.

Rogério Ceni foi oficialmente apresentado como novo técnico do Bahia nesta segunda-feira (11). Ele terá o desafio de reerguer o time, que amarga atualmente apenas a 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, beirando a zona de rebaixamento.

Após comandar o seu primeiro treino à frente da equipe, o treinador fez uma projeção otimista para o ano que vem, que vai muito além de permanecer na Série A: chegar entre os 10 melhores clubes do país.

”É um risco, mas quem vive sem riscos não pode estar num grande clube com grande torcida. É o pacote que existe na carreira de treinador. 16 jogos dão direção a uma continuidade do projeto, essa permanência tem tudo para, ficando na Série A…o Bahia é um clube que se conseguir se sustentar na primeira divisão, vai ter muita força para chegar entre os 10 melhores clubes do Brasil no ano que vem”, afirmou.

Em tom bem-humorado, diferente do perfil mais sisudo que tinha comandava o São Paulo, último clube que treinou até ser demitido em abril deste ano, Ceni brincou com os jornalistas e explicou que o projeto oferecido pelo Grupo City, o mesmo que controla o gigante europeu Manchester City, pesou em sua decisão de aceitar o convite do Bahia.

”Estilo de jogo, mais do que eu goste de jogar, eu sei que o torcedor quer o resultado e temos que ir atrás do resultado. O tempo é muito curto, cada hora é importante”, disse.

”Eu esperei um projeto que fosse o melhor para mim e escolhi o Bahia porque achei que era o melhor projeto para minha carreira”, completou.

Por fim, Ceni afirmou que o Bahia não será só mais um clube em sua carreira e afirmou que vai tratar o Tricolor de Aço como se fosse o São Paulo, onde fez história e se tornou ídolo dentro das quatro linhas.

”Nunca é mais um clube. Nenhum clube na minha vida foi mais um. Todos que eu passei sempre tentei dar o meu melhor. Eu trato isso aqui como a oportunidade da minha vida, da minha carreira. Vou tratar o Bahia sempre como se fosse o São Paulo, o mesmo sentimento, para mim é uma grande oportunidade”, completou.

Com 22 pontos, um a mais que o Santos, que abre a zona de rebaixamento do Brasileirão, o Bahia volta a campo na próxima quinta-feira (14) para visitar o Coritiba, às 20h (de Brasília), no Couto Pereira.

Próximos jogos do Bahia:

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.