04/03/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Projeto do Governo para ‘financiar’ clubes é esvaziado por suposto favorecimento a cariocas

3 min read

Os dirigentes estiveram reunidos nesta semana, na sede da CBF.

Do ZigZag do Esporte.

Divulgação

Os dirigentes estiveram reunidos nesta semana, na sede da CBF
Os dirigentes estiveram reunidos nesta semana, na sede da CBF

Um suposto favorecimento aos times cariocas é apontado por dirigentes como um dos fatores responsáveis pelo ‘esvaziamento’ do Proforte, anteprojeto do deputado federal Vicente Cândido, desenvolvido em parceria com o Ministério do Esporte, que permite aos clubes descontarem suas dívidas em troca de investimentos em esportes olímpicos.

A análise é de que, como os quatro grandes do Rio já possuem tradição em outras modalidades, eles gastariam menos para se adequar à lei que se encontra em análise e pode ser apresentada como Medida Provisória pelo Governo.

Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco estão entre os maiores devedores do futebol brasileiro e respondem por boa parte da conta de R$ 3,5 bilhões com a União divulgada nesta semana pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O panorama atrai críticas de concorrentes que se encontram em ordem com suas finanças e não enxergam atrativo no programa.

“O Proforte interessa a eles porque eles contam com essas atividades náuticas. Mas é uma situação ruim para os clubes que não têm esses esportes. O investimento que tem que fazer é muito grande para ter essa renúncia fiscal”, afirma o presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, aoESPN.com.br.

O anteprojeto prevê a possibilidade de que até 90% das dívidas dos times com o INSS, Fundo de Garantia e Imposto de Renda seja trocada por investimentos em esportes olímpicos e na inclusão social de comunidades vizinhas. Os outros 10% poderiam ser quitados em no máximo 240 parcelas.

Na tarde da última quinta-feira, presidentes de quatro clubes se reuniram na sede da CBF, no Rio de Janeiro, com um dos vice-presidentes da entidade, Marco Polo Del Nero, e reforçaram a tendência de deixar o Proforte de lado nesse momento. O objetivo das equipes é conseguir o alongamento do prazo para o pagamento dos débitos e a punição com perda de pontos para aquelas que não cumprirem o acordo que vem sendo negociado.

O fair play financeiro, como vem sendo chamado, foi apresentado nesta semana também em audiência pública na Câmara dos Deputados, em Brasília, e entraria em vigor somente a partir de 2015.

Em resposta ao descontentamento de parte dos clubes com os cariocas, o ministro esporte Aldo Rebelo cogitou até mesmo criar um crédito para as equipes que não contam com dívidas fiscais elevadas.

Na proposta construída pelos times, a ideia é contar com pré-requisitos para que eles disputem as competições, como a obtenção das certidões negativas de débito (CNDs). O Flamengo foi um dos que conseguiram no início do ano acordo com a Fazenda para o parcelamento de sua dívida de R$ 8 milhões. A perda de pontos, por sua vez, poderia ser decidida através de contato entre o sindicato dos atletas e a Justiça Desportiva sobre o atraso, com um prazo para resposta e regularização do débito.

 

Fonte: Por Marcus Alves, do ESPN.com.br

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.