13/04/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Após três dias foragido, acusado de comandar venda ilegal de ingressos se apresenta à Justiça; CONFIRA.

3 min read

Do Zigzagdoesporte por ESPN.com.br.

Getty Images

Raymond Whelan é suspeito de chefiar quadrilha de venda ilegal de ingressos
Raymond Whelan é acusado de chefiar quadrilha de venda ilegal de ingressos

O diretor-executivo da Match Services, Raymond Whelan, se apresentou na tarde desta segunda-feira ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O inglês é acusado de comandar um esquema ilegal de venda de ingressos para a Copa do Mundo-2014. Preso pela Polícia Civil do Rio na última segunda-feira e liberado após a obtenção de um habeas corpus, Whelan estava foragido havia três dias.

Além do britânico, outras 11 pessoas tiveram a prisão preventida pedida na última sexta-feira, acusados de organização criminosa, cambismo, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. O único denunciado que teve a prisão requerida foi o advogado José Massih, que colaborou com as investigações.

Os acusados são Mohamadou Lamine Fofana, conhecido como “Lamine”; Alexandre Marino Vieira; Antonio Henrique de Paula Jorge, o “Henrique”; Marcelo Pavão da Costa Carvalho; Sergio Antonio de Lima, o “Serginho”; Julio Soares da Costa Filho; Fernanda Carrione Paulucci; Ernani Alves da Rocha Junior, o “Junior”; Alexandre da Silva Borges, vulgo “Xandy”; e Ozeas do Nascimento.

Operação ‘Jules Rimet’

A Polícia chegou ao nome de Whelan o graças à gravação de 900 registros telefônicos autorizada pela Justiça na ‘Operação Jules Rimet’. As ligações e mensagens eram originárias ou tinham como destino o número de um celular oficial da Fifa. Nas chamadas rastreadas, foi feita a associação de Whelan com o franco-argelino Lamine Fofana, que até então era tido como o principal líder do esquema

A operação Jules Rimet é resultado de pelo menos um mês de investigações da polícia e do Ministério Público e apreendeu mais de cem ingressos, além de dinheiro e máquinas para pagamento com cartão de créditos.

As entradas eram destinadas a patrocinadores da Fifa, membros de comissões técnicas das seleções e clientes de camarotes.

Segundo a Polícia Civil, o lucro da quadrilha chegava até a R$ 1 milhão por jogo, podendo totalizar R$ 200 mi ao final do Mundial. Todos os envolvidos e presos no caso vão responder por crimes de lavagem de dinheiros, associação criminosa e cambismo.

A Match Services é um braço da Match Hospitality, empresa contratada pela Fifa para lidar com venda de ingressos e de pacotes de hospitalidade para empresas, federações e clientes VIP. O sobrinho do presidente da Fifa. Phillipe Blatter é CEO da Infront Sports & Media AG, empresa que detém 5% de participação na Match Services. Os dois filhos de Ray Whelan são sócios da Match, mas não foram presos.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.