23/05/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

GIRO E DESTAQUES DA 2ª RODADA DO BRASILEIRO; CONFIRA.

7 min read

DoZigzagdoesporte por Carlos Machado.

Ponderado por respeito ao Palmeiras, Muricy elogia Alan Kardec: ‘Diferenciado’.

Gazeta Press

Muricy Ramalho trabalhou com Alan Kardec no Santos
Muricy Ramalho trabalhou com Alan Kardec no Santos

O técnico Muricy Ramalho aguarda ansiosamente a chegada de Alan Kardec. O São Paulo recebeu a informação de que o atacante já avisou ao Palmeiras que não vestirá mais alviverde, mas o treinador tricolor ainda tem cautela em meio aos diversos elogios ao jogador.

“Não posso falar do Alan Kardec, porque ele ainda é do Palmeiras e tenho que ter esse respeito. Mas eu o conheci muito bem. Só não ficou no Santos naquela época porque o Benfica não quis negócio, pois o Danilo foi para o Porto e eles ficaram um pouco aborrecidos”, afirmou.

Muricy comandou o atleta no Santos, que não conseguiu segurar o jogador porque se desentendeu com o Benfica, dono dos direitos do atleta. Na época, a equipe portuguesa queria contratar o santista Danilo, mas o clube alvinegro negociou com o Porto.

Agora, o treinador cita justamente seu contato com o atacante na Vila Belmiro para fazer muitos elogios ao provável reforço são-paulino. O time tricolor já entrou em acordo com o Benfica e também tem salários acertados com o atleta.

“Queríamos o Alan de qualquer jeito no Santos, porque é um grande jogador, com grande caráter e com lado intelectual diferenciado. Ele é inteligente para captar o que o técnico e o time precisam”, completou.

Mais cedo, neste domingo, o presidente são-paulino Carlos Miguel Aidar também afirmou que Alan Kardec “ainda” é do Palmeiras. Diante da iminente perda de seu principal jogador de ataque para um rival, a diretoria alviverde se calou neste fim de semana.

Levir Culpi detecta problemas no Atlético-MG: ‘Temos muita coisa para fazer’.

Divulgação

Grêmio superou o Atlético-MG neste domingo
Grêmio superou o Atlético-MG neste domingo

O técnico Levir Culpi não ficou nada satisfeito com o desempenho do Atlético-MG na derrota para o Grêmio, em Porto Alegre. O que mais irritou o treinador não foi nem o revés, mas sim o futebol apresentado pelo time, que, segundo ele, precisa melhorar bastante. Levir Culpi, porém, conseguiu fazer algumas observações para o jogo de quinta-feira, pela Libertadores.

“Eu me senti mal. A derrota nunca está na programação. Foi um jogo mais parecido com a Libertadores. Os times aqui no sul jogam desta maneira, estilo bem Libertadores, com muito choque, e deu para observar algumas situações. Acho que, de agora em diante, vamos ter na quinta-feira um jogo especial, que mexe com a torcida do Atlético-MG, e isso nós vamos precisar”, afirmou.

Levir Culpi enxergou muitas falhas no time, e entende que vai precisar trabalhar muito para só depois pensar em títulos. Os principais problemas detectados pelo treinador foram nas inversões de jogadas, situações que os atletas do Atlético-MG erraram em excesso neste domingo.

“O time demorou um pouco para reagir no primeiro tempo. Foi um resultado muito ruim. Mas uma ótima oportunidade para recuperar o dano que sofremos hoje será já na quinta-feira. Ainda não estamos no padrão para conseguir uma conquista. O time precisa melhorar muito, principalmente na rotação, temos muita coisa para fazer”, analisou.

D’Alessandro cobra: ‘Nunca se pode deixar empatar jogo que está 2 a 0’.

Gazeta Press

D'Alessandro disputa um lance com Jorge Wagner no Maracanã
D’Alessandro disputa um lance com Jorge Wagner

O Inter somou um ponto fora de casa, mas deixa o Maracanã com a sensação de que deixou dois para trás. O time vencia o Botafogo com tranquilidade por 2 a 0 até os 18 minutos do segundo tempo, quando os anfitriões fizeram o primeiro e igualaram o placar 11 minutos depois, para irritação de D’Alessandro.

“Você nunca pode deixar empatar um jogo que está 2 a 0. Nunca”, cobrou o capitão, acompanhado pelo também sincero Willians. “O time parou no segundo tempo. Isto não pode acontecer”, concordou o volante.

Para o meia argentino, a postura exageradamente defensiva prejudicou o Colorado e tirou da equipe, já na segunda rodada do Brasileiro, o aproveitamento de 100% dos pontos disputados. “Tivemos uma queda. A nossa marcação recuou muito e deixamos o time deles empatar”, reclamou D’Alessandro.

Mas nem todos no clube gaúcho lamentaram o resultado. Paulão prefere pensar que conquistar um ponto fora de casa não é tão ruim. “Não é para se lamentar. Ficamos tristes pelo jogo, porque abrimos uma vantagem muito boa, mas não é de se lamentar. Temos que pensar no próximo jogo”, disse o zagueiro.

O defensor também tratou de evitar críticas a Dida, que saiu errado do gol e viu Emerson Sheik subir mais que seus zagueiros para fazer o primeiro gol do Botafogo e reacender o jogo. “O Inter falhou, não tem Dida nem defesa. Quem entra em campo e sai ganhando ou perdendo é o Inter”, avisou Paulão.

Bahia bate Figueirense e vence a 1ª na Série A; CONFIRA A FICHA TÉCNICA DA PARTIDA.

Getty

Fahel comemora após marcar na vitória do Bahia sobre o Figueirense
Fahel comemora após marcar na vitória do Bahia sobre o Figueirense

O torcedor ‘paulista’ do Bahia enfrentou o frio, mas testemunhou a primeira vitória do clube tricolor no Campeonato Brasileiro da Série A de 2014. Em confronto realizado na Arena Barueri, em virtude de uma punição ao Figueirense por conta de uma confusão ocorrida no ano passado, em clássico com o Avaí, o clube baiano venceu os catarinenses por 2 a 0, com gols dos veteranos Lincoln e Fahel.

Diante de apenas 777 torcedores na Arena Barueri, o Bahia rapidamente se mostrou à vontade ‘fora de casa’. Deste pequeno número, grande parcela vestia a camisa com as cores azul, vermelho e branco. Assim, logo aos 8min, o time nordestino chegou ao gol: após cruzamento de Fahel, Lincoln apareceu na segunda trave e desviou para a rede.

A festa do torcedor baiano se tornou completa somente aos 31min da etapa complementar. Em jogada de bola parada, Titi desviou de cabeça para a direção de Fahel. Com extrema categoria, o volante desviou de ‘chaleira’ e estufou a rede do rival catarinense. Festa baiana em Barueri, e primeira vitória do ‘Baêa’ na Série A em 2014.

Embalado, o Bahia retorna a campo já na próxima quarta-feira, quando receberá o Vila Nova, em duelo pela segunda fase da Copa do Brasil. No Brasileiro, o Botafogo, que buscou um empate por 2 a 2 com o Internacional neste domingo, será o próximo adversário. Ambos os confrontos ocorrerão na Fonte Nova.

Já o Figueirense, recém-promovido da Série B, assume um papel de preocupação. Com duas derrotas, cinco gols sofridos e nenhum marcado, o clube catarinense encara no próximo domingo, às 16h, o Criciúma, no Estádio Heriberto Hulse.

O jogo

O Bahia começou pressionando e abriu o placar logo aos 7 minutos da primeira etapa. Após lateral de Diego Santos, Fahel fez cruzamento na área e Lincoln, livre, cabeceou no contra pé do goleiro.

Os 777 pagantes do jogo viram Anderson Talisca quase aumentar aos 16 minutos. Em falta lateral, o atacante arriscou um chute forte e Tiago Volpi praticou uma grande defesa.

O Figueirense melhorou e quase empatou aos 26 minutos. Marco Antônio recebeu de Giovanni Augusto, ajeitou a bola a bateu colocado. A bola ainda chegou a tocar a rede do gol de Marcelo Lomba, mas pelo lado de fora.

Já na segunda etapa, após jogada trabalhada do ataque do Bahia, Uelliton bateu colocado, por cobertura, mas a bola explodiu no travessão.

O time baiano garantiu a vitória aos 31 minutos. Após cruzamento de Lincoln, Titi ajeitou de cabeça e Fahel só teve o trabalho de empurrar para a rede.

Sem forças, o Figueirense pouco preocupava a zaga do Bahia, que apostava nos contra-ataques para sair com uma goleada. Mas o resultou ficou no 2 a 0.

FICHA TÉCNICA:
FIGUEIRENSE 0 X 2 BAHIA

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 27 de abril de 2014, domingo
Horário: 18h30 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (PE)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse(SP)
Cartões amarelos: Thiago Heleno e Paulo Roberto(Figueirense), Demerson e Fahel(Bahia).
Gols: BAHIA: Lincoln, aos 7 minutos da primeira etapa e Fahel, aos 31 minutos da segunda etapa.

FIGUEIRENSE: Tiago Volpi; Leandro Silva, Nirley, Thiago Heleno e Luan; Paulo Roberto, Giovanni Augusto(Dudu), Marco Antônio(Rivaldo) e Vítor Júnior(Everaldo); Everton Santos.
Técnico: Vinícius Eutrópio

BAHIA: Marcelo Lomba; Diego Macedo(Ranieri), Demerson, Titi e Pará; Uelliton,Fahel, Lincoln(Pitonni) e Maxi Biancutti(Rafinha); Rhayner e Anderson Talisca
Técnico: Marquinhos Santos

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.