16/06/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

OUTRA FINAL ESPANHOLA; CONFIRA TUDO DAS SEMIS UMA NA UEFA CHAMPIONS E OUTRA EUROPE LEAGUE

4 min read

Do Zigzagdoesporte Por Carlos Machado.

Juventus pressiona, mas ‘perde’ final em casa, e Benfica decide Europa League com Sevilla.

Juventus pressiona, mas ‘perde’ final em casa, e Benfica decide Europa League com SevillaPalco da final da Europa League da atual temporada, a Juventus Arena viu nesta quinta-feira o último jogo do time da casa no campeonato. A Juve não conseguiu responder à derrota de 2 a 1 para o Benfica, em Portugal , empatou por 0 a 0 na volta das semifinais e está eliminada.

 

Os portugueses, que seguraram firme a pressão adversária com dez homens durante quase todo a etapa final – Pérez foi expulso – decidirão o título pelo segundo ano consecutivo, agora com o Sevilla. No ano passado, o Chelsea foi campeão.

O Benfica, que nesta quinta contou com os brasileiros Luisão e Lima em campo e com Artur e Jardel no banco, tem dois vice-campeonatos da Europa League no currículo. Também foi derrotado em 1983, para o Anderlecht, da Bélgica.

Reuters

Pogba faz malabarismo durante Juventus x Benfica, semifinal da Europa League
Pogba faz malabarismo durante Juventus x Benfica

A grande decisão acontece em 14 de maio. Dez dias depois, Lisboa, cidade-sede do Benfica, recebe outra final europeia, da Champions League, entre Atlético de Madri e Real Madrid.

O consolo é que a Juventus, tri da Europa League, pode ser campeã italiana na próxima rodada da competição, segunda-feira que vem, contra a Atalanta, em casa. O Benfica já é campeão português e recebe a faixa no próximo domingo, em casa, contra o Vitória de Setúbal.

O jogo

A Juventus levava perigo no primeiro tempo em jogadas aéreas, em cabeçadas de Vidal e Bonucci perto da trave e principalmente na segunda testada de Vidal, tirada em cima da linha pelo zagueiro brasileiro Luisão. O goleiro Oblak trabalhou espalmando chute de longe de Pirlo

Reuters

Torcedor 'Karl Marx' do Benfica comemora vaga à final da Europa League, sobre a Juventus
Torcedor ‘Karl Marx’ do Benfica comemora vaga à final

O domínio ‘bianconero’ continuou nos 45 minutos finais, mas a primeira boa jogada foi dos portugueses, com Rodrigo, que da marca do pênalti arrematou por cima do travessão.

Veio a chuva forte em Turim, mas nada de gol. Pirlo novamente deu trabalho a Oblak, agora em cobrança de falta que o esloveno defendeu muito bem, apesar da bola molhada. Pérez foi expulso aos 22 e aumentou as esperanças juventinas.

Mas a produção ofensiva italiana diminuiu. Lichtsteiner recebeu belo cruzamento na direita e não dominou. Osvaldo marcou no fim, mas o lance estava irregular. Oblak ainda espalmou outra cabeçada, de Cáceres, aos 51.

 

Massacrado em campo, Sevilla consegue gol no fim, elimina Valencia e tentará tri da Liga Europa.

O Valencia estava classificado para a final da Liga Europa de 2013/2014 até os 48 minutos do segundo tempo. Com um gol salvador do camaronês M’Bia, o Sevilla perdeu por 3 a 1 do rival no estádio Mestalla, mas se classificou à decisão pelo gol marcado fora de casa. Na ida, o clube andaluz havia vencido por 2 a 0.

Em campo, o Valencia dominou amplamente a partida, com gols de Feghouli, Beto (contra) e Mathieu. Na final, o Sevilla – campeão em 2006 e 2007 do torneio, quando ainda era chamado de Copa da Uefa – enfrentará o Benfica, que eliminou a Juventus na outra semi. A final será no dia 14 de maio, na cidade de Turim.

O Valencia abriu o placar aos 13 minutos do primeiro tempo, com Feghouli. Depois de ótima troca de passes, o argelino recebeu passe de Vargas na direita, cortou a marcação e chutou. A bola desviou em Parejo antes de superar o goleiro Beto.

Empurrado pela torcida, a equipe comandada por Pizzi fez 2 a 0 aos 25 minutos. O lateral Juan Bernat cruzou da esquerda. Jonas apareceu livre na área e cabeceou forte. O goleiro Beto espalmou, a bola pegou no travessão, nas suas costas e entrou – o juiz deu gol contra do goleiro, e não tento do brasileiro.

O começo intenso, em que igualou a vantagem que o Sevilla havia construído no jogo de ida, quase foi destruído aos 35 minutos se não fosse pelo goleiro Diego Alves. Carlos Bacca, dentro das área, deu um passe de calcanhar espetacular para a segunda trave. Reyes, desmarcado, chutou e o arqueiro brasileiro fez defesa incrível para evitar o gol.

Na segunda etapa, o Sevilla seguiu com problemas na armação. O Valencia, por outro lado, seguiu com mais posse de bola e sendo mais insinuante que o adversário. E conseguiu o terceiro gol aos 25 minutos. Depois do escanteio na área, a bola sobrou para o zagueiro Mathieu, livre de marcação, fazer o terceiro.

No fim, o árbitro deu cinco minutos de acréscimo. E o Sevilla, que não havia dado um chute sequer em toda a segunda etapa, viu o gol salvador sair após uma cobrança de lateral para área, com M’Bia completando para o fundo do gol. Fim de jogo, Mestalla calado e mais uma final europeia para a equipe.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.