21/02/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

ZEBRA EM PORTUGAL

5 min read

Mick Fanning e Kai Otton se cumprimentam após a bateria das quartas, a qual Kai venceu.

Do ZigZag do Esporte.

Circuito mundial de surf, Peniche, Portugal.

BY MAÍRA PABSTPublished 

Kai Otton pegando um tubo no Rip Curl Pro, em Portugal.ASP/Cestari

Kai Otton vence a nona etapa do circuito mundial de surf, que terminou nesta quinta-feira, em Peniche, Portugal. Esta é a primeira vez que Kai Otton vence uma etapa do mundial. Uma zebra já que, nesta etapa, o título de 2013 poderia ter sido decidido pelos lideres do ranking.Inesperadamente, Kelly Slater, segundo colocado do ranking, perdeu logo de cara, deixando o caminho livre para Mick Fanning. Fanning, por sua vez, chegou às quartas, mas perdeu precisando de menos de 5 pontos, deixando a decisão do caneco para Pipeline.

 

ASP/CestariNat Young logo após vencer Josh Kerr na segunda semifinal em Portugal

Para o Brasil, também amargas surpresas. No geral, os brasileiros não se deram bem, o que não é comum neste beachbreak. As condições do mar em Supertubos, deixaram um pouco a desejar este ano. Longos dias de espera, e ondas por vezes boas, outras nem tanto.

FINAL

Kai Otton queria muito este título, pegou uma onda nos primeiros 20 segundo de bateria e abriu o placar. Rápido para pegar a primeira, mas depois passou mais de 15 minutos sem remar em nada. Enquanto isso, Nat Young ficou pegado várias, sem muito sucesso, mas o suficiente para assumir a liderança. A paciência foi compensada com uma onda maior, que lhe rendeu 5.90 para virar. Nat achou um tubo onde parecia impossível. De front, colocou para dentro, segurou e saiu para manobrar. Mas os juízes não acharam q valeu a virada. No minuto final, Nat pegou uma boa, mas o nervosismo ou o cansaço o venceu. Não conseguiu completar uma manobra sequer. Kai Otton venceu o evento. Nat Young, estreante da elite deste ano, foi vice. O americano também foi vice em Bell Beach, na Austrália, no início do ano, e estes resultados podem lhe garantir o prêmio de estreante do ano ao final da temporada.

SEMIS

Kai Otton está empolgado. Saiu pegando um das primeiras, manobrou forte e abriu o placar com um 6.17. Parko esperou. Pegou uma boa direita, entubou e conseguiu ler direitinho o lipe da onda. Saiu parara continuar rasgando e tirar um 8.50. Mas Kai não estava disposto a deixar nada passar. Pegou uma esquerda, também entubou de front. Deu uma enganchada na rasgada seguinte, mas compensou com um layback na junção. 7 pontos para tomar a liderança. Aumentou a diferença com uma no inside, enquanto Joel esperava pacientemente lá fora. Joel usou a prioridade, mas não completou a última manobra. Erro que lhe custou a final. Mesmo com a maior nota da bateria, Parko perdeu e terá que se esforçar bastante no Havaí para tentar manter seu título mundial.

Nat Young também estava na mesma batida de Kai Otton. Postou um 7.50 logo de cara. Suas manobras saem bem controladas e limpas. Seu backside é impecável. Josh Kerr passou quase toda a bateria procurando uma boa para virar.

 

Kirstin/ASP Mick Fanning e Kai Otton se cumprimentam após a bateria das quartas, a qual Kai venceu.

SURPRESAS NAS QUARTAS

O atual campeão do mundo, Joel Parkinson dominou a bateria do começo ao fim. Pegou boas ondas e suas rasgadas limpas, com arcos abertos, mostrou o porque ele é o campeão. Julian Wilson também está em forma. Surfou bem e no minuto final pegou àquela que poderia ser sua salvadora. Bateu forte, rasgou, mas errou o aéreo de finalização. Tirou 7.13 mas precisava de 7.30.

Bateria devagar. Mick Fanning e Kai Otton não surfaram nada acima da casa dos 3 pontos nos primeiros 15 minutos. Kai pegou uma onda razoável, deu três manobras controladas para postar 6.67. Mick ficou tentando achar alguma coisa boa. Otton manteve a prioridade no momento certo. Pegou a última com possibilidade de boa pontuação. Mick, que poderia ter sido campeão mundial nesta etapa, perdeu em uma bateria que ninguém surfou bem.

Jordy Smith abriu o placar enterrando as quilhas na areia, 6.50. Nat Young pegou um tubo de frontside para chegar perto dos 8 pontos. Em seguida emendou umas manobras para mais uma nota acima dos 7. Jordy voltou para a disputa com um layback animal e um aéreo que valeu 6.97. Ainda estava atrás, teve a sua última oportunidade no último minuto, mas precisava de 8.13. Acabou eliminado.

 

ASP/KirstinO brasileiro Miguel Pupo deixou a competição no Round 5, após perder de Jordy Smith.

Na última bateria das quartas, Josh Kerr e CJ Hobgood travaram uma boa batalha. Mas Josh Kerr está em um ano muito inspirado. Suas manobras saem seguras e amplas. Não deu para CJ.

HIGHLIGHTS ROUND 4 E 5

A quinta-feira começou cedo. Caíram na água as baterias de três homes, as que ninguém perde. Mick Fanning se garantiu direto nas quartas. O único brasileiro na competição, Miguel Pupo não passou e teve que disputar a repescagem. Errou muito contra Jordy Smith e, sem boas oportunidades, ficou por ali. O mar ficou muito difícil (para não dizer ruim) em vários momentos do dia. Mas como nada é justificável quando se trata desse nível de surfistas. Na bateria seguinte, Taj Burrow achou um 9 e com mais um 6 e pouco estava levando. Até que Josh Kerr, que também tinha uma onda acima dos 9, achou mais uma nos minutos finais e virou. O azarado Taj, que estava fazendo tudo certinho, está fora da corrida pelo título mais uma vez.

Resultados da Fase Decisiva do WCT em Portugal

Final

Kai Otton 12.23 def. Nat Young 11.03

Semis

Heat 1: Kai Otton 14.83 def. Joel Parkinson 12.23

Heat 2: Nat Young 14.07 def. Josh Kerr 10.66

Quartas

Heat 1: Joel Parkinson 15.07 def. Julian Wilson 14.90

Heat 2: Kai Otton 10.00 def. Mick Fanning 9.43

Heat 3: Nat Young 15.10 def. Jordy Smith 14.54

Heat 4: Josh Kerr 10.67 def. CJ Hobgood 8.56

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.