21/07/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Maria Suelen leva ippon de ‘fenômeno cubano’ e fica com a prata no Mundial.

3 min read

Do Zigzagdoesporte por ESPN.com.br.

Maria Suelen Altheman resistiu por 1min11seg, mas acabou levando um ippon, foi derrotada pelo ‘fenômeno cubano’ Idalys Ortiz na final dos pesados (acima de 78 kg) e ficou com a medalha de prata no Mundial de judô.

No golpe, a brasileira caiu de mal jeito, com todo o peso do corpo tendo ficado sobre o joelho direito. Ficou no dojô e precisou que a equipe médica da competição a retirasse de lá carregada, de maca.

Com o triunfo, Ortiz, que chegou à decisão após superar a francesa Emilie Andeol apenas no golden score, ampliou a freguesia da brasileira para ela, já que havia batido a mesma na decisão do Mundial de 2013, no Rio de Janeiro.

A cubana de apenas 24 anos também aumentou seu histórico de medalhas. Ela já havia levado o ouro no Pan-Americano de Guadalajara, no México, em 2011, e na Olimpíada de Londres, na Inglaterra, em 2012. Nos Jogos de Pequim, na China, em 2008, ficara com o bronze.

GETTY IMAGES

Judô Mundial Chelyabinsk Rússia Maria Suelen Altheman JOelho Direito Final Acima de 78 kg 30/08/14
Maria Suelen sentiu o joelho direito e saiu de maca

Em Mundiais, esta é a a sua quinta medalha: além do ouro, também levou o bronze por equipe no Rio de Janeiro; antes, já ficara com o bronze em Roterdã, na Holanda, em 2009, e em Tóquio, no Japão, em 2010.

Com a prata, Maria Suelen, conseguiu a terceira medalha para o Brasil na disputa que acontece em Chelyabinsk, na Rússia. Antes dela, Mayra Aguiar conseguiu o ouro na categoria até 78 kg e Érika Miranda ficou com o bronze na categoria até 52 kg.

Para chegar até à final, a brasileira estreou muito bem, precisando de apenas 1min22seg para superar a bósnia Larisa Ceric. Nas quartas de final, ela passou pela alemã Franziska Konitz, contra a qual fez 3 a 2 no retrospecto.

Na semifinal, a judoca de 26 anos passou pela japonesa Megumi Tachimoto graças a uma punição por falta de combatitividade (shidô) dada a rival.

Rafael Correa cai na segunda luta – Campeão mundial em 2007, no Rio de Janeiro, Luciano Correa começou bem a caminhada na categoria acima dos 100 kg, controlou a luta contra o búlgaro Daniel Dichev e o fez ser punido quatro vezes por falta de combatitividade (shidô), o eliminando e vencendo o combate.

No entanto, Correa, atualmente com 31 anos, não resistiu ao tcheco Lukas Krpalek, número um do ranking mundial, e acabou eliminado e fora da briga por medalhas ainda na segunda luta.

Rochele Nunes perdeu logo na estreia. Ela lutou contra a turca Gulsah Kocaturk na categoria acima de 78 kg e com dois minutos de luta já tinha sido punida três vezes por falta de combatitividade (shidô).

Foi, então, obrigada a ir para cima para não ser penaliza outra vez e, consequentemente, eliminada. Acabou tomando um yuko e perdendo o comabte.

GETTY IMAGES

Judô Mundial Chelyabinsk Rússia Maria Suelen (Prata), Idalys Ortiz (CUB/Ouro), Megumi Tachimoto (JAP/Bronze) e Emilie Andeol (FRA/Bronz) 30/08/14
Maria Suelen (prata), Ortiz (ouro), Megumi Tachimoto (JAP/Bronze) e Emilie Andeol (FRA/bronze) 

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.