03/03/2024

zigzagdoesporte.com.br

A sua revista eletrônica do esporte

Histórico: Messi faz três, Barcelona vence jogaço com Real e embola a Liga Espanhola

4 min read

Por Thiago Arantes, de Madri, para o ESPN.com.br.

Superclássico. O nome dado ao duelo entre Real Madrid e Barcelona talvez não seja suficiente para explicar o que aconteceu neste domingo, 23 de março de 2014, no Santiago Bernabéu. Craques inspirados, ritmo alucinante, reviravoltas, polêmicas – infelizmente por erros do árbitro – e um placar que mantém viva a Liga Espanhola.

Real Madrid 3 x 4 Barcelona.

Um jogo para a história. Um jogo com três gols de Messi, que se tornou o maior artilheiro da história do clássico e o segundo maior do Campeonato Espanhol. Um jogo com um gol de Cristiano Ronaldo, que se isolou como quarto maior artilheiro do Real Madrid.

EFE

Ainda no primeiro tempo, Messi recebeu dentro da área e chutou cruzado para empatar a partida
Messi marcou três gols no duelo do Bernabéu, dois de pênalti

Um jogo com Di María inspirado, com Iniesta decisivo, com Messi e Cristiano Ronaldo onipresentes. Com mais uma vitória do camisa 10 argentino no duelo entre os dois melhores jogadores do mundo.

Mas um jogo, também, que provocará discussões intermináveis sobre a arbitragem de Alberto Undiano Malenco. O árbitro apitou três pênaltis em um duelo que teve apenas um. Uma atuação terrível, que poderia arruinar um jogo espetacular. Mas nem assim conseguiu.

A Liga, agora, tem três times separados por dois pontos. O Real Madrid e o Atlético de Madri têm 70; o Barcelona, 69. Restam dez jogos e uma disputa impressionante pela frente.

Real Madrid e Barcelona não demoraram para mostrar suas armas neste domingo. Sem muito estudo ou a tensão habitual que trava as equipes em grandes duelos, os dois times entraram ligados na partida e logo começaram a criar oportunidades de gol.

O primeiro chute a gol foi de Neymar, aos 3 minutos – o chute saiu fraco, rasteiro, e Diego López defendeu. Aos 4, foi a vez do Real Madrid, com Benzema. Chute mascado, sem perigo para Valdés.

Com o Real Madrid marcando em seu próprio campo, o Barcelona sentiu-se à vontade para tocar a bola no início do duelo. E foi de uma linha de passe bem característica da equipe catalão que saiu o primeiro jogo. Passe de Messi para Iniesta, pela esquerda, e conclusão perfeita do camisa 8. 1 a 0 no placar.

Getty

Porém, Benzema empatou para o Real Madrid aos 20 minutos
Porém, Benzema empatou para o Real Madrid aos 20 minutos

Em desvantagem, o Real Madrid mudou a postura. Marcação adiantada, mais pressão na saída de bola do Barcelona… e Di María. O argentino, jogando muito aberto pela esquerda, aproveitava-se da fragilidade defensiva daquele setor do rival para fazer estragos.

Aos 19 minutos, ele cruzou pela esquerda e Karim Benzema concluiu de cabeça. A bola parecia fácil para Victor Valdés, mas o goleiro do Barcelona falhou, e o Real Madrid conseguiu igualar o duelo.

Di María era a grande figura da partida e, aos 23 minutos, voltou a aparecer bem. Mais uma vez, ele avançou pela esquerda e cruzou. Benzema dominou e, sozinho na área, chutou – agora sem chances para Valdés. 2 a 1 para o Real Madrid.

O jogo, em ritmo alucinante, parecia finalmente destino a ter alguns minutos de calmaria. Mas, não. Aos 25, novamente a dupla Di María-Benzema funcionou, e o francês só não marcou o terceiro porque Piqué tirou a bola em cima da linha.

O Barcelona, ainda assustado após levar dois gols em intervalo de tempo tão curto, demorou para se recompor e voltar ao jogo. E só retornou, de fato, pela genialidade de Lionel Messi. Aos 42 minutos, o argentino avançou, fez grande passe para Neymar e, ao receber de volta, chutou de perna esquerda para empatar mais uma vez o duelo.

EFE

A reação de Valdés, goleiro do Barcelona, após o segundo gol de Benzema
A reação de Valdés, goleiro do Barcelona, após o segundo gol

Depois de um primeiro tempo alucinante, era de se esperar que a segunda etapa começasse mais devagar. Mas não foi o que aconteceu. Barcelona e Real Madrid não pareciam dispostos a desacelerar. Então, entrou em cena uma outra figura: o árbitro Alberto Undiano Malenco.

Aos 10 minutos, o juiz apontou pênalti para o Real Madrid quando Daniel Alves derrubou Cristiano Ronaldo fora da área; na cobrança, Cristiano Ronaldo fez 3 a 2, recolocando o Real na liderança.

Aos 20, ele viu pênalti de Sergio Ramos em Neymar; mais do que isso, expulsou o capitão do Real Madrid. Messi cobrou para fazer 3 a 3, em mais uma reviravolta de uma partida espetacular.

Ainda havia muito jogo pela frente. E outro pênalti no meio do caminho. Outra reviravolta. Aos 32, Xabi Alonso e Varane travaram a passagem de Iniesta dentro da área.

Novo pênalti. Novo gol de Messi, o terceiro. O último gol de um jogo para a história.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.