26/02/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

De ‘máquina de turnovers’ a estrela, calouro transforma saco de pancadas em time invicto na NBA

3 min read

Em uma semana, Michael Carter-Williams deixou de ser uma 'aposta de loteria' para sensação da NBA.

Do ZigZag do Esporte/NBA.

Getty

Em uma semana, Michael Carter-Williams deixou de ser uma 'aposta de loteria' para sensação da NBA
Em uma semana, Michael Carter-Williams deixou de ser uma ‘aposta de loteria’ para sensação da NBA

“Propenso a turnovers”, “uma verdadeira aposta na loteria”, “a um ano e meio de fazer algum impacto”, “eu provavelmente teria escolhido Shane Larkin”. As previsões não eram nada otimistas quando o Philadelphia 76ers selecionou Michael Carter-Williams na 11ª rodada do draft. A franquia já era vista como uma das que entrarão em quadra nesta temporada já pensando na seleção dos talentos de 2014. Principalmente na chance de selecionar Andrew Wiggins, já considerado como um ‘novo LeBron James’.

Uma semana de jogos, porém, transformou completamente a história. Com 22 anos de idade recém-completados, Michael Carter-Williams é a grande estrela deste começo de temporada. A estreia como profissional veio em grande estilo: 22 pontos, 12 assistências, 7 rebotes, 9 roubadas de bolada, um número recorde para qualquer estreante, e uma vitória para cima de ninguém menos que o Miami Heat, atual bicampeão.

Getty

Carter-Williams comanda campanha invicta dos 76ers
Carter-Williams comanda campanha invicta dos 76ers

A atuação ainda se repetiu nos dois jogos seguintes. Contra o Chicago Bulls, Michael marcou 26 pontos, um número que nunca havia conseguido nem mesmo em sua carreira universitária – o recorde pessoal era de 24 contra o Indiana Hoosiers. Mais que isso, corrigiu duas de suas grandes falhas. Foram apenas 7 turnovers em três partidas, uma média bastante aceitável para um armador que fica tanto com a bola nas mãos. Carter-Williams ainda melhorou significativamente o seu chute. A porcentagem que era de apenas 39,3 subiu para 46,8%.

Os números incríveis do calouro acabaram fazendo com que o Philadelphia 76ers vencesse os seus três primeiros jogos na NBA. Uma situação completamente inimaginável antes do início da NBA. Ainda mais com dois rivais de peso como Miami Heat e Chicago Bulls.

O curioso é que a temporada perfeita até aqui acabou colocando Carter-Williams e os 76ers em uma situação bastante complicada. A franquia deve continuar jogando normalmente e brigando por vitórias ou deve abandonar a chance de ir aos playoffs para tentar ficar com a primeira escolha do draft de 2014?

As posições no draft são escolhidas por sorteio, que é influenciado diretamente pela campanha na temporada anterior. Quanto pior o desempenho, maior a chance de a franquia ficar com a primeira posição do processo de seleção.

Em 2014, a primeira posição tem tudo para valer ouro. Com apenas 18 anos de idade, o canadense Andrew Wiggins já é visto como um ‘novo LeBron James’, principalmente pelo potencial atlético. Até por isso, várias equipes não fizeram muitos esforços para se reforçarem nesta temporada. O Phoenix Suns, por exemplo, trocou seu principal atleta, Marcin Gortat, apenas por uma posição no draft.

E mesmo que não fique em primeiro, uma posição alta no draft seria importante para os 76ers. Afinal de contas, o ano de 2014 já é considerado como um dos mais cheios de talento, rivalizando justamente com o de LeBron James e com o de Michael Jordan. Escolha difícil para os diretores da franquia de Philadelphia.

 

Fonte: Por Igor Resende, do ESPN.com.br

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.