14/07/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

RESUMO DA RODADA NO CAMPEONATO BAIANO; CONFIRA.

6 min read

Do Zigzagdoesporte.com.br por Carlos Machado com espn.com.br.

Gazeta Press

Léo Gamalho fez um gol e deu uma assistência na vitória do Bahia
Léo Gamalho fez um gol e deu uma assistência na vitória do Bahia
O Bahia recebeu o Catuense na Fonte Nova e não teve dificuldades para vencer por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, pela quarta rodada do Campeonato Baiano. Os atacantes Kieza e Léo Gamalho foram o destaque. Primeiro, com passe de Kieza, Léo Gamalho balançou a rede. Em seguida, eles trocaram as funções, e Kieza deixou o seu e garantiu os três pontos dos donos da casa.

Com o triunfo, o Bahia pulou, provisoriamente, para a segunda colocação do grupo 1 com seis pontos, um atrás do líder Juazeirense. Já o Catuense estacionou nos quatro pontos conquistados e acabou caindo da terceira para a quarta posição da chave 2.

O time tricolor volta a campo no próximo domingo, pela quinta rodada do Campeonato Baiano, fora de casa, para fazer o clássico contra o Vitória. Na próximo sábado, o Catuense encara, em seus domínios, o Juazeirense.

Os anfitriões foram representados por Jean; Tony, Thales, Titi e Carlos; Wilson Pittoni, Souza (Rômulo) e Tiago Real; Maxi Biancucchi (Bruno Paulista), Kieza e Léo Gamalho. Já os visitantes atuaram com Enéias; Ronis (Mailson), Bira, Jailson, Demerson; Pablo, Mica, Tacio (Nem), Alessandro Azevedo; Robert e Rafael Santos (Charles).

O jogo – Com apenas quatro minutos de jogo, a defesa do Bahia falhou, e a bola sobrou para Robert, que encheu o pé, mas o chute acabou indo para fora. Contudo, a partir dos 15 minutos, a equipe tricolor passou a dominar o duelo. Após bela jogada pela direita, Léo Gamalho venceu a defesa e conseguiu o cabeceio, mas a bola passou por cima do alvo. Logo em seguida, foi a vez de Kieza receber bom passe na grande área e finalizar para a defesa do goleio Enéias.

Assim, aos 24, Léo Gamalho teve grande chance e marcou. A defesa do Catuense falhou na saída de bola. Deste modo, Kieza fez a jogada pela direita e cruzou na medida para o o companheiro apenas empurrar a bola para o fundo da rede. Antes de marcar o segundo gol, o Bahia ainda desperdiçou três chances com Maxi, Léo Gamalho e Kieza.

Somente aos 40 minutos, Léo Gamalho recebeu cruzamento da esquerda e devolveu a assistência para Kieza, que, sozinho na área, não teve dificuldades para marcar o segundo dos mandantes na noite.

Após o intervalo, os anfitriões não diminuíram o ritmo e continuaram pressionando o adversário. Em menos de 15 minutos, o Bahia teve quatro chances claras de marcar o terceiro tento no duelo, mas acabou errando na finalização ou parando no goleiro Enéias.

Porém, com a vitória segura, o time tricolor tirou o pé do acelerador, e o jogo ficou morno. Somente aos 37 minutos, o Bahia conseguiu levar perigo outra vez. Léo Gamalho fez boa jogada e cruzou para Kieza, que tentou a finalização dentro da área, mas acabou furando. Mesmo assim, os donos da casa garantiram mais um triunfo no Campeonato Baiano.

Com pouco mais de 500 pessoas, Vitória sofre e apenas empata com Galícia.

André Uzêda DO UOL, em Salvador.

Quinhentas e vinte e três pessoas pagaram ingresso na noite desta quarta-feira (25) para assistir Galícia x Vitória pela quarta rodada do Campeonato Baiano. 523 lugares é o equivalente a duas salas de cinema de luxo.
Quinhentas e vinte e três pessoas pagaram ingresso na noite desta quarta-feira (25) para assistir Galícia x Vitória pela quarta rodada do Campeonato Baiano. 523 lugares é o equivalente a duas salas de cinema de luxo.

Quinhentas e vinte e três pessoas pagaram ingresso na noite desta quarta-feira (25) para assistir Galícia x Vitória pela quarta rodada do Campeonato Baiano. 523 lugares é o equivalente a duas salas de cinema de luxo — completamente cheias — de um shopping de Salvador. O pequeno público não viu um grande espetáculo no 0 a 0 no Estádio de Pituaçu.

A renda gerada foi de R$ 10.460. Pior para o time da comunidade espanhola, que foi o mandante da partida e terá que arcar com o prejuízo do aluguel do estádio.

O público pífio refletiu a qualidade do confronto. Um Vitória apático ante um Galícia sem grandes aspirações técnicas. Resultado: os dois goleiros praticamente não pegaram na bola — sendo que o do Vitória, Fernando Miguel, não precisou fazer uma única defesa sequer.

Os lances de maior emoção no jogo se deram no primeiro tempo. Elton, do Vitória, desperdiçou uma chance clara diante do goleiro do Azulino.

Na etapa final, os dois times não criaram praticamente nada e pareciam mais preocupados com o apito final do árbitro para se livrar do tormento de jogar bola.

O próximo confronto do Vitória é diante do arquirrival Bahia, no Barradão. Será o primeiro clássico do ano. O rubro-negro é o segundo colocado do Grupo 2, com oito pontos.
FASES DO JOGO

No primeiro tempo o Vitória dominou completamente as ações do jogo e só não abriu o placar por falta de qualidade na definição das jogadas.

Dos pés dos meias de criação Jorge Wagner o rubro-negro chegou diversas vezes a área do Galícia, mas não conseguiu traduzir tamanha superioridade em gols.

Na chance mais clara, aos 15 minutos, Elton chutou praticamente à queima roupa e o goleiro Dida defendeu no reflexo.

Antes disso, aos oito, o bandeirinha Paulo Gussen assinalou impedimento acertadamente no gol de Willie.

Na volta do intervalo a tônica de jogo permaneceu na mesma monotonia. A única mudança foi o uniforme do Azulino — que trocou a tradicional camisa celeste por uma branca.

Com novo uniforme, o Galícia até ameaçou chegou ao ataque, mas esbarrou nas
próprias limitações técnicas. Sem mostrar muita disposição, o meio de campo do Vitória foi improdutivo e praticamente não criou nenhuma chance clara de gol.
MELHOR
Não houve. É impossível destacar alguém

PIOR
Elton. Se movimentou pouco e perdeu duas boas oportunidades de marcar. Um em cada tempo. No primeiro perdeu cara a cara com o goleiro Dida. Na etapa final desperdiçou boa chance de cabeça

CHAVE DO JOGO
Drubscky não deu movimentação ao time e fez mudanças que só fizeram sacramentar o esquema burocrático do Vitória.

PARA LEMBRAR
Vitória e Galícia já definiram duas finais de estadual. Nas duas o Vitória levou a melhor, ficando com o título em 1980 e 1995.

Galícia 0 x 0 Vitória

Local: Estádio de Pituaçu, em Salvador (Bahia)
Data: 25 de fevereiro de 2015 (quarta-feira)
Horário: 22h
Árbitro: Gleidson Santos de Oliveira (CBF-BA) Assistentes: Paulo de Tarso Gussen e Jucimar Dias (ambos da Bahia)
Cartão Amarelo: Jonathan, Dida (Galícia); Vander (Vitória)
Cartão Vermelho: Kadu (Vitória)

VITÓRIA
Fernando; Romário, Ednei, Kadu e Euller; Amaral (Wellington), Flávio, Jorge Wagner e Mauri (Vander); Willie (Mansur) e Élton
Técnico: Ricardo Drubscky

GALÍCIA
Dida; Igor, Rafael, Glauber e Jonathan; Rodrigo Menezes, Thiago Saraçol (Diego Douglas), Rodolfo e Ramon; Danilinho e Éder
Técnico: Luciano Silva.

Fase de grupos

Grupo 1 P J V E D GP GC SG %
1 Juazeirense 8 4 2 2 0 4 2 2 66.0
2 Bahia 6 4 2 0 2 6 5 1 50.0
3 Bahia de Feira 6 4 1 3 0 3 2 1 50.0
4 Galícia 5 4 1 2 1 3 2 1 41.0
5 Colo Colo-BA 5 4 1 2 1 1 1 0 41.0
6 Serrano 4 4 1 1 2 5 7 -2 33.0
Grupo 2 P J V E D GP GC SG %
1 Vitória da Conquista 8 4 2 2 0 5 2 3 66.0
2 Vitória 8 4 2 2 0 3 0 3 66.0
3 Jacuipense 5 4 1 2 1 5 5 0 41.0
4 Catuense 4 4 1 1 2 4 5 -1 33.0
5 Jacobina 3 4 0 3 1 2 4 -2 25.0
6 Feirense 0 4 0 0 4 0 6 -6 0.0

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.