16/04/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Quem é o brasileiro que segue os passos de CR7 e já vale R$ 200 mi?

5 min read

Luiza Oliveira e Vanderlei Lima Do UOL, em São Paulo.

Promessa brasileira do Sporting

O brasileiro Matheus Pereira, de apenas 18 anos, renovou seu contrato com o Sporting até 2020 Divulgação

Matheus Pereira não tem a mania de se olhar no telão durante os jogos, não chama a atenção pela vaidade, nem por arrancar suspiro da mulherada. Mas tem mais semelhanças com Cristiano Ronaldo do que parece. O brasileiro ainda pouco conhecido no Brasil tem apenas 18 anos, mas já segue os passos do astro português. Inclusive na conta bancária.

Matheus hoje disputa a segunda divisão do Campeonato Português no Sporting B e já tem um futuro garantido pela frente. Ele é profissional desde os 16 anos, tem contrato até 2020 e sua multa rescisória vale nada menos que 60 milhões de euros, o equivalente a R$ 205 milhões.

O atacante joga no mesmo time onde o melhor jogador do mundo começou a carreira profissional e atuou na temporada 2002/2003. E quer trilhar o mesmo caminho ao sonhar com uma transferência para a Inglaterra, nos moldes do ídolo que foi para o Manchester United em 2003 e ficou até 2009.

“A minha referência hoje é o Cristiano Ronaldo, eu quero seguir os passos dele. Jogar na Inglaterra e na Espanha. Ele foi um jogador exemplar aqui, foi um jogador top aqui no Sporting. Ele é um jogador que todo dia quer quebrar recordes, então eu olhei este lado dele e disse pra mim mesmo, ‘pô, eu quero ser igual a esse cara’. Eu quero quebrar recordes todos os dias, quero trabalhar o máximo que puder e dar de tudo, crescer e avançar na vida”.

Quem entende do assunto garante que as semelhanças realmente existem. Na base do Sporting, Matheus trabalhou com Aurélio Pereira, o olheiro famoso por descobrir craques como Cristiano Ronaldo e Luis Figo. Foi com o profissional experiente que ele ganhou incentivo e pegou dicas de como seguir Cristiano.

“O Aurélio Pereira já comentou: ‘você tem a mesmas qualidades que o Cristiano Ronaldo, você pode ser uma pessoa bem sucedida na vida futebolística. Basta você se espelhar no Cristiano Ronaldo. Se você fizer tudo aquilo que ele fez aqui, você vai ser bem sucedido na vida’. Foi a partir daí que eu comecei a olhar para o Cristiano Ronaldo”.

Apesar da idolatria por CR7, Matheus tem um estilo de jogo diferente e acredita ser mais parecido com outro craque que os brasileiros conhecem muito bem. “O meu estilo de jogo é mais parecido com o Neymar que dribla, vai pra cima, gosta de fazer gols, gosta de aparecer, sou assim.”

Mas nem tudo foram flores na relação entre Matheus e Sporting. O brasileiro quase se transferiu para o Monaco. Chegou a fazer testes médicos e a assinar um pré-contrato segundo o jornal DN. Mas o Sporting resolveu cobrir a oferta e ficar com o jogador, o que gerou um mal estar com o clube francês.

“Há uns tempos a relação dele com o Sporting estava difícil, inclusive o jogador estaria sendo negociado pelo Sporting com o Monaco, do treinador Leonardo Jardim, que era o treinador anterior do Sporting. Mas aconteceu alguma coisa e o acerto não saiu. O Matheus se acertou com o Sporting que acertou boas condições salariais”, conta Eduardo Marques, repórter do jornal português A Bola.

Agora tudo está resolvido. Depois de se destacar na base, que é conhecida por ter formado dois jogadores ganhadores do prêmio de melhor do mundo, Matheus ganhou a atenção do time principal. Aos poucos vai fazendo a transição para o time A e já chegou a treinar com os futuros colegas. Para isso, conta com a ajuda do também brasileiro, o lateral esquerdo Jefferson.

Eduardo Marques avalia o seu momento no clube. “O Sporting acertou porque é um talento. Ele é um jovem e também uma das surpresas da formação do Sporting. Os responsáveis estão de olho nele. Com certeza vai ser um bom jogador, logo mais vai chegar ao plantel principal do Sporting e vai vingar como jogador. No primeiro jogo com o novo contrato ele chegou até a marcar um gol.”

Matheus sonha mesmo alto ao se comparar com os melhores jogadores do mundo. Mas ainda não sabe ao lado de qual deles quer jogar em uma seleção. Vivendo em Portugal há cinco anos, ele já pode obter cidadania para defender o país europeu, mas ainda tem dificuldades para tomar uma decisão.

O candidato a craque já foi orientado por algumas pessoas a defender a seleção portuguesa por ser mais fácil para se destacar. Mas admite que o coração bate mais forte pela amarelinha. Sua confiança aumentou depois de encontrar o técnico das seleções de base do Brasil, Alexandre Gallo, em um aeroporto e ouvir dele que está sendo observado.

“Esta é uma questão que as pessoas têm colocado para mim ultimamente. Eu não descarto esta hipótese, mas o meu objetivo, a minha vontade, o meu desejo é a seleção brasileira. Mas, se por ventura não acontecer, é bem capaz que eu possa jogar pela seleção portuguesa. A minha vontade e o meu desejo são pela seleção brasileira, mas também eu não coloco de lado a seleção portuguesa. Já estou aqui há cinco anos, é um país bacana”.

Curiosamente não foi a bola que levou Matheus a Portugal ainda no início da adolescência. Mineiro de Governador Valadares, ele começou ainda menino em times da cidade como o Filadélfia e o Democrata. Chegou a fazer testes no Cruzeiro de Belo Horizonte, mas foi parar em Portugal.

A família de Matheus foi tentar a vida na Europa depois que seu pai largou o emprego em uma concessionária de veículos. Enquanto o genitor vendia pacotes de TV a cabo, o herdeiro alimentava o sonho de ser jogador de futebol e começou a treinar no pequeno Trafaria.

Certo dia em um treino, quando ainda tinha seus 12 anos, o olheiro do Sporting José Meirelles o levou para um teste no Sporting. Foi aí que tudo mudou. “Ele me levou para fazer um teste no Sporting, e eles gostaram de mim. Eu ainda tinha 12 anos e eles me levaram para o clube onde estou seguindo a minha carreira até hoje.”

Hoje, ele agradece os pais pela escolha de vida que ele considera ter sido certeira. “Se eu tivesse ficado aí no Brasil, meu pai ia ter que voltar de Portugal para me dar um apoio maior, as condições estavam mais difíceis no Brasil, sem dúvida. Ter vindo para Portugal foi uma parte importante, foi bom, foi um passo na vida. Em nível financeiro a migração foi importante para o meu trajeto ao futebol.”

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.