15/04/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Gabriel Medina dá show em Bells Beach e avança com maior nota. VEJA TUDO SOBRE O 1º DIA EM BELLS.

5 min read

Por Carlos Fiúza de Salvador para o Zigzagdoesporte.com.br

Gabriel Medina conseguiu a maior nota do dia (9,33) e avançou para o mata-mata com o maior somatório (17,33) em Bells Beach.

Gabriel Medina foi o grande nome do primeiro dia de competição na etapa de Bells Beach da Liga Mundial de surfe (WSL). O tricampeão mundial conseguiu com a maior nota e o maior somatório do dia. Além dele, Miguel Pupo, Ítalo Ferreira e Yago Dora também avançaram direto para a terceira fase.

Caio Ibelli e Samuel Pupo passaram pela repescagem, enquanto Deivid Silva foi eliminado. No feminino, Luana Silva também se classificou, enquanto Tatiana Weston-Webb, apesar de ter tido bom desempenho, enfrentou uma bateria muito forte e vai ter que passar pelo Elimination Round.

“Tinha altas ondas, a prancha tá animal e fico feliz de estar aproveitando cada onda, cada momento”, disse Gabriel Medina, na descontraída entrevista ao Instagram do People On Tour. “Só a sensação de estar em cima da prancha ali, tá animal. Parece até uma viagem, mas fazia tempo que eu não tinha esse prazer de surfar. Acho que com prancha boa, com as coisas tudo andando, faz esse momento, então aproveitar ao máximo, bateria por bateria e tem mais já já né. Vamo embora e estar feliz ajuda, é a cereja no bolo”.

Show de Gabriel Medina

Gabriel Medina alcança a maior nota do dia em Bells Beach
Gabriel Medina alcança a maior nota do dia em Bells Beach (@WSL / Ed Sloane)

O tricampeão mundial estreou na décima das doze baterias da primeira fase e já começou forte, com nota 8,00 na primeira onda que surfou. Ele iniciou com um floater e mandou duas pancadas potentes de backside, conecta com o inside e finaliza com mais uma batida na junção. O australiano Liam O´Brien também surfou bem e chegou a passar a frente com notas 7,50 e 6,50. Até o Gabriel Medina escolher outra onda boa, que armou o paredão para atacar o crítico invertendo tudo, descer e subir de novo para fazer um rasgadão jogando água pra cima, emendando um batidão vertical e outro explosivo na junção.

Os juízes deram 9,33, que igualou a sua maior nota no CT 2024 recebida nas oitavas de final em Supertubos, onde parou nas semifinais. Com o 9,33, o camisa 10 da seleção brasileira da WSL registou o maior somatório de Bells Beach com 17,33 pontos. O recordista era o sul-africano Jordy Smith, com nota 8,17 e 15,84 pontos na bateria em que Caio Ibelli ficou em último lugar.

Miguel Pupo completa 100 etapas na WSL

Miguel Pupo completa sua centésima participação na WSL em Bells Beach
Miguel Pupo completa sua centésima participação na WSL em Bells Beach (@WSL / Ed Sloane)

Além de Caio Ibelli, mais dois brasileiros já haviam caído para a repescagem antes do Gabriel Medina fazer as marcas a serem batidas nas direitas de Bells Beach. Samuel Pupo tinha acabado de perder para o australiano Ryan Callinan e o japonês Connor O´Leary, só conseguindo surfar uma onda na bateria. E o Deivid Silva também ficou em último na primeira vitória da seleção brasileira na Austrália, do Miguel Pupo, na segunda bateria do dia. Ele também atacou forte de backside para ganhar nota 6,67, que decidiu a vitória sobre o DVD e o havaiano Barron Mamiya, que avançou em segundo lugar.

“Estou feliz de ver Bells assim com altas ondas e eu queria pegar mais na minha bateria”, disse Miguel Pupo“Tinham muitas ondas que vinham varrendo tudo, eu fiquei procurando aquelas com mais parede e consegui uma, que foi suficiente para vencer. No início da bateria, estávamos indo cada vez mais pra dentro do pico e o Barron pegou a primeira onda, que não foi boa. Eu me aproveitei disso e na primeira que eu peguei, já consegui uma nota boa. Depois, só surfei mais uma fraca, mas consegui vencer. Esse evento é muito legal e estou feliz de estar aqui competindo, fazendo o que eu amo”, afirmou Miguel Pupo, que completa em Bells sua centésima participação na WSL.

Yago Dora ganhou a bateria que fechou a primeira fase, com Italo Ferreira completando a primeira dobradinha verde-amarela em Bells Beach esse ano. Os dois mandaram o português Frederico Morais para a repescagem.

Feminino

Luana Silva avançou para a terceira fase, enquanto Tatiana Weston-Webb foi para a repescagem em Bells Beach
Luana Silva avançou para a terceira fase, enquanto Tatiana Weston-Webb foi para a repescagem em Bells Beach
(@WSL / Aaron Hughes)

O confronto seguinte abriu a competição feminina com vitória brasileira também da Luana Silva, sobre a francesa Johanne Defay campeã em Supertubos na semana passada e vice-líder no ranking do CT 2024. Em último ficou a californiana Alyssa Spencer.

Tatiana Weston-Webb também estava passando direto para as oitavas de final na última bateria da primeira fase. Foi a que registrou os recordes femininos na terça-feira. A bicampeã de Bells Beach em 2022 e 2023, Tyler Wright, dominou o confronto com as notas 8,00 e 7,17 das primeiras ondas que surfou. Com elas, venceu com o maior somatório do dia, 15,17 pontos. Tatiana passava em segundo com 13,00 pontos até o último minuto, quando Sally Fitzgibbons surfou uma onda que arrancou nota 8,43, a maior da categoria feminina. A australiana tirou a última vaga direta para as oitavas de final da Tatiana, virando o placar entre elas para 13,60 a 13,00 pontos.

Repescagem

Três surfistas da seleção brasileira tentaram se recuperar das derrotas na primeira fase. Justamente os três que estão abaixo da linha do corte na elite e necessitam de bons resultados nestas duas etapas da Austrália, para entrarem na lista dos 22 que seguirão disputando o CT na segunda metade da temporada. O vice-campeão de Bells Beach em 2017, Caio Ibelli, competiu na primeira eliminatória e conseguiu a vitória na onda surfada no último minuto da bateria com Tully Wylie (AUS) e Seth Moniz (HAV).

Os outros dois brasileiros competiram juntos na penúltima bateria da repescagem. O português Frederico Morais já tinha perdido para o Yago Dora e o Italo Ferreira e teve que encarar Samuel Pupo e Deivid Silva, os três necessitando de bons resultados para escapar do corte na elite. Dessa vez, Frederico Morais venceu a bateria e Samuel Pupo passou em segundo, com o DVD sendo eliminado. Com a derrota em último lugar, Deivid Silva vai precisar de um resultado excelente em Margaret River para conseguir entrar no grupo dos top-22 que permanecerão disputando o CT no restante do ano.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.