25/06/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

‘Imperador’ Hamilton passeia, supera Fangio, vence na China e acirra briga pelo título

4 min read

DoZigzagdoesporte Por ESPN.com.br.

Getty

Hamilton larga na frente na China; inglês 'sobra' e conquista vitória tranquila em Xangai
Hamilton larga na frente na China; inglês ‘sobra’ e conquista vitória tranquila em Xangai

Se o giro pelo Ásia e Oceania no começo da temporada é um indício do que vai ser o ano, a Mercedes pode comemorar. E muito. Neste domingo, Lewis Hamilton confirmou as expectativas e, com enorme facilidade, se consagrou “imperador” da China ao vencer o GP de Xangai de Fórmula 1, a quarta vitória da equipe em quatro provas em 2014. Nico Rosberg, também da Williams, e Fernando Alonso, da Ferrari, completaram o pódio. Felipe Massa teve uma corrida para ser esquecida e terminou em 15º.

O inglês foi o grande nome do fim de semana na Ásia. “Sobrou” nos treinos livres, voou para conquistar a pole e bater recordes, não deu brechas para os rivais na corrida. Corrida, aliás, que rendeu mais marcas importantes em sua carreira.

Hamilton chegou a 25 vitórias, deixando o lendário Juan Manuel Fangio para trás, com 24, e igualando as marcas de Jim Clark e Niki Lauda no oitavo lugar dos maiores vencedores da história da F-1. São, ainda, três triunfos seguidos, um feito inédito na carreira do inglês.

Reuters

Fernando Alonso em ação no Grande Prêmio da China de Fórmula 1
Fernando Alonso em ação na China: 1º pódio do ano

Além disso, o campeão mundial de 2008 e favorito ao bi pode bater no peito e se autoproclamar “imperador” do GP da China. Afinal, ele agora é o maior vencedor da prova no país, com três conquistas (2008, 2011 e 2014) nas 11 edições da disputa chinesa. Antes, dividia o feito com Fernando Alonso, primeiro em 2005 e 2013. O único a vencer na China e se tornar campeão no mesmo ano foi justamente Hamilton. Será que a história vai se repetir?

O resultado confirma e indica um domínio da Mercedes após os GPs da Austrália, Malásia, Bahrein e China. Quatro poles, quatro vitórias, sendo três de cada uma para Hamilton. O inglês, que não pontuou na estreia na Austrália – abandonou na segunda volta com problema no motor -, só não teve o fim de semana perfeito porque seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, terminou em segundo e permaneceu na liderança do Mundial de Pilotos, com 79 pontos, quatro a mais que Hamilton.

A prova
Esqueça a emoção das brigas por posições e ultrapassagens de lá e de cá. Esqueça, ainda, os acidentes fantásticos. Isso ficou no Bahrein. Na China, a prova foi decidida pelos boxes.

O grande destaque da largada foi Felipe Massa. Largou em sexto, ultrapassou Rosberg, se chocou com Alonso, e o toque praticamente acabou com a prova do brasileiro. Ele chegou a terminar a primeira volta na quinta posição, mas parou na 11ª nos boxes. Aí, veio o “fim”: mais de 50s parado, com problema para se recolocar o pneu traseiro esquerdo, possivelmente pelo choque com Alonso. Voltaria em último – 21º -, a mais de 10s de Marcus Ericsson, o penúltimo e tentaria uma prova de recuperação.

Enquanto isso, Hamilton acelerava. Enquanto isso, nos boxes, com as primeiras trocas de pneus, as posições se alternavam, mas sempre com a dupla da Red Bull, Vettel e Ricciardo, o segundo homem da Mercedes, Rosberg, e o intruso da Ferrari, Fernando Alonso, entre os cinco primeiros.

Reuters

Com facilidade, Hamilton acelera para conquistar a vitória no GP da China de F-1
Hamilton acelera para conquistar a vitória no GP da China de F-1

Se houve um grande momento da briga por posições, ele durou por cerca de cinco voltas. Começou no fim da 22ª, quando Rosberg e Vettel travaram uma batalha alemã pela terceira posição. Melhor para o piloto da Mercedes, que ultrapassou o rival, evitou o “x” e assumiu o terceiro lugar. Em seguida, foi a vez de Vettel e Ricciardo iniciarem um duelo pelo quarto posto. O tetracampeão fechou a porta aqui e ali, mas não conseguiu segurar o “petulante” australiano, que finalmente conseguiu a bela ultrapassagem na volta 27. E voltamos para os boxes.

A partir da 33ª volta, com a segunda parada, as posições começaram a se definir. Hamilton tranquilo em primeiro. Alonso ganhou duas posições e subiu para segundo. Rosberg passou para terceiro. Ricciardo perdeu duas, assim como Vettel, respectivamente quarto e quinto colocados. Massa aparecia com uma volta atrás, em 16º.

O ritmo de Alonso era bem mais fraco que os rivais. Tanto que a ultrapassagem de Rosberg só foi questão de tempo. Sem emoção, o alemão garantiu o segundo lugar na 42ª volta. Tudo indicava que Ricciardo chegaria e roubaria a posição do espanhol. Mas o bicampeão se recuperou, não permitiu a aproximação do australiano e se garantiu no terceiro lugar, seu primeiro pódio no ano.

Depois de quatro provas na Ásia e na Oceania, a Fórmula 1 abre o seu giro pela Europa no dia 11 de maio, com a disputa do GP da Espanha.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.