14/07/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Bahia vira sobre o Botafogo e sai da zona de rebaixamento em jogo com arbitragem polêmica e desabafo de Sheik.

4 min read

Do Zigzagdoesporte.com.br por ESPN.com.br.

GETTY

Emerson em ação diante do Bahia, no Maracanã
Emerson em ação diante do Bahia, no Maracanã

Houve de tudo. Expulsões injustas, gols anulados, desabafo de Emerson contra a CBF, virada. Mas o Bahia conseguiu vencer de virada, por 3 a 2, no Maracanã, nesta quarta-feira, saiu da lanterna e da zona de rebaixamento, com 23 pontos. O Botafogo acabou empurrado para a zona da degola, com 22 pontos, em 17º lugar.

Na próxima rodada, o Botafogo enfrenta o Criciúma, fora de casa, no sábado. Já o Bahia tem o clássico com o Vitória, domingo, na Fonte Nova.

O jogo

O Bahia começou o jogo mais elétrico. Com apenas três minutos, Rafinha ciscou pela defesa do Botafogo, no lado direito, e tentou rolar para Kieza, mas a zaga se antecipou. O Botafogo, no entanto, respirava Emerson Sheik. Era ele o pulmão e o cérebro do Botafogo.

Aos 19 minutos, ele abriu os trabalhos de fato no Maracanã com um chute de longe que obrigou Marcelo Lomba a intervir. O Botafogo tinha mais domínio e abriu o placar logo aos 30 minutos, inaugurando as polêmicas da arbitragem no Maracanã. Julio Cesar rolou para Ramírez, na esquerda. O meia recebeu a bola e a zaga do Bahia, pedindo impedimento, parou. Ramírez cruzou na área e Emerson, como uma bala, entrou de peixinho na pequena área e mandou para o fundo do gol. 1 a 0.

Não deu nem tempo de respirar, comemorar a vantagem. Logo depois, o Bahia avançou pela direita e cruzou na área. Kieza desviou de cabeça e Dankler, ao tentar cortar a bola, mandou para dentro do gol. 1 a 1 no Maracanã.

O jogo era quente, pegado. Com lances de bola parada, com Zeballos e Lucas Fonseca, uma chance de cada lado, de cabeça. Aos 40 minutos, mais uma polêmica, baseada na nova recomendação da arbitragem. Zeballos recebeu bola na área, passou por Lomba e tocou para o gol. A bola bateu na mão de Railan e o árbitro Igor Benevenuto assinalou pênalti. Aos 42 minutos Emerson cobrou no canto de direito de Lomba para colocar o Botafogo de novo à frente. 2 a 1.

Veio, então, o intervalo. No segundo tempo, o jogo esquentou ainda mais. Com dez minutos, Emerson levou cartão amarelo por reclamação. E, enfurecido, se virou para as câmeras e disse:

“CBF, é para você! Para você!”

O jogo seguiu. Mas o clima continuou quente. Com 12 minutos, Ramírez entrou em disputa e empurrou Uelliton na lateral. O árbitro viu uma cotovelada e expulsou o peruano diretamente. Com menos um, o Botafogo ficou nervoso, mas acabou novamente sofrendo influência da arbitragem. Emerson dividiu bola com Uelliton e o árbitro entendeu que era para o segundo amarelo, seguido, claro, do vermelho. O Sheik, revoltado, saiu de campo e parou em frente às câmeras.

“CBF, você é uma vergonha, vergonha, vergonha”

Dentro de campo, o Botafogo tentava se recompor. Com dois jogadores a menos. Mas sem pulmões era difícil resistir. Na base do chutão, até segurou muito tempo. Mas o Bahia, em maior número, dominou o panorama. Aos 28 minutos, em tabela com Guilherme, Maxi recebeu na área e bateu para o gol sem chances para Jefferson. 2 a 2.

O Bahia continuou incomodando. Aí a arbitragem mais uma vez assumiu o protagonismo. Aos 32 minutos, Kieza recebeu de Maxi na pequena área e tocou para o gol. Mas o bandeira assinalou, incorretamente, impedimento de Maxi na esquerda.

A pressão aumentava e parecia que o Botafogo resistiria mesmo com menos dois em campo. Mas aos 45 minutos, Branquinho recebeu na área, bateu rasteiro e venceu Jefferson, virando para o Bahia, que deixava a zona de rebaixamento. Fim de jogo no Maracanã. Protagonismo da arbitragem.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 2 X 3 BAHIA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de setembro de 2014 (Quarta-feira)
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Assistentes: Márcio Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Cartões amarelos: Bolívar e Gabriel (BOT) e Lomba, Guilherme Santos e Marcos Aurélio (COR)
Cartões vermelhos: Ramírez, Emerson e Julio Cesar
Gols: Emerson (BOT), aos 29 minutos e aos 42 minutos, Dankler (BOT – contra), aos 31 minutos do primeiro tempo; Maxi (BAH), aos 28 minutos e Branquinho (BAH), aos 45 minutos do segundo tempo.

BOTAFOGO: Jefferson; Dankler, Bolívar e André Bahia; Luis Ramírez, Airton (Bolatti), Gabriel e Julio Cesar; Rogério (Wallyson), Emerson e Zeballos (Yuri Mamute)
Técnico: Vagner Mancini

BAHIA: Marcelo Lomba, Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Uelliton, Rafael Miranda (Branquinho), Léo Gago (Maxi Biancucchi) e Emanuel Biancucchi (Marcos Aurélio); Rafinha e Kieza
Técnico: Gilson Kleina.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.