25/06/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Santos tem tabela mais difícil, nem Corinthians e nem São Paulo estâo salvos ainda; chances de queda. VEJA PERCENTUAIS !

4 min read

Por Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br

À exceção de Coritiba e América-MG, 19º e 20º colocados do Brasileirão, respectivamente, a briga para fugir das duas últimas vagas do rebaixamento promete ser emocionante.

Esse é o cenário do Brasileirão, que inicia sua 30ª rodada no fim de semana. Segundo o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), além dos iminentes rebaixados América-MG e Coritiba, nove equipes correm risco de queda para a segunda divisão: Vasco, com 70%, Goiás está mais próximo dos 50% e Santos, dos 33%, além de Bahia, Corinthians, Internacional, Cuiabá, Cruzeiro e São Paulo, com probabilidades mais remotas, inferiores a 20%. Com base nesses nove clubes, a reportagem traçou uma análise da tabela de cada um para a reta final da disputa.

A partir da média de pontos conquistados por cada um dos nove próximos adversários desses times – recurso utilizado para analisar a força do calendário nas ligas americanas, como a National Basketball Association (NBA) e a National Football League (NFL) –, dá para se imaginar quais times terão mais dificuldades de somar pontos. Nesse quesito, o Santos, que já trocou de técnico três vezes somente neste ano, tem o caminho mais complicado: em média, seus próximos adversários somam 1,47 ponto por jogo. Além disso, também terá dois clássico, com Corinthians e São Paulo.

Logo abaixo está o São Paulo, que, apesar disso, é o melhor colocado na tabela dentre todos os candidatos ao rebaixamento: 1,45 ponto por jogo dos seus adversários nas próximas rodadas. A goleada imposta pelo Palmeiras nesta quarta-feira, dia 25, abalou os ânimos do campeão da Copa do Brasil. As chances de a equipe de Dorival Júnior ser rebaixada, segundo a UFMG, são remotas (3,8%), mas preocupam quando somadas à dificuldade do calendário e ao desempenho como visitante: é, ao lado do Goiás, o único que ainda não venceu fora de casa no Brasileirão.

“O Palmeiras fez uma brilhante partida, desde o primeiro minuto, mereceu. Nossos comportamentos não foram respeitados, mas muito em razão da postura que a equipe do Palmeiras teve. Outro dia fizemos um jogo quase perfeito contra o Grêmio, dentro do Morumbi. Hoje foi ao contrário. O dinamismo do futebol, infelizmente, provoca situações como essa. Depois da expulsão (de Rafinha) ficou ainda mais difícil. Já não seria fácil. Com a expulsão ficou muito mais complicado”, comentou Dorival após a derrota na rodada.

Corinthians e Goiás têm um calendário mais tranquilo. O time de Mano Menezes ganhou na rodada e subiu na tabela. O Goiás voltou para o Z-4 com a vitória do Santos. Mas o clube goiano é aquele que menos terá duelos com equipes do G-6: enfrenta apenas Red Bull Bragantino e Grêmio até o fim do Brasileirão.

Com tantos envolvidos na disputa contra o rebaixamento, haverá, nessas últimas rodadas, diversos confrontos diretos entre as nove equipes ameaçadas. Vasco e Cuiabá, com uma dificuldade de calendário semelhante (1,4 ponto por jogo), terão, nas nove últimas partidas, cinco confrontos direto – ambos também se enfrentarão, na 31ª rodada, na luta contra o descenso. Goiás, novamente, é um dos que menos terá esses “jogos de seis pontos”: apenas três, contra Vasco, Santos e Cruzeiro.

Outros duelos que podem ser cruciais são aqueles com as equipes que estão na parte de cima da tabela. Nesse sentido, o Vasco é o time que está mais “prejudicado”. Do G-6, enfrenta quatro: Botafogo, Athletico-PR, Grêmio e Bragantino. Os paranaenses, que brigam pela vaga direta na Libertadores do próximo ano, se mostram como um importante fator para a luta contra o rebaixamento – apesar de figurar na quinta posição.

O Athletico jogará, nas próximas nove rodadas, contra sete candidatos ao rebaixamento. A exceção é o Goiás, que tem o menor número de confrontos com o G-6 – e o Internacional.

HISTÓRICO DE QUEDA

A edição de 2023 é 21ª da história do Brasileirão por pontos corridos. Desde seu começo, em 2003, 78 clubes já foram rebaixados – na primeira competição no atual formato, apenas duas equipes caíram. Ao considerar os times que estavam no Z-4 (ou Z-2, no caso de 2003) a nove rodadas do fim, 78,2% das equipes terminaram o ano “classificadas” para disputar a Série B na temporada seguinte. Poucos escaparam da degola.

Em apenas cinco edições do Brasileirão os quatro times que ocupavam alguma posição no Z-4 foram rebaixados para a Série B. Isso ocorreu nas competições de 2007, 2016, 2017, 2020 e 2021. Em 2023, além de Coritiba e América-MG, Vasco e Goiás ocupam as quatro últimas posições da competição antes do início da 30ª rodada.

O único ano em que nenhum dos times que ocupavam as posições de rebaixamento a nove jogos do fim do Brasileirão caiu foi 2003. Na ocasião, Fluminense e Grêmio estavam no Z-2, mas foram Fortaleza e Bahia que terminaram a temporada rebaixados para a Série B.

RISCO DE REBAIXAMENTO

* América-MG – 99,8%
* Coritiba – 99,6%
* Vasco – 70,6%
* Goiás – 50,8%
* Santos – 33%
* Bahia – 18,1%
* Corinthians – 10%
* Cuiabá – 7,1%
* Cruzeiro – 4,9%
* São Paulo – 4,2%
* Internacional – 1,7%

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.