03/03/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Bruno Soares projeta ouro olímpico no Rio-2016 e alto nível no tênis até 2020

2 min read

Do ZigZag do Esporte/Tênis.

Dias depois de encerrar a melhor temporada de sua carreira, Bruno Soares manifestou o desejo de manter o alto nível no circuito de duplas até 2020. Diante do sucesso do compatriota Marcelo Melo, o tenista sonha com a possibilidade de conquistar o título olímpico no Rio de Janeiro-2016.

Getty

Bruno Soares (esq) e Alexander Peya comemora vitória sobre David Marrero e Fernando Verdasco no ATP Finals
Bruno Soares vive ótima fase ao lado de Alexander Peya

“Penso em jogar até 2020. Em 2016, tenho certeza que vou alcançar meu auge. Estou em uma crescente muito grande desde a temporada de 2008. No ano das Olimpíadas do Rio de Janeiro, não vai ser diferente”, declarou o tenista, na última quarta-feira, em São Paulo.

Se Bruno Soares viveu uma grande temporada ao lado do austríaco Alexander Peya, Marcelo Melo fez o mesmo com o croata Ivan Dodig. Desta forma, os dois mineiros participaram do seleto ATP Finals, evento que reúne as oito melhores parcerias do ano em Londres.

Amigos desde a adolescência em Belo Horizonte, Soares e Melo costumam defender o Brasil na Copa Davis de maneira bem sucedida – em 2013, a dupla venceu os poderosos irmãos norte-americanos Mike e Bob Bryan. Juntos, os mineiros reúnem quatro títulos e cinco vice-campeonatos no circuito da ATP.

“Com certeza, nós vamos entrar nas Olimpíadas para brigar por medalha. Eu e o Marcelo estamos mostrando a cada dia que estamos na elite das duplas. Queremos a medalha de ouro. Sabemos que temos condições de brigar pelo título olímpico”, avisou Soares.

Os mineiros disputaram uma edição dos Jogos pela primeira vez em Londres-2012. Na grama de Wimbledon, Soares e Melo perderam nas quartas de final diante dos franceses Michael Llodra e Jo-Wilfried Tsonga, derrotados pelos irmãos Bryan na decisão.

Bruno Soares nasceu em 1982 e Marcelo Melo, em 1983. Como no circuito de duplas o desgaste físico é menor, já que os pontos são definidos com mais rapidez e o jogador precisa correr menos, os dois brasileiros podem permanecer na elite durante as próximas temporadas.

“Eu costumo pegar como base os irmãos Bryan. Eles fizeram a melhor campanha da carreira em 2013 e já estão com 35 anos. Na época das Olimpíadas do Rio de Janeiro, vou ter 34. Eu e o Marcelo estamos em uma evolução constante e vamos chegar em 2016 no auge”, disse Soares, confiante.

 

Fonte: ESPN.com.br com Agência Gazeta Press

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.