14/07/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Atlético-MG segura empate na Colômbia e avança às oitavas da Libertadores

4 min read

O Atlético-MG é o segundo time brasileiro classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores da América. Depois do Grêmio garantir a sua passagem para a fase de mata-mata na última quarta-feira, na noite desta quinta foi a vez do Atlético-MG carimbar o seu passaporte para a etapa seguinte. O time do técnico Paulo Autuori passou certo sufoco, contou com atuação inspirada do goleiro Victor e arrancou um empate em 1 a 1 diante do Independiente de Santa Fé, no El Campín, em Bogotá.

Com a igualdade fora de casa, o atual campeão da América chega aos 9 pontos no grupo 4 da Copa Libertadores, na primeira posição da chave, classificado e ainda invicto. Na última rodada da fase de grupos, o Atlético-MG recebe o Zamora-VEN no Independência, dia 10 de abril, e um empate simples basta para a equipe brasileira assegurar a primeira colocação do grupo.

O Zamora está na segunda posição, com 7 pontos, enquanto Santa Fé e Nacional-PAR somam cinco pontos, ainda sonhando com a vaga. Colombianos e paraguaios se enfrentam também no dia 10, com mando do Nacional.

Na partida desta quinta-feira, o Atlético-MG não deu chances para o Independiente de Santa Fé respirar. Logo aos sete minutos de jogo, Jô avançou pela direita e tocou para Guilherme, que bateu no canto e venceu o goleiro Vargas para abrir o placar. No restante da etapa, o Atlético-MG teve mais algumas chances, mas não aproveitou.

No segundo tempo, o Santa Fé partiu para pressionar o time brasileiro. E os colombianos alcançaram o empate aos 18 minutos. Mosquera cruzou da esquerda, Otamendi só observou, e Cuero subiu para testar para a rede, sem chances para Victor. Até o fim do jogo, o Atlético-MG levou perigo em alguns contra-ataques, e contou com grande noite de Victor para segurar o empate em 1 a 1. Vaga nas oitavas de final assegurada.

O jogo

A forte chuva que castigou a cidade de Bogotá pouco antes do início do jogo deixou o gramado do El Campín encharcado, o que dificultou as equipes a jogar com a bola no chão. Aos poucos, a drenagem do estádio absolveu o excesso de água, e a partida melhorou em termos de qualidade técnica.

Na primeira vez que chegou tocando a bola, o Atlético-MG já balançou a rede. Aos sete minutos, inversão de papeis, Jô atuou como garçom e deu assistência para Guilherme, que mostrou categoria na hora de finalizar sem chances para Vargas, abrindo os trabalhos em solo colombiano.

A desvantagem no marcador obrigou o Santa Fé a partir com tudo para cima. Aos 13, após cruzamento da direita, o atacante Ferreira cabeceou livre dentro da área alvinegra, Victor operou o primeiro milagre da noite e se esticou todo para evitar o empate. A pressão dos donos da casa fez os atleticanos recuarem demais na partida.

A situação preocupou o técnico Paulo Autuori, que pediu aos comandados para saírem do campo defensivo. O pedido do treinador só começou a ser atendido após os 25 minutos, quando os colombianos diminuíram o ritmo, o que permitiu ao Atlético-MG encaixar alguns contra-ataques perigosos, quase sempre com a dupla Guilherme e Jô.

Precisando da vitória, o time da Colômbia passou a pressionar de todas as formas, o que possibilitou espaços para os brasileiros nas jogadas em velocidade. O pecado do Atlético-MG na partida foi o excesso de erros de passe, que impediram o time de encaixar lances de perigo com mais frequência.

Jogador de maior prestigio da equipe alvinegra, Ronaldinho Gaúcho foi discreto durante quase toda a partida. Aos sete minutos, o meia tentou um gol por cobertura, mas errou o alvo. Fora isso, passes curtos, bolas paradas e alguns dribles foram tudo que se viu do craque do Atlético-MG. Assim como R10, Tardelli foi figura apagada, sobrando para Guilherme e Victor o protagonismo do jogo.

Muito irritado com a postura do Atlético-MG em campo, Autuori chegou a esbravejar a beira do campo, característica pouco comum no treinador, que já imaginava o pior. Aos 17, Mosquera cruzou para a área, Otamendi cochilou e Cuero testou para a rede, empatando o jogo no El Campín. Sem conseguir manter a posse de bola, os visitantes seguiram pressionados.

Falhando muito na saída de bola, o Atlético-MG praticamente não ameaçou o goleiro Vargas, sendo que Victor teve que trabalhar muito para segurar o empate. O camisa 1 do time brasileiro salvou o Atlético-MG diversas vezes, justificando o status de santo recebido na Libertadores do ano passado.

FICHA TÉCNICA:
INDEPENDIENTE SANTA FÉ 1 X 1 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio El Campín, em Bogotá (COL)
Data: 03 de abril de 2014, quinta-feira
Horário: 23h (de Brasília)
Árbitro: Saul Laverni (ARG)
Assistentes: Ernesto Uziga e Ezequiel Brailovsky (ambos da Argentina)
Cartões amarelos: (Independiente Santa Fé) Mosquera (Atlético-MG) Alex Silva, Leonardo Silva
Gols: Independiente Santa Fé: Cuero, aos 17 minutos do segundo tempo
Atlético-MG: Guilherme, aos sete minutos do primeiro tempo

INDEPENDIENTE SANTA FE: Vargas; Anchico, De La Cuesta, Francisco Meza e Mosquera; Edison Méndez (Pacheco), Daniel Torres, Ferreira (Arias) e Copete; Herrera (Medina) e Cuero
Técnico: Wilson Gutiérrez

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Otamendi, Leonardo Silva e Dátolo; Pierre, Leandro Donizete (Marion), Guilherme (Neto Berola) e Ronaldinho; Tardelli (Alex Silva) e Jô
Técnico: Paulo Autuori

 

Fonte: Espn

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.