27/02/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Morre Bellini, o capitão brasileiro que se eternizou com um gesto na Copa de 58

2 min read

or Pedro Henrique Torre, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br.

Gazeta Press

Bellini ergue a Taça Jules Rimet após a final de 58: gesto que se transformaria em um ritual
Bellini ergue a Taça Jules Rimet após a final de 58

Foi naquela tarde de 29 de junho de 1958, na Suécia, que Hideraldo Luiz Bellini entrou para a história do esporte mundial, de maneira quase intuitiva. Só o fato de ser o capitão do primeiro título em Copas do Mundo da seleção brasileira já poderia lhe conferir o a glória. Mas o destino foi além, mais caprichoso. Diante da euforia da conquista, os fotógrafos brasileiros presentes no Estádio Nya Ullevi, em Estolcomo, pediram ao beque da seleção para lhes mostrar a taça Jules Rimet. Bellini não hesitou.

No alto de seu 1,82 metro, o zagueiro que se destacava mais pela personalidade e pela virilidade do que propriamente pela técnica, agarrou a Copa e a ergueu com as duas mãos para o mundo inteiro observar. Não seria exagero dizer que Bellini, naquele simples gesto, mudou a história. Não é mesmo exagero. A imagem de um capitão com os dois braços esticados e a taça acima, reluzente e orgulhosa, era inédita. E nunca mais saiu do imaginário popular. Seja o esporte que for, na conquista em que for, o gesto é repetido ainda nos dias atuais. Uma reverência eterna a Bellini.

“Não foi nada programado. Os fotógrafos que pediram”, costumava dizer o zagueirão.

Aos 83 anos de idade, Bellini cansou-se da luta com o Mal de Alzheimer, que o acometia há mais de dez anos, e nesta quinta-feira (20/03) faleceu em São Paulo, onde estava internado em quadro crítico, agravado por uma parada cardíaca. O homem que, em um gesto, deu um bico no complexo de vira-lata que assolava o Brasil desde o Maracanazzo da Copa de 1950. E, ironias do destino, ali na entrada do Maracanã, virou estátua. Ainda que movido pelo boca a boca do povo. Em 1960, dois anos após a conquista na Suécia, uma estátua de bronze que reproduzia gesto de Bellini com a Jules Rimet foi forjada pelo artista plástico Mateus Fernandes.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.